POESIA

CASA

CASA

Um poema atual sobre um video de baixa qualidade mas feito com carinho

Um poema atual sobre um video de baixa qualidade mas feito com carinho

Publicada há 3 semanas

Por Rafael Dionizio

Vou aproveitar o silencio para deixar meus mais sinceros amores a todos que amam sem cessar

Por agora entendo a tamanha forca da natureza em nos amar, ela faz isso sem que percebemos, deixa seu ar, sua luz seus fluidos de vida adentrando permeando nosso corpo a fora, como uma flecha de energia pura e vital.

O som que emitimos ao dizer vida, não significa muito assim como a palavra amor o sentimento se materializa em atos e cria formas por si só, é algo independe dentro nos, acho q o amor fala muito sobre nossa humanidade.

Mas acho que o amor tem desdenhado seu caminho

Ao imaginar os lampejos da vida que são como raios, tão destrutivos que iluminam os olhos clareiam a mente e ecoam apenas por alguns segundos

Aquele trovão cujo esplendor assusta

Ainda sobre os lampejos, os raios duram pequenos instantes, mas esses marcam uma vida

Assim como ver uma estrela cadente e no final da luz de um meteorito sentir a gélida lagrima que escorre do seu rosto sem precedência

O amor é como um lampejo, seja bom ou não, ele passa por uma instância na sua vida, mas jamais se apaga ou se perde, permanece mesmo que quem o carrega caminhe longe.

Muito ignora as obviedades da existência, somos tão ligados uns aos outros tão intensos e diferentes...

Mas. A quem você guarda o folego? Porque cozinha com tanto carinho? Quem te faz pulsar vibrante e esperançoso?

A muita energia nas palavras, nas traduções orais, ouvir é um dom, a magia oriental preza muito a preciosidade de ... ouvir.

As vezes ouvimos para permanecer naquele presente, para amar aquela voz de ternura a cada instante.

Os instantes aqueles que nos marcam, as vezes para o bem, ou para o mal que vai gerar o bem.

 Sei que os sentimentos ficam quando quem amamos se vai, o amor nunca morre por mais confuso que seja ele está ali esperançoso querendo ouvir histórias alegres.

Mas sobre seus sorrisos, quais memorias tem guardado? Qual memoria tem cuidado e colocado para dormir com um beijo na testa.

Que vinho tem bebido?   Qual café tem lembrado a infância?   São tantos amores que cuidados...   No que você tem se entregado?

São tantas vidas que prezamos, devemos cuidar dos momentos, cuidar as conversas bobas apenas por companhia,

Cuidar e ...  Cuidar

O amar, deixo para todos meus atos, talvez seja essa uma das inúmeras explicações para existirmos. Somos um ciclo e um belo ciclo quando unido.

mas enquanto as lagrimas não passa, contagie amor, contagie esperança, pois no futuro próximo vamos abracar

e

 Amar cada instante desses minutos alegres.

E muito obrigado a todos que espalham o amor nesse presente.


Produção: Rafael Dionizio

Audio: The Album Leaf - Window / The Light - The Album Leaf

Créditos: Amanda Mori, Julia Araújo, Rayane Ponce, Raquel Dionizio, Bruna Abigail, Amanda Juste.

Instagram: @rafaferdio


VEJA A NARRAÇÃO DO POEMA


últimas