DESEMPREGO

Laranjão fecha mais três supermercados e demite 250 funcionários na região

Laranjão fecha mais três supermercados e demite 250 funcionários na região

As unidades da rua Espanha, da avenida Danilo Galeazzi e do Jardim Planalto encerraram oficialmente as atividades nesta quarta, 18, e nesta quinta, 19.

As unidades da rua Espanha, da avenida Danilo Galeazzi e do Jardim Planalto encerraram oficialmente as atividades nesta quarta, 18, e nesta quinta, 19.

Publicada há 1 mês

O Grupo Laranjão fechou mais três supermercados em Rio Preto. A unidade da rua Espanha teve as atividades oficialmente encerradas nesta quarta-feira, 18. Nesta quinta-feira, 19, deixaram de funcionar as lojas da avenida Danilo Galeazzi e do Jardim Planalto. 

Com a decisão de reduzir as atividades na cidade, o grupo, que está em Recuperação Judicial pedida no início deste ano e, há quase dois anos tenta sem sucesso sair da crise em que se encontra, passa a operar apenas com uma loja, a do Jardim Soraia. A dívida hoje é estimada em R$ 65 milhões. 

A rede começou a ser construída em Bebedouro e chegou em Rio Preto com a abertura da primeira unidade em 1980.  No auge, o Grupo Laranjão chegou a ter 11 supermercados no total, sendo seis em Rio Preto, dois em Bebedouro, um em Penápolis, um em José Bonifácio e um em Votuporanga.  

O grupo não se pronunciou oficialmente sobre a decisão de fechar as três unidades, que pegou muita gente de surpresa, apesar de serem públicas as dificuldades financeiras. Provocou forte impacto também a demissão dos funcionários, estimados em cerca de 300 no total, considerando lojas fechadas anteriormente dentro das tentativas de equilíbrio das contas. São cerca de 250 nas três unidades fechadas agora. 

Funcionários choram e se abraçam durante anúncio de fechamento da loja do Espanha


O Sindicato dos Trabalhadores do Comércio Varejista (Sincomerciários) emitiu nota assinada pela presidente, a vereadora Márcia Caldas, dizendo que considera "lamentável a decisão do Grupo Laranjão” de fechar as três unidades. "Há uma agravante nesta situação muito preocupante para o Sindicato, haja vista que pela sua situação econômica, a empresa alega não terá condições financeiras para arcar com o custo das demissões”, afirma a nota. 

Ainda segundo o sindicato, "os trabalhadores deverão ajuizar ações trabalhistas para garantia de seus direitos via Poder Judiciário, devendo ser esclarecido que o Grupo Laranjão está em situação de Recuperação Judicial, bem como caso ocorra uma decretação falimentar do mesmo”.

O secretário de Desenvolvimento Econômico de Rio Preto, Jorginho Souza, que  é empresário do setor varejista e diretor da Acirp, diz que vê com tristeza o fechamento das três unidades do Laranjão. 

"A gente sabe que a luta para manter o negócio de pé foi grande. Eles tentaram de tudo, Recuperação Judicial e renegociação de dívidas com fornecedores. Isso não é bom para ninguém. Não é bom para a cidade, não é bom para os trabalhadores que perdem empregos. A manutenção da unidade do Jardim Soraia é uma tentativa de se recuperar, se reestruturar”, diz Jorginho.

A reportagem do DLNews entrou em contato com representantes do grupo, mas não obteve resposta.   

Segue abaixo íntegra da nota emitida pelo Sincomerciários de Rio Preto 

Nota sobre o Grupo Laranjão

"A Diretoria do Sincomerciários de Rio Preto considera lamentável a decisão de o Grupo Laranjão fechar mais unidades em nossa cidade. 

Os impactos destes fechamentos interferem nos índices de desemprego, com o fechamento de postos de trabalho, têm efeitos nocivos em toda a rede de fornecedores e afins da tradicional rede de supermercados e inibe a economia da nossa cidade. A renda familiar cai e, com ela, o consumo. A economia estanca um pouco mais. 

Para o nosso Sindicato, o encerramento das atividades, com o consequente desemprego, e seus demais efeitos nocivos, deveria ter sido alvo de discussões exaustivas, para evitar o mal maior que, infelizmente, agora testemunhamos. 

O resultado de um País recessivo hoje chega a novos lares de trabalhadores e de trabalhadoras vitimados pelo desemprego. 

Nos frustra vir a público e informar o encerramento das atividades do Laranjão da  rua Espanha, Danilo Galeazzi e Jardim Planalto.

O fechamento abrupto desses postos de trabalho, além do grande impacto no comércio e na sobrevivência de centenas de trabalhadores, aprofunda também o abatimento social, uma vez que, dificilmente esses trabalhadores serão recolocados de imediato no mercado de trabalho.

Há uma agravante nesta situação muito preocupante para o Sindicato, haja vista que pela sua situação econômica, a empresa alega não terá condições financeiras para arcar com o custo das demissões.

Em face disso os trabalhadores, deverão ajuizar ações trabalhistas para garantia de seus direitos via Poder Judiciário, devendo ser esclarecido que o Grupo Laranjão está em situação de Recuperação Judicial, bem como caso ocorra uma decretação falimentar do mesmo.

O Sindicato, desde que a empresa apresentou Recuperação Judicial, vem prestando assistência jurídica aos funcionários.

Estamos à disposição".

Márcia Caldas, presidente


Fonte: https://riopreto.dlnews.com.br 

últimas