POESIA

La fin de la vie d’un génie

La fin de la vie d’un génie

Por Vinicius Augusto Alves Ranulfo da Silva

Por Vinicius Augusto Alves Ranulfo da Silva

Publicada há 1 semana


___________

VINICIUS AUGUSTO ALVES RANULFO DA SILVA

___________


A Holanda era agora meu novo lar

Pois na França não conseguia me concentrar

Da mãe de minha filha eu queria correr

E deixar minha pequena o mundo conhecer


Casamento não era algo que eu pensava

Entretanto, uma filha eu amei ter

Porém, uma febre tirou o que eu mais amava

E aos cinco anos ela veio falecer


Essa notícia muito me entristeceu

Mas, em meus pensamentos Deus sempre existiu

As crenças de meus sucessores ficavam em segredo

Contudo, revelei a minha sem medo


Cristina, a rainha

Me pediu um favor,

Pensamentos filosóficos eu tinha

Então, me pediu para ser o seu tutor


Minha nacionalidade havia mudado

Sueco eu virei

E como a rainha queria estudar de madrugada

Pneumonia eu peguei


Os meus restos mortais foram mudados de lugar

E em Paris eles estão

Para todo mundo contemplar

Recebendo total admiração


E na Suécia foi onde tudo acabou

O último vento de vida soprou

E assim minha existência termina

Com o pensamento mais famoso de minha vida:

Penso, logo existo.


* VINICIUS AUGUSTO ALVES RANULFO DA SILVA É ESTUDANTE DO 5.° PERÍODO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO NO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE, EM SÃO BENTO DO SUL (SC)

____________________________________________________________

últimas