81º ANIVERSÁRIO

Fernandópolis, a Capital Solidária sofre, sangra e chora, mas irá sobreviver à pandemia

Fernandópolis, a Capital Solidária sofre, sangra e chora, mas irá sobreviver à pandemia

Quiçá nos encontremos no 82º aniversário com muitas histórias e vitórias a celebrar

Quiçá nos encontremos no 82º aniversário com muitas histórias e vitórias a celebrar

Publicada há 1 semana


Vistá aérea do centro de Fernandópolis. Foto: fernandopolis.sp.gov.br

A Capital Solidária sofre, sangra e chora, mas irá sobreviver à pandemia

Hoje, 22 de Maio de 2020, era para ser um dia de festas. Ontem o show seria de Marília Mendonça; hoje da dupla Henrique & Juliano e amanhã Léo Santana e o aguardadíssimo DJ Alok. Isso afora eventos que certamente a Prefeitura promoveria. Infelizmente não será. Premidos pela crise sanitária de um lado e pela econômica de outro, encontramo-nos encurralados em busca de saídas e respostas inexistentes. Conciliar o imperioso isolamento social com normalidade nas atividades econômicas é impossível. Com celebrações públicas então... Beira o insulto! Resta-nos somente desejar à Capital Solidária, que tantos bons exemplos têm proporcionado neste crítico período de nossa história, e a toda sua população, que possamos no encontrar no 82º aniversário com muitos bons relatos para contar e muitas vitórias a celebrar. Sofreremos, sangraremos, choraremos, mas sobreviveremos!


Deputado: parece haver interesses escusos em todo esse processo. Foto: Divulgação Câmara dos Deputados

Pinato: cancelar o fechamento da Universidade Brasil é quase que um presente de aniversário 

Após decisão liminar judicial e ato do Ministério da Educação e Cultura cancelando a extinção do curso de Medicina no campus de Fernandópolis da Universidade Brasil, o deputado, afirmando que prevaleceu o bom senso, disse que a decisão foi crucial para a universidade e para o município. Segundo ele é possível viabilizar um Termo de Ajuste de Conduta-TAC que possa, simultaneamente, atender aos interesses da instituição, dos alunos, dos funcionários, da Justiça, da Polícia e do Ministério Público. “Entenderam que temos que separar a pessoa jurídica, a ser preservada, da pessoa física, que deve ser punida pelas ilicitudes cometidas. Quem errou tem que pagar, mas vamos tentar consertar a situação e manter os empregos e os milhares de estudantes”, afirmou o deputado, agradecendo a atuação do procurador da República de Jales Carlos Alberto dos Rio Junio e o delegado da Polícia Federal Cristiano Pádua da Silva.


Deputado parte para o ataque e fala em instalar uma CPI contra o ministro da Educação

Comemoração pela garantia do curso médico e também pela suspensão da apuração administrativa sobre a quantidade de alunos matriculados e acima do autorizado à parte, eis que o parlamentar fernandopolense partiu de vez para o ataque em defesa da instituição de ensino. Ele afirmou que estuda propor a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito-CPI na Câmara dos Deputados contra o atual ministro da Educação Abraham Weintraub, visando apurar eventual favorecimento por parte da área educacional do governo a outras instituições de ensino superior e que teriam interesses em fechar a universidade situada em Fernandópolis. Ele também afirma que deve incluir no pedido de apuração a atuação abusiva do MEC contra a Universidade Brasil, negando-lhe, muitas vezes, direito de defesa e cancelando cursos, numa atitude ilegal que muitas vezes foram revertidas em grau de recurso judicial.


Ainda não é um consenso mas caminha para, senão uma unanimidade, ao menos a formação de uma maioria ampla que já nos permite cravarmos dois seguros posicionamentos. O primeiro é que não haverá prorrogação dos mandatos dos atuais prefeitos e vereadores. Essa hipótese, que tempos atrás chegou a ser cogitada com força e tinha simpatizantes de envergadura, perdeu força a ponto de descartarmo-lá. O outro é que as datas inicialmente previstas na Constituição Federal (outubro e novembro) deverão sofrer mutações, pois há previsões de que até lá, dificilmente a crise sanitária estará resolucionada, quiçá equacionada a proporcionar um processo eleitoral com o mínimo de segurança para os eleitores. E, como defluência natural de ambos os posicionamentos, surge a voz majoritária atualmente e que parece irrigada de extremo bom senso: adiar o pleito municipal, dentro do atual mandato. A fórmula encontrada concentraria nos meses de novembro e dezembro (mais provavelmente somente neste último) toda a disputa majoritária e proporcional, encurtando o tempo entre os dois turnos (onde houver necessidade). Ministros do Tribunal Superior Eleitoral-TSE e cardeais no Senado Federal e Câmara dos Deputados já aderiram a esta tese e, brevemente, deve entrar em votação um Projeto de Emenda à Constituição com as alterações. 

Sem eventos e sem medalhasCompreensivelmente, as solenidades oficiais pelos 81 anos por parte do prefeito André Pessuto (foto) devem limitar-se ao hasteamento da bandeira, execução do hino e colocação de uma coroa de flores no busto do fundador Joaquim Antônio Pereira. Pelos idos da Câmara de Vereadores, até a Sessão Solene de entrega das Medalhas 22 de Maio foi cancelada. A entrega será feita individualmente por cada parlamentar.



O “inferno astral” de Walter FariaÉ... Tempos difíceis para o megaempresário fernandopolense. Preso preventivamente em Agosto passado e denunciado na Operação Lava Jato; após, colocado em liberdade, mediante pagamento de fiança de R$ 40 milhões. Recentemente vitimou-se pela Covid-19, ficando quase um mês internado, eis que agora, Faria viu a Justiça Estadual bloquear R$ 396 milhões de suas empresas, além da eliminação de benefícios tributários estaduais.


Oposição fernandopolense começa ganhar formato e não inclui candidatura a prefeito pelo PSDB

Ou estamos a pouco mais de quatro meses do pleito municipal ou, dependendo de novas datas a serem aprovadas, a pouco mais de seis meses. Cientes de que as condições atuais são inapropriadas para campanhas públicas presenciais e aglomerações de pessoas, dificultando os trabalhos de quem está na oposição, eis que esse grupo, ainda disperso e subdividido em vários postulantes, começa a ganhar corpo e individualizar suas lideranças. Atualmente os principais nomes cogitados para brigar com Pessuto pelos votos dos fernandopolenses são Henri Dias, Adélia Menezes e Renato Colombano. Por fora ainda correm Cabo Santos e o tucano José Carlos Zambon. Ambos com menores possibilidades. Mesmo nesse trio primeiramente enumerado há amplas possibilidades de que apenas um, no máximo dois, resista até o final do processo de escolha dos nomes.


Aeroportos da região serão privatizados22 aeroportos do Estado, sendo 13 unidades na região noroeste paulista, serão privatizados em dezembro deste ano, apesar da pandemia. A confirmação veio na terça, 12, através do governador João Doria. Estão inclusos na concessão os aeroportos de Rio Preto, Araçatuba, Andradina e até o aeródromo de Votuporanga. As unidades de Rio Preto e de Ribeirão Preto são as mais atrativas.


Rejeição chega a 50%. “Popularidade” derreteA pesquisa foi divulgada pela XP, que foi utilizada até mesmo pela direção da campanha do presidente, ou seja, não cabe questionamentos. O índice dos que avaliam o governo Bolsonaro como ruim ou péssimo subiu de 42% para 50%, enquanto que os que o consideram ótimo ou bom caiu de 31% para 25%. É a primeira vez que a avaliação negativa baixa dos 30%. Perigo à vista e aproximando.



últimas