CLIMA

Frio surpreende pecuaristas e causa morte de gado em MT

Frio surpreende pecuaristas e causa morte de gado em MT

Relatos apontam que centenas de animais morreram por causa das baixas temperaturas

Relatos apontam que centenas de animais morreram por causa das baixas temperaturas

Publicada há 3 semanas

Relatos apontam que centenas de animais morreram por causa das baixas temperaturas - Foto: Amauri Nazário Pinheiro

Da Redação

A onda de frio que atingiu o Brasil nesta semana avançou pelo Centro-Oeste e provocou estragos em fazendas de Mato Grosso. Segundo relatos de pecuaristas das cidades de Reserva do Cabaçal e Salto do Céu, no sudoeste do estado, o frio que fez na madrugada de sábado para domingo, 23, vitimou diversos bovinos da raça nelore.

“Essas duas cidades, que ficam em uma região mais alta, há relato de sensação térmica na casa do 0 °C, algo extremamente incomum aqui em Mato Grosso. Pelo que eu soube, foram vários casos registrados nessas duas localidades”, disse o presidente do Sindicato Rural de São José dos Quatro Marcos (MT), Alessandro Casado.

Para o criador de gado nelore P.O (Puro de Origem), Amauri Nazário Pinheiro, a manhã foi de choque na Fazenda Iruama, em Reserva Do Cabaçal. Ao sair para ver os animais, encontrou 12 já sem vida e outros oito deitados. “Nós encontramos esses animais mortos por causa do frio. Os que ainda estão vivos, estamos aplicando remédio para ver se levanta, mas é certo que desses oito, pelo menos quatro ou cinco devem morrer”, disse.

Segundo o criador, o prejuízo até agora registrado é de R$ 150 mil.

Segundo ele, os casos foram generalizados na cidade. “No meu vizinho de frente, 27 bovinos morreram de frio. No outro vizinho, contaram até agora 21, em outra propriedade foram cinco e, em uma fazenda mais perto da estrada, mais dois. Acredito que apenas por esses casos próximos, tivemos pelo menos 100 animais que morreram de frio na cidade, já que tem muita gente nem sabe que perdeu gado, pois nunca houve isso aqui”, comentou.

O pecuarista diz que os animais que morreram foram os mais novos e que estavam em campo aberto. “Nessa propriedade, não temos mata junto ao pasto, a não ser na beira do córrego, onde é ainda mais frio. Os animais que morreram, certamente ficaram expostos ao vento e ao frio, algo que nunca ocorreu aqui. Tanto é, que em outra propriedade que temos, os animais conseguiram se abrigar na mata e não houve nenhum caso.”

Caso a previsão do tempo indique mais frio como esse, Amauri informou que pretende levar o gado para a propriedade que tem mais proteção dos ventos. No entanto, a previsão é de aumento na temperatura e outra friagem como essa não deve acontecer tão cedo. “O sol já está saindo e está esquentando bem aqui. Mas se voltar a ter um frio como esse, pretendo levar os animais para a outra propriedade ou fechar em um curral, com lona para proteger durante a noite”, finalizou.

“Nunca vimos isso antes”

O criador José Ginevaldo Vitório, da fazenda Recanto das Águas, também foi surpreendido pela morte de cinco animais da raça nelore. Em sua fazenda, o rebanho de 350 bovinos sofreu com a queda brusca de temperatura. “Nunca vimos isso antes. Perdemos cinco vacas da raça nelore, mas tivemos vizinhos que foram muito mais impactados. Tivemos relatos de produtor que tem de 50 a 60 animais em confinamento, e que perderam até 20 animais”, contou.

Segundo o pecuarista, em um raio de 20 quilômetros de sua propriedade, pelo menos 200 animais morreram com o frio, sobretudo bezerros de dois anos e meio a três anos. Além dos animais de rebanho, foram encontrados animais silvestres sem vida no campo. “O frio foi tão intenso, que eu encontrei um porco espinho, conhecido como Luis Caxeiro, sem vida no campo. Também morreram garças, passarinhos e até morcegos”, finalizou.


Fonte: Canal Rural



últimas