ENTRELINHAS

Câmara de Fernandópolis é a “mais custosa” para a população em toda região

Câmara de Fernandópolis é a “mais custosa” para a população em toda região

Comparativo entre as cidades de maior porte do noroeste paulista

Comparativo entre as cidades de maior porte do noroeste paulista

Publicada há 1 ano

Da Coluna Entrelinhas

Câmara de Fernandópolis é a “mais custosa” para a população em toda região

Vereadores fernandopolenses: Câmara tem custo per capita superior às demais similares. Foto: Arquivo Jornal O Extra.net

Um levantamento feito pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE-SP) mostra que dentre todos os 644 legislativos municipais pesquisados (excluiu o da capital paulista) consumiram no período de 12 meses um montante de R$ 2.890.383.896,39. Na média per capita (gastos das Câmaras com custeio e pagamentos de pessoal dividido pelo número de habitantes) tais parlamentos custam R$ 85,85 por habitante.

A Câmara mais cara do Estado, como não poderia deixar de ser, fica na região: Aspásia, que totaliza R$ 723.795,96 – é 202,5% maior que a arrecadação do município.

Comparando-se os municípios de maiores portes do noroeste paulista, o Legislativo fernandopolense é o mais caro. Com 13 vereadores, ele teve despesas de mais de R$ 4,5 milhões no período, resultando num custo per capita de R$ 66,35 (população de 69 mil habitantes). Votuporanga, com 15 vereadores e 94 mil habitantes custa R$ 56,71 para cada munícipe de lá; os 10 vereadores de Jales custam R$ 49,26 (49 mil moradores) e os nove de Santa Fé do Sul R$ 42,28 para cada qual dos 32 mil habitantes.

Os gastos per capita fernandopolenses superam até mesmo os da Câmara de Rio Preto. Lá, os 17 parlamentares custam R$ 48,52 para cada qual dos 460 mil residentes.

Quer ler a Coluna Entrelinhas na íntegra?

Clique aqui!

últimas