INFRAESTRUTURA

Prefeitura de Ouroeste abre concorrência para obras no Distrito Industrial II

Prefeitura de Ouroeste abre concorrência para obras no Distrito Industrial II

A prefeita Lívia e o vice Neno estiveram no local para vistoriar os trabalhos executados

A prefeita Lívia e o vice Neno estiveram no local para vistoriar os trabalhos executados

Publicada há 2 semanas

Da Redação 

A Prefeitura de Ouroeste publicou no último dia 3 de julho, o aviso de Concorrência Pública nº 002/2020 para contratação de empresa especializada para a construção de rede de água, rede de esgoto, elevatória, rede de água pluvial, pavimentação asfáltica, reciclagem asfáltica, guias e sarjetas, sinalização horizontal e vertical no Distrito Industrial II.

Já foi executado até o momento as obras de terraplanagem, de guias e sarjetas e asfaltamento da avenida Marginal do Distrito, além de parte da iluminação da via com lâmpadas de LED.

A prefeita Lívia Oliveira e o vice-prefeito Neno estiveram no local, na manhã da última quarta-feira, 8, para vistoriar os trabalhos já executados. “Estas obras visam garantir uma infraestrutura adequada ao Distrito Industrial II, além da valorização dos imóveis e empreendimentos do local, também garantirão conforto e segurança para todos que utilizam a via marginal, que atenderá toda população e visitantes no acesso às empresas”, disse a prefeita.

REDE DE ÁGUA

A rede de distribuição de água do Distrito Industrial II será interligada em rede existente, localizado na Rua Bartolomeu Bueno, esquina com Avenida dos Bandeirantes, e terá sua distribuição através de rede a ser construído em material PVC até atingir a entrada do loteamento. Será instalado um registro de gaveta na interligação da rede e outro na entrada do loteamento para fechamento total da água, mais dois registros internos, instalados nos pontos mais baixos para descarga. Para cada registro implantado no loteamento será construída uma caixa de proteção.

DRENAGEM

Estes serviços devem ser também providenciados pela empresa contratada, devendo ser executados conforme necessidade de execução da obra. A Prefeitura será responsável pela fiscalização da execução das valas, serviço a ser executado pela empresa contratada, que deverão ser escavadas mecanicamente com a utilização de escavadeira ou retroescavadeira hidráulica. A escavação deverá ser executada de acordo com profundidade estabelecidas no projeto e obter uma seção transversal trapezoidal na ordem de 1:0,5. O material de bota-fora deverá ficar em leiras de trincheiras a uma distância de segurança maior que 1,0 m da borda da vala, pois, servirão de material de repreenchimento. Todo reaterro de vala e transporte do material de bota-fora excedente ficará a cargo da Prefeitura.

As bocas de lobo serão duplas do tipo chapéu (com abertura na guia), com cavalete e tampões pré-moldados em concreto armado e dimensões conforme projeto. A laje de fundo deverá ser assentada sobre lastro de pedra britada na espessura de 0,15m. A construção será com alvenaria de tijolos comuns de barro, assentados com argamassa mista de cimento, cal hidratada e areia média sem peneirar no traço 1:4:8, incluindo emboço com argamassa de cimento e areia média sem peneirar 1:3, com espessura mínima de 2 cm.

ESGOTO

A estação elevatória de esgoto será construída em lote de 250,00m² doado a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) e terá sua interligação por Servidão de Passagem em área da Prefeitura Municipal de Ouroeste. O poço de sucção será executado em aduelas de concreto pré-moldado circular com diâmetro interno de 1,20m e profundidade de 3,48m.

Será equipado com duas bombas, sendo uma reserva, ficando a critério da Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), a mesma ficará instalada em laje de concreto fora do poço de sucção. A linha de recalque conduzirá os esgotos sanitários até o poço de visita existente na rua Brás Cubas, esquina com a Rua Augusto Bastos e encaminhados através de redes existentes até a Lagoa de Tratamento existente no município.

PAVIMENTAÇÃO

A pavimentação asfáltica irá obedecer a especificação dos serviços em CBUQ, conforme normas da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) e DNIT (Departamento de Infraestrutura de Transporte) vigentes.

Antes do início dos serviços e após a preparação do terreno é obrigatória pela empresa vencedora da licitação, a execução de trecho experimental, que deve possuir no mínimo 150 metros e cobrir a largura da faixa ou a metade da largura da pista a reciclar. Após comprovação da espessura das camadas e a aceitação da mistura, por atender aos limites definidos nesta especificação pela fiscalização, a reciclagem pode ter seu início.

No caso de rejeição dos serviços no trecho experimental, por desempenho insatisfatório quanto aos limites especificados nos ensaios ou incorreção na espessura reciclada, o trecho experimental deve ser refeito, as expensas do contratado. Devem ser definidos, durante a execução do trecho experimental, os tipos de equipamentos, a técnica de compactação mais adequada, o número de coberturas necessárias à obtenção do grau de compactação especificado.

A prefeita Lívia Oliveira e o vice-prefeito Neno estiveram no local, na manhã da última quarta-feira, 8, para vistoriar os trabalhos já executados

últimas