POLÍTICA

Gilmar Gimenes transfere Título de Eleitor para Fernandópolis

Gilmar Gimenes transfere Título de Eleitor para Fernandópolis

Mudança de domicílio o habilita a disputar as eleições municipais do próximo ano

Mudança de domicílio o habilita a disputar as eleições municipais do próximo ano

Publicada há 2 semanas

DA REDAÇÃO

Gilmar: transferência de domicílio eleitoral para Fernandópolis confirma a sua candidatura. Muito provavelmente para prefeito. Foto: Divulgação

O ex-deputado estadual Gilmar Gimenes acaba de transferir seu domicílio eleitoral. A confirmação deu-se na manhã desta quarta-feira, 02, através da Assessoria de Gimenes, ratificando que a migração deverá aparecer no sistema de transferências da Justiça Eleitoral já na próxima sexta-feira, 04.

A transferência do título de Gilmar - de São Paulo (capital) para Fernandópolis - o habilita a disputar a próxima eleição municipal no município. Diversas hipóteses são aventas, algumas colocando-o na condição de pleiteante ao cargo de vice-prefeito, numa possível chapa que seria encabeçada por José Carlos Zambon - PSDB, porém, a hipótese mais provável é que Gilmar encabece uma dobradinha tucana, entrando na disputa pela Prefeitura na sucessão de André Pessuto. 

O Título Eleitoral do ex-deputado é de São Paulo desde quando ele trabalhou na Caixa Econômica Federal, no início da seu carreira profissional.

VAI TER DISPUTA

A mudança domiciliar de Gimenes já era esperada e abre as portas para o início de composições partidárias. Obviamente, na qualidade de atual prefeito e com direito à reeleição, André Pessuto pode - e deve - disputar o pleito municipal de 2020. A exceção fica a cargo de um desempenho abaixo do mínimo necessário nas pesquisas eleitorais. Gustavo Pinato, o atual vice, pode pleitear carreira solo, encabeçando uma coligação, mas a probabilidade maior é que continue aliado a Pessuto.

OUTROS NOMES

Outras lideranças surgem com força no cenário pré-eleitoral. Dentre eles destacam-se os do advogado Henri Dias - PTB, o empresário Renato Colombano - Republicano, e o policial militar aposentado, Cabo Santos - PSL. Um segundo grupo, com menor possibilidades de liderar uma coligação, é composto pelo engenheiro José Carlos Zambon - PSDB, pela educadora Adélia Menezes - Republicano, o vereador Murilo Jacob - PR, o vereador João Pedro - PTB e vereadora Maisa Rio - PSDB.

A ex-prefeita Ana Bim já nos afirmou que não deve participar da próxima eleição municipal.

Entre esses nomes e agrupamentos partidários devem ocorrer diversas junções, sendo muito provável que apenas três nomes sejam selecionados ao final. 

 

últimas