ENTRELINHAS

Luz vermelha! atual governo já deixa R$ 30 milhões para próximo prefeito pagar

Luz vermelha! atual governo já deixa R$ 30 milhões para próximo prefeito pagar

Por Beto Iquegami

Por Beto Iquegami

Publicada há 5 meses

Luz Vermelha acessa para a gastança pública. Empréstimos a dar  “com pau”

Até o mais dos incauto pai de família sabe, sobretudo na economia atual, que um passo para a ruína completa encontra-se às mãos com o simples uso de um cartão de crédito, de um empréstimo consignado, no parcelamento de dívidas e por aí segue, até se tornar, num futuro próximo, absolutamente incontrolável a pequena finança familiar. E, ao que parece, a prodigiosa lição não está sendo, nem de longe, observada pelo governo municipal fernandopolense. Quem não há de rememorar que há três “marços passados”, Pessuto em alto e bom tom bradou aos quatro cantos que herdara uma dívida estimada em - pasmem - R$ 52 milhões. E, ao que parece, infeliz mais será o próximo a assumir a cadeira executiva, pois, com aparente complacência legislativa, Fernandópolis já entrou no limite do cheque especial, no parcelamento do cartão de crédito e realiza operações de créditos que, se de imediato trará algum benefício, por outro, coloca um horizonte tempestuoso sobre as cabeças dos munícipes num futuro breve.

Já são R$ 30 milhões em dívidas para o próximo prefeito pagar. Veremos como!

Por menores que sejam as taxas de juros, o valor de empréstimos capitaneados já bate na casa dos R$ 30 milhões. São R$ 5 milhões para a atual operação de recape e mais R$ 5 milhões para a nova rodoviária/paço municipal e, na terça, foi autorizado novo financiamento junto à Caixa Econômica Federal no valor de R$ 20 milhões para compra de maquinários, recape e asfaltamento. Óbvio que o “novo paço” gerará economia em aluguéis de prédios onde atualmente estão instalados secretarias e órgãos municipais; claro também que novos maquinários gerarão contenções de gastos em oficinas, mas também é claro que a partir de 2021 os pagamentos com as instituições bancárias terão que serem feitos. Com que recursos? Com cortes na Saúde Pública; na verba da Educação ou de outro setor prioritário? É preciso, urgentemente, que os vereadores de bom senso estipulem limites plausíveis para não inviabilizar o já nebuloso futuro da cidade e de sua população. Afinal, entre ingressar para a história como um prefeito empreendedor ou perdulário há uma linha tênue. E ela já foi transgredida bem recentemente por outro gestor. Lembram-se da FEF?

Com CEI já aberta, vereadores instalam Comissão Processante contra prefeito

 Nem em seus piores pesadelos ele poderia imaginar a situação atual. Tendo vencido as eleições suplementares e assumido a municipalidade em junho passado, Alex Ribeiro-MDB está em situação complicadíssima no Legislativo. Uma Comissão Especial de Inquérito-CEI já corria, investigando possíveis ilicitudes na “Feirinha da Madrugada” realizada em Turmalina. O que já era ruim. Agora, além da CEI, está instalada uma Comissão Processante-CP que, pode, até, extirpar-lhe o mandato.

Motivação abundante

E são várias as denúncias que levaram os vereadores a aprovarem a instalação da CP. Uma delas envolve a apuração de eventual falsificação de documento público. Ele teria sido utilizado para que um servidor público municipal pudesse ocupar um cargo para o qual não tem qualificação técnica exigida pela legislação municipal. Além de apuração legislativa, também deve ser criminal.

E os demais fundamentos?

Pois é. E ainda tem mais! Pela peça acusatória aprovada por 2/3 dos edis, ainda há informações de desvios de recursos da Saúde. Eles teriam sido consubstanciado na utilização irregular de equipamentos, sobretudo veículos, de uso exclusivo no setor, para transportes esportivos e até para deslocamentos sociais. Mais detalhes em matéria alocada nesta mesma edição.

Operação Asclépio: o Deus da Medicina

A operação ainda renderá fatos para diversas outras manchetes nos jornais, mas, decorrido algumas horas de seu desencadeamento, já é possível afirmar que, tanto a Universidade Brasil como centenas de outros estudantes que aspiram ocupar uma das cadeiras do curso de Medicina foram vítimas de um esquema criminoso, uma verdadeira quadrilha que comercializava vagas por até R$ 120 mil. A diretoria do campus local, certamente com o beneplácito do reitor Fernando Costa, respaldados até pela Polícia, negaram envolvimentos de seus funcionários. E mais! Abriram, em nome da transparência, Sindicância interna. Que se esclareça e deem ampla publicidade.

A hora e a vez dos eleitores de Indiaporã e Mira Estrela

A antiga e já tradicional cisão eleitoral em Indiaporã, refletida nos índices avaliativos das administrações municipais Executiva e Legislativa, com 38% cravando como “ótimo” ou “bom” o governo Elaine Rocha e 31% a atuação da Câmara de Vereadores. No município vizinho de Mira Estrela os entrevistados atribuíram, no mesmo critério, 50% para Márcio Borges e 24% para o Legislativo. Confiram todos os dados nas Páginas A-3 e A-8. No próximo sábado serão publicados os dados relativos a Populina e Turmalina.

In Off

Sistemas altamente confiáveis


Cada vez mais dá para confiar menos nos sistemas implantados pelas Prefeituras da região, sejam fiscalizatórios, informatizados ou digitalizados. Após provas aberrantes de desvios que beiram R$ 10 milhões explodir em Jales, sem que “a Prefeitura soubesse”, eis que agora foi em Barretos. A ex-secretária de Administração Adriana Ramos (foto) foi pega pela Promotoria Estadual acusada de desviar R$ 11 milhões. Como? Pagamento de R$ 2 mil a R$ 11 mil a 105 servidores municipais. E aí? Dá para confiar no sistema? Há! Nada sabiam.

 

Números altamente positivos

 

Animadíssimos com os números apresentados na agência inaugurada ao final de setembro passado, o diretor de Marketing do Sicredi, Michael Bueno (foto), junto com o gerente local Rafael Menegueli, estiveram na sede deste diário na terça, 09. A expansão da rede de cooperativismo é evidente. Após Votuporanga, Fernandópolis e Mira Estrela devem chegar, brevemente, à Jales e Santa Fé do Sul. Há diversos pedidos de municípios da região interessados na instalação de unidades do Sicredi.


Faça o que digo, não o que faço

A denúncia é grave e deve encontrar similitude em muitos outras cidades da região. Em Jales, a fiscalização do Corpo de Bombeiros sobre empresas privadas está a todo vapor. Diversos empresários têm dispendido recursos nas adaptações necessárias. Por outro lado, praticamente nenhum prédio público municipal tem o Auto de Vistoria. 31 deles não possuem sequer o devido Alvará de Funcionamento.


Os 100 dias de Doria


Líder do governo na Assembleia, Carlão Pignatari divulgou um balanço de início de governo. Segundo o deputado, Doria destinou R$ 67,4 milhões a 202 municípios paulistas; transformou 43 - 9 da região - em “de interesse turístico”; entregou diversas unidades habitacionais no noroeste paulista e enfatizou o programa de desestatização. “É só 100 de 1460 dias de governo”, afirmou.

últimas