ILEGALIDADES

“Eles não respondem e tentam nos enganar”, diz vereador sobre gestão da Santa Casa

“Eles não respondem e tentam nos enganar”, diz vereador sobre gestão da Santa Casa

Em requerimentos oficiais, Murilo Jacob questionou diversas ações da atual diretoria do hospital fernandopolense.

Em requerimentos oficiais, Murilo Jacob questionou diversas ações da atual diretoria do hospital fernandopolense.

Publicada há 2 meses

Denúncia do vereador Murilo Jacob originou inquérito policial 


Por Breno Guarnieri 

Na sessão da Câmara Municipal de Fernandópolis desta terça-feira, 6, o vereador Murilo Jacob destacou possível ilegalidade na venda/compra de lotes que pertenciam à Santa Casa de Fernandópolis. Jacob citou o fato de que quem fez o negócio contrariou o estatuto da instituição e ainda colocou em dúvida os valores pagos pelos terrenos doados por pessoas da comunidade fernandopolense. 

De acordo com Murilo Jacob, existem pessoas que precisam dar explicações à sociedade. “A coisa é muito séria, vou citar nomes. Fica difícil a gente acreditar na atual gestão da Santa Casa (OSS Andradina), pois eles possuem vários processos de improbidade administrativa. Quem trouxe esse pessoal a Fernandópolis, não sabia destas questões? Algumas ações estão sendo feitas de forma escondida, como empréstimos bancários. Ou mostra transparência ou sai da Santa Casa”, destacou.   

Ainda de acordo com o vereador, a atual diretoria da Santa Casa não responde a nenhum requerimento da Câmara Municipal. “Depois eles (diretoria) querem fazer audiência pública? Pra que? Pra colocar slide? Não trazem um documento e fica por isso mesmo. Temos que ser sérios nesta questão. Falamos de saúde. A Santa Casa é do povo. Falamos de uma dívida que aumentou para quase R$ 50 milhões. Houve irregularidades graves lá dentro (hospital). Foram gestões predatórias, como disse o juiz Vinicius Bufulin. A atual gestão também é predatória”, acrescentou.     

Parabéns à polícia 

Murilo Jacob ainda parabenizou o trabalho da Polícia Civil, em especial ao delegado Dr. Ailton Canato. “Ele (Canato) teve a coragem de enfrentar a situação. Estou junto com ele nessa luta. Fico feliz que agora vamos até o fim e vamos colocar em ‘pratos limpos’ a história. Se a OSS Andradina não estiver feliz com a investigação, a porta da rua é a serventia da casa”, finalizou.

Inquérito policial 

Um inquérito policial, presidido pelo delegado Dr. Airton Canato, e que apura irregularidades na administração da Santa Casa de Fernandópolis, apontou fortes indícios de que membros da OSS Andradina estejam administrando de forma criminosa a primeira entidade, contando com a condescendência do Conselho Administrativo e da diretoria anterior, o que vem também favorecendo o IACOr e a Unimed.

Na denúncia feita à Justiça, o delegado coloca em dúvida a veracidade de fatos com base nas testemunhas ouvidas no inquérito policial a partir de denúncia do vereador Murilo Jacob. 

A investigação busca esclarecer o motivo do aumento da dívida da Santa Casa de Fernandópolis. De acordo com a Polícia, até 2013 o hospital devia aproximadamente R$ 13 milhões. Nos últimos quatro anos a dívida mais que triplicou chegando em 2018 a R$ 50 milhões.

“Sem meias palavras, é necessário investigar esse endividamento com muita preocupação e atenção”, diz trecho de inquérito policial, que também cita: “repisando, não há dúvida de que a administração da Santa Casa de Fernandópolis é feita pela OSS Santa Casa de Andradina. Negar tal fato tem motivos, principalmente, financeiros. A OSS Santa Casa de Andradina não quer assumir responsabilidade perante terceiros”.

últimas