ENTRELINHAS

Empregos: saldo negativo de janeiro foi marolinha; fevereiro é recorde em 10 anos

Empregos: saldo negativo de janeiro foi marolinha; fevereiro é recorde em 10 anos

Por Beto Iquegami

Por Beto Iquegami

Publicada há 5 meses

Empregos: negativo de Janeiro (-22) foi marolinha. Fevereiro tem saldo recorde

Indagamos nestas mesmas linhas, no dia 2 passado, tendo em vista os resultados apontados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados-Caged do Ministério do Trabalho, se o ciclo virtuoso do ano passado, com geração recorde de empregos em Fernandópolis havia se esgotado ou se o índice negativo de 22 vagas (revisonado, pois inicialmente era -10) era sazonal, ou seja, recuperável? E eis que bastaram os dados do mesmo órgão oficial relativos ao mês de fevereiro para que a dúvida fosse dissipada. O número, de tão exponencial, surpreendeu até mesmo os mais otimistas: foram admitidos, com Carteira de Trabalho, 1.468 trabalhadores e trabalhadoras no município; no mesmo mês foram desligados 540. Resultado? Saldo positivo de 928 postos de empregos gerados. Um índice altíssimo. No ano, ou seja, nos dois primeiros meses de 2019, o número é positivo em 906 e, nos últimos doze meses (fevereiro de 2018 a fevereiro de 2019) já são 1.164 novos empregos formais gerados pela iniciativa privada e setor público.

Melhor resultado da década  e liderança no noroeste paulista. Mais até que Rio Preto

Fazendo comparativos analíticos com outros municípios da região, alguns de porte populacional, empresarial e com desenvolvimento industrial em muito superior ao de Fernandópolis, constamos o quanto foi expressivo o saldo local. De início, ele é o maior - disparado - para o mês de fevereiro na década. Após, vemos que a vizinha Votuporanga, no mesmo mês, acresceu “apenas” 129 vagas; Jales 45; Santa Fé do Sul 76; Catanduva 212; Mirassol 126 e São José do Rio Preto 805. Foi uma resposta contundente para quem, isolada e somente, foi o único município desta mesma região a registrar saldo negativo em Janeiro. E convém, mais que nunca, rendermos justas honrarias a quem produziu tais vagas. Empresas do ramo da indústria de transformação foram os principais indutores com 720 admissões; empresários do setor de serviços geraram outras 219; o comércio mais 203 e a agropecuária 135. Até mesmo os órgãos da administração pública colaboraram: contrataram mais 78. Quiçá a projeção ascendente perdure durante 2019, afinal, apesar da “positividade”, ainda há milhares de desempregados na cidade. 

Aniversário de Ferpa! Havan inaugura em maio. Muffato pode estar chegando

 Coincidência? Justamente no mês de comemorações de aniversário fernandopolense, a população de Votuporanga é que terá motivos de sobras para comemorações. A diretoria da Havan confirmou que sua mais nova unidade terá as placas descerradas naquele mês - provavelmente no dia 04 -, com direito, até, à réplica da “Estátua da Liberdade”. E as comemorações por lá são justas, afinal são R$ 30 milhões em investimentos; 150 novos empregos e nova fonte de renda para a municipalidade.

E tem mais! Super Muffato

E segue mais uma nova ótima para os votuporanguenses. A diretoria do Grupo Muffato, detentores das marcas Super Muffato e Irmãos Muffato estão de olho em oportunidades na região e, adivinhem onde foram parar? Isso mesmo! Estiveram essa semana por lá e o que dantes era sondagem, acabou virando real possibilidade. Até o local já teria sido escolhido.

E tem mais! Super Muffato

E segue mais uma nova ótima para os votuporanguenses. A diretoria do Grupo Muffato, detentores das marcas Super Muffato e Irmãos Muffato estão de olho em oportunidades na região e, adivinhem onde foram parar? Isso mesmo! Estiveram essa semana por lá e o que dantes era sondagem, acabou virando real possibilidade. Até o local já teria sido escolhido.

Denunciado pelo ex-governador Cabral

Uma semana após ser exaltado por esta coluna devido ao anúncio dos investimentos de R$ 800 milhões em Uberaba-MG, para a construção de nova unidade do Grupo Petrópolis e, cerca de um mês depois de ser arrolado, cá mesmo, como o 19º mais rico do país, segundo ranking da Forbes, eis que o empresário fernandopolense se viu, nesta semana, no epicentro de uma denúncia proferida pelo ex-governador fluminense Sérgio Cabral-MDB. Ele acusou-o de uma “mesadinha” de R$ 500 mil em troca de benefícios governamentais. O grupo emitiu comunicado negando qualquer pagamento de propina.

Pinato: não há motivos para afastar da China

Presidente da Comissão de Agricultura e vice-líder do Bloco Governista na Câmara dos Deputados, o deputado federal pregou publicamente esta semana que, ao contrário do apregoado por grupos dentro do governo federal, não há motivos para se afastar do país asiático. Ele citou que no ano passado o Brasil exportou para a China o equivalente a US$ 64 bilhões e importou do mercado chinês quase US$ 35 bilhões. Saldo positivo de R$ 29 bilhões, ao contrário do comércio com o EUA, que tem saldo negativo para o país. Fausto vê o mercado oriental como fundamental para o progresso da agricultura nacional. 

In Off 

De Jales para a região?


O vereador jalesense Vanderley Vieira-PPS entre promovendo uma ação que merece - e deve - ser repetida por outros parlamentares municipais da região. Ele está fiscalizando obras de recape feitas pela Prefeitura. Resultado? Trechos recém-recapeados apresentam buracos e fissuras. Ele cobra que o prefeito exija que a empreiteira refaça corretamente as obras. Em grupos sociais, moradores de Fernandópolis têm denunciado situações similares. Merecem, no mínimo, a atenção por parte de seus representantes políticos.

Grupo Rumo leva a Ferrovia


O governo federal conseguiu leiloar, na quinta, 28, a Ferrovia Norte-Sul. O trecho de 1,5 mil quilômetros foi arrematado pelo Grupo Rumo por R$ 2,7 bilhões (o governo já investiu mais de R$ 11 bilhões nas obras inacabadas) e a concessão tem validade de 30 anos. O trecho vem de Porto Nacional-TO até Estrela D´Oeste-SP e o grupo tem dois anos para por a via em operação. O Rumo é fruto da fusão entre a Rumo Logística (Grupo Cosan) e a antiga América Latina Logística (ALL).

10 mil “médicos” em Pedro Juan

O número foi publicado pelo Jornal do Estado, de Campo Grande-MT. 10 mil universitários brasileiros estão atualmente cursando Medicina em Pedro Juan Caballeto, no Paraguai. Já são oito universidades oferecendo o curso por lá, com previsão de novas instituições abrindo as portas, com mensalidades de até R$ 700,00. Outra vantagem é que não há vestibular. Apenas um curso de “nivelação”.  

Vazão à voz do povo: pesquisas

Como os eleitores região afora estão avaliando os atuais prefeitos? E os Legislativos? Quais as possibilidades deles repetirem suas escolhas de 2016? Essas e outras indagações políticas começarão a ser respondidas por este jornal. A partir da próxima semana, divulgaremos pesquisas qualitativas de todos os prefeitos da região. Começaremos por Macedônia e Pedranópolis.

últimas