SOLIDARIEDADE

Atiradores do Tiro de Guerra de Fernandópolis doam sangue no Hemocentro

Atiradores do Tiro de Guerra de Fernandópolis doam sangue no Hemocentro

Jovens também fizeram cadastro para doação de medula óssea

Jovens também fizeram cadastro para doação de medula óssea

Publicada há 1 mês

Atiradores fizeram as doações na segunda-feira, 6

Secom - Prefeitura de Fernandópolis

Vinte atiradores do Tiro de Guerra de Fernandópolis estiveram no Hemocentro do município na segunda-feira, 6, para doação de sangue e cadastro para doação de medula óssea. Essa ação acontece todos os anos e tem apoio da Prefeitura.

“Muitos doadores de sangue começam a praticar essa ação quando servem ao Tiro de Guerra, para nós isso é muito significativo, porque faz parte das ações de cidadania ajudar ao próximo”, destacou o chefe de instrução do Tiro de Guerra de Fernandópolis, 1° Sargento Adilson Alezando Mosquer.

É importante destacar que a doação de sangue é segura, mesmo em tempo de pandemia de coronavírus. Quem doa também pode ajudar a enfermeira fernandopolense, Lilian Alves de Lima, 33 anos, que está em tratamento contra leucemia e busca um doador de medula óssea compatível para um transplante.

Lilian foi diagnosticada com leucemia mieloide aguda há quatro meses. Além de esperar um doador de medula, ela também faz quimioterapia e várias transfusões de sangue. Quanto mais pessoas envolvidas, maiores são as chances de encontrar um doador rapidamente.

Funcionamento do Hemocentro de Fernandópolis:
Segunda a sexta-feira, das 8 às 17h; sábado, das 8 às 12h.

Para doar, você precisa: estar bem de saúde; apresentar um documento oficial com foto; ter de 16 a 69 anos de idade (menores devem estar acompanhados dos pais); homens devem pesar mais de 50 quilos e mulheres mais de 51 quilos; caso esteja tomando medicamentos, leve o nome.

últimas