FUTEBOL

Rivais estão de olho na fusão entre Rede Bull e Bragantino

Rivais estão de olho na fusão entre Rede Bull e Bragantino

Os clubes mais interessados nisso são, Água Santa e XV de Piracicaba

Os clubes mais interessados nisso são, Água Santa e XV de Piracicaba

Publicada há 2 meses

A operação envolvendo o Grupo Red Bull e Bragantino pode estar em desacordo com as normas da FIFA, segundo diretores de clubes rivais do interior de São Paulo. Os clubes mais interessados nisso são os semifinalistas - Água Santa e XV de Piracicaba - que chegaram às semifinais do Campeonato Paulista da Série A2. Ambos sonham em ficar com numa vaga no Paulistão 2020.

Isto porque, de acordo com a circular 1132 da FIFA:

“Estão proibidas as medidas encaminhadas a favorecer uma classificação por méritos esportivos e/ou a concessão de uma licença para um campeonato nacional através de modificações na forma jurídica ou modificações na estrutura jurídica de uma sociedade, em detrimento da integridade esportiva da competição. Podem se tratar de alterações de sede social, alterações de nome ou alterações na participação financeira, com a possível implicação de dois clubes”.

DIFERENÇA DE DIVISÃO

Quer dizer, portanto, que não é proibida a aquisição de um clube por uma empresa ou grupo de investimento, porém é proibida a sua aquisição por outro clube de divisão inferior, a fim de burlar o princípio do acesso às divisões superiores no campo de jogo, em desrespeito à integridade esportiva da competição.

O acesso e o descenso devem sempre resultar de critérios esportivos, que não podem ser fraudados por negócios realizados entre dois clubes.

NEGÓCIO SERIA ILEGAL ?

Assim, um clube na Série D do Brasileirão não poderia adquirir outro com vaga na Série B, para atingir o resultado que não conseguira em campo.

O negócio anunciado entre Red Bull Brasil e Bragantino ainda não está claro, portanto não se sabe se o primeiro comprou o segundo ou se as entidades firmaram uma parceria técnica, envolvendo suporte financeiro e patrocínio.

CLUBES DISTINTOS

Atualmente, defendem os representantes da empresa de energéticos que os investimentos na equipe de Bragança Paulista não estão sendo realizados pelo Red Bull Brasil, e que se tratariam de dois clubes distintos, detidos pelo mesmo grupo econômico.

Entretanto, os rivais sustentam que, caso se concretize um boato de mercado, e o Red Bull Brasil realmente seja vendido para terceiros, ficará clara a intenção do Grupo Red Bull de burlar a regra do jogo, e será difícil sustentar o discurso de coexistência de dois clubes distintos.

FONTE: FUTEBOLINTERIOR.COM.BR

últimas