COVID-19

Carreata de apoio ao retorno das atividades do comércio em Santa Fé do Sul é cancelada após pressão nas redes sociais

Carreata de apoio ao retorno das atividades do comércio em Santa Fé do Sul é cancelada após pressão nas redes sociais

Manifestação da sociedade nas redes sociais motivaram o cancelamento

Manifestação da sociedade nas redes sociais motivaram o cancelamento

Publicada há 1 mês

Da Redação

A carreata e buzinaço que estava sendo organizado para este sábado (28) em Santa Fé do Sul foi “abortada” por comerciantes, empresários e prestadores de serviços.

A manifestação aconteceria as 10h para sensibilizar os governantes a flexibilizassem seus decretos e assim promoverem o retorno das atividades na próxima semana.

Desde o dia 24 de março está vigente o Decreto Estadual que determinou a paralisação das atividades até o dia 7 de abril, exceto para alguns serviços essenciais.

O cancelamento da carreata segundo um comerciante que participaria da carreata foi a reação da sociedade nas redes sociais repudiando o movimento dos envolvidos.

Algumas postagens diziam que os participantes seriam filmados e fotografados, para no futuro serem responsabilizados pelos efeitos letais do coronavírus.

Também motivou o cancelamento da carreata as declarações do Prefeito Ademir Maschio, na tarde de sexta-feira (27) que está cumprindo o Decreto do Governo de São Paulo.

Poucos veículos se dirigiram até o local marcado para a carreata que foi cancelada.

Um comerciante manifestou sua preocupação, apelando para a situação que estes estão passando e que vão passar futuramente, diante também do tamanho do rombo que afetará os empregadores e empregados.

Outro empresários disse: “Uma carreata nesse momento vai contra as normas estabelecidas pela OMS – Organização Mundial de Saúde e da Vigilância Sanitária. Eu acredito que o comércio deverá ser aberto nas próximas semanas aos poucos e cumprindo todos os requisitos de prevenção. Acredito que assim, não haverá multas por parte da Prefeitura. Acredito eu. Vamos ver”.


Fonte: Informa Mais

últimas