OPINIÃO

3 PONTOS

3 PONTOS

Circuito Sesc, acesso e democratização da cultura foram os temas debatidos pelos entrevistados da coluna desta semana

Circuito Sesc, acesso e democratização da cultura foram os temas debatidos pelos entrevistados da coluna desta semana

Publicada há 1 ano

Livia Caldeira


A Praça Central de Fernandópolis recebe hoje, a partis das 16h, as atrações do Circuito Sesc de Artes . O evento apresenta espetáculos de circo, dança, música e teatro, exibição de filmes, e oficinas de literatura, artes visuais e tecnologias e artes. As atividades são gratuitas e livres para todos os públicos. A caravana passa por diferentes cidades, favorecendo o processo de inclusão cultural.


Embora o Brasil seja admirado por sua diversidade cultural e produção artística, o que é produzido em solo nacional é inacessível para uma grande parcela da população, segundo o IBGE, as regiões metropolitanas concentram 41% de todo consumo cultural. Por outro lado, uma pesquisa realizada pelo Ministério da Cultura em 2013 demonstrou que 75% dos brasileiros ou não frequentam ou nunca foram a um museu. A realização de eventos culturais gratuitos pelos municípios, como o Circuito Sesc, é de fundamental importância para a superação desse quadro.  O tema foi abordado e discutido pelos entrevistados da coluna "TRÊS PONTOS" desta semana.


"Lazer e entretenimento para a população"

O SESC foi uma parte muito importante na minha infância, foi lá que eu aprendi a nadar, a socializar e tomar gosto por arte. Acho muito importante que se tenha um evento como o circuito SESC, pois trata-se de um evento cultural que traz experiências que não estamos acostumados a vivenciar no dia a dia, é um momento de lazer e entretenimento para a população. Pretendo ir com minha família prestigiar o circuito, que certamente vai agregar muito, assim como os outros eventos que o SESC oferece.

(Michael Wilhans - Produtor de vídeos)



"A grande batalha é promover acesso perene à cultura"

Democratização da cultura e acessibilidade devem ser percebidos de maneira ampla. Por um lado regiões periféricas tem menor acesso aos equipamentos culturais e bens imateriais, assim como as condições de oferta de produtos artísticos e culturais muitas vezes não atende adequadamente idosos e pessoas com deficiência. Existe um desafio permanente tanto no sentido de capilarizar as ações, quanto em torná-las adaptadas a realidade das pessoas em geral. Nesse sentido o Circuito SESC das Artes contribui para a descentralização de atividades artísticas em nossa região e outras do estado de São Paulo, ainda que a necessidade regional seja maior, haja vista a impossibilidade de atingir municípios de menor porte, áreas distantes do centro da cidade e pessoas com as mais diversas necessidades especiais. É preciso fortalecer as diversas ações existentes e ampliar ainda mais a oferta de produtos e serviços culturais e artísticos, essa é a grande batalha, promover acesso perene para além de atividades pontuais.

(Rafael Guerra de Aquino - Ator, diretor e produtor cultural)



"Eventos culturais gratuitos para todos os gostos"

Acho que Fernandópolis nunca teve um engajamento tão grande no setor cultural. Peças teatrais, espetáculos musicais , oficinas culturais e de formação. Tudo gratuito e acontecendo semanalmente. A pasta da Cultura é uma das que detém menor orçamento na administração. Tudo isso acaba sendo realizado através das parcerias com os governos do Estado e a União. Como tem bastante coisa acontecendo, é sinal de que tem alguém ralando bastante para fazer acontecer essa ponte. Mas o legal é ver que dentro de tudo isso a população está começando a reconhecer e a participar, assim como acontece nas visitas do circuito Sesc de artes em Fernandópolis. Num dia cheio de eventos variados para todos os gostos, muita gente tem se encontrado na praça central da cidade ou no próprio teatro e acabam desmistificando  aquela velha máxima do Fernandopolense médio que só reclama: "aqui quase nunca tem nada pra fazer". Tem sim amigo, tem e muito.

(Herminio Stroppa - Jornalista)

últimas