EDITORIAL

Formas adequadas para a evolução

Formas adequadas para a evolução

Artigo

Artigo

Publicada há 4 meses

A diligência é um fator essencial para que cada um de nós possa evoluir, é requisito indispensável para quem quer enriquecer espiritualmente. E o que é ser diligente? É ter uma visão clara e precisa de onde se quer chegar, trabalhar de forma inteligente, correta, com prontidão, honestidade e eficiência para alcançar um resultado de excelência. Coisa simples na teoria, mas nem sempre na prática. Caso contrário, seriamos todos irrepreensíveis.

A diligência não é inata ao homem, ela precisa ser adquirida, conquistada, e essa conquista combina persistência criativa, esforço inteligente executado de forma honesta, sem atrasos e adiamentos, que nos confere sabedoria, e deve ser complementada com ações conscientes de modo a se alcançar um resultado de excelência. Muitas vezes, nós dizemos: “Eu não posso fazer isso, porque eu não sou assim”. Mas pode ser. Depende de cada um e sempre dependerá.

Porque há uma tendência: utilizar a lei do menor esforço. E assim perder a oportunidade de fortalecer a nossa “estrutura mental” através do trabalho. E alcançar nossos objetivos, por meio dos afazeres que realmente valem à pena dar continuidade. É uma reflexão muito positiva que o ser humano precisa ter o mais rápido possível. Isto porque a preguiça, esta sim, é inata ao ser humano, e age de uma forma sutil através do adiamento das ações que se fazem necessárias causando-nos prejuízos que com sua continuidade geram um resultado nefasto. 

Daí a necessidade de estarmos sempre vigilantes, atentos e dispostos, para não nos deixarmos vencer. E para atingirmos a diligência é indispensável termos uma visão clara e precisa do objetivo que pretendemos atingir.

Outro obstáculo é a comunicação mal feita. Temos que considerar também que há uma comunicação verbal e outra não-verbal; e esta muitas vezes se torna mais eficaz pela leitura que se faz dos gestos, do tom de voz, das expressões faciais.

Afinal, ser positivo é aceitar a diligência, com todos os seus predicados, como uma das formas mais adequadas para a evolução.

últimas