43 ÁREAS

Distrito Industrial VI: 36 empresas já habilitadas e perspectiva de centenas de novos empregos

Distrito Industrial VI: 36 empresas já habilitadas e perspectiva de centenas de novos empregos

Ao todo serão disponibilizadas 43 áreas, distribuídas em 112.833 mil metros quadrados

Ao todo serão disponibilizadas 43 áreas, distribuídas em 112.833 mil metros quadrados

Publicada há 1 semana

Por Breno Guarnieri

O Distrito Industrial VI é um dos principais projetos da atual gestão de Fernandópolis. A perspectiva é de que serão geradas centenas de novas vagas de emprego nos próximos anos no município. Atualmente, já foram habilitadas para as áreas do Distrito, 36 empresas. Nesta sexta-feira, dia 8, o secretário municipal de Desenvolvimento Sustentável, Wagner Kamiyama, salientou à reportagem de O Extra.net a importância do empreendimento e explicou o seu planejamento até a sua concretização.

O Extra.net: O setor industrial é um dos mais importantes para segurar a economia. Qual foi o planejamento para a concretização do Distrito Industrial VI? 

Wagner Kamiyama: O Distrito Empresarial VI é destinado não apenas à área industrial, mas também à prestação de serviços. O planejamento de recursos para concretização do Distrito Empresarial se deu por meio da operação de crédito Desenvolve SP, possibilitando a entrega do primeiro Distrito no município com a infraestrutura completa: rede de água e esgoto com estações elevatórias, rede elétrica, pavimentação, guias e sarjetas. Anteriormente, os Distritos eram entregues sem finalização da infraestrutura, sendo que alguns carecem até os dias atuais, o que gera diversos problemas para regularização das documentações das empresas. Um dos motivos da implantação do Distrito VI foi a grande demanda de empresas com processos pendentes na Secretaria Municipal de Desenvolvimento Sustentável, que já haviam recebido o deferimento de área pelo Conselho do Programa de Desenvolvimento Sustentável de Fernandópolis - PRODESF, mas aguardavam disponibilidade, alguns deles esperavam desde 2008. Tanto essas quanto as empresas que buscam a Secretaria atualmente têm necessidade de crescimento e encontrarão no Distrito Empresarial VI o que precisam.

O Extra.net: Como funciona o cadastramento de empresários interessados em ocuparem um terreno?

Wagner Kamiyama: Qualquer empresa interessada deverá entrar em contato com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Sustentável, pessoalmente ou pelo telefone (17) 3465-0150, ramal 269, para instrução do processo de pré-qualificação, que se dá por meio do preenchimento do Roteiro de Informações para Solicitação de Incentivo – RISI, que deverá ser preenchimento e ratificado, por meio de reconhecimento de firma do Contador da empresa, juntamente da apresentação da lista obrigatória de documentos comprobatórios, que serão remetidos ao Conselho Gestor do PRODESF, composto por representantes das Secretarias de Desenvolvimento Sustentável, Obras, Infraestrutura, Habitação e Urbanismo, Procuradoria-Geral do Município, Associação Comercial e Industrial de Fernandópolis (ACIF), Associação dos Engenheiros, arquitetos e agrônomos de Fernandópolis, Associação dos Contabilistas da Região de Fernandópolis, Câmara Municipal, OAB Fernandópolis e Associação Amigos de Fernandópolis. Já foram habilitadas para as áreas do Distrito Empresarial VI, 36 empresas.

O Extra.net: Quantas áreas estão disponíveis às margens da Euclides da Cunha? Os interessados têm quanto tempo para iniciar a construção?

Wagner Kamiyama: Ao todo serão disponibilizadas 43 áreas, distribuídas em 112.833 mil metros quadrados. As empresas terão 6 meses para início das construções após liberação da escritura com encargos, sendo necessário a conclusão das construções em até 18 meses.

O Extra.net: Em relação à qualificação. Quais os requisitos para uma indústria se instalar no município?

Wagner Kamiyama: Depois de entregue a documentação obrigatória com o preenchimento do RISI completo, o Conselho Gestor do PRODESF analisará o interesse público existente na doação da área, respeitando os requisitos com os seguintes critérios: número de empregos gerados, previsão de faturamento, valor do investimento, área de atuação, plano de negócio, desenvolvimento de novos produtos e ou tecnologias, projeto de construção e outros aspectos correlatos à implantação de política de desenvolvimento sustentável.

O Extra.net: Qual a expectativa em relação à geração de empregos no Distrito Industrial VI?

Wagner Kamiyama: As empresas domésticas que migrarão para o Distrito Empresarial VI apresentam perspectiva de aumento de quadro de funcionários, pois pretendem expandir os negócios. As empresas habilitadas vindas de outras cidades terão, obrigatoriamente, que contratar funcionários no município, o que de imediato gerará novos empregos. O número exato de empregos que serão gerados não é possível precisar no momento, mas a perspectiva é de que serão geradas centenas de novas vagas de emprego para o município.

Wagner Kamiyama, secretário municipal de Desenvolvimento Sustentável 


últimas