ENTRELINHAS

Walter Faria: de 7º mais rico em 2017 para 17º em 2020

Walter Faria: de 7º mais rico em 2017 para 17º em 2020

Confira também: Decorrido 28% da campanha, pleito de 2020 é a “Eleição Fantasma”

Confira também: Decorrido 28% da campanha, pleito de 2020 é a “Eleição Fantasma”

Publicada há 1 ano

Decorrido 28% da campanha, pleito de 2020 é a “Eleição Fantasma”

Urna eletrônica. Imagem: Ilustração/TSE

Quatorze dias de campanha, de um total de 50, o que no calendário eleitoral atual corresponde a praticamente 28% do total, e dá para adjetivar o atual pleito como uma “Eleição Fantasma”, ou seja, aquela que até agora, parcos viram, poucos ouviram e menos ainda participaram.

Óbvio que a prevalência das restrições sanitárias há que ser priorizada por todos os candidatos que tiverem um mínimo de seriedade e respeitabilidade com a vida e a saúde alheia, mas convenhamos que nem aqui e nem na região um único candidato sequer encontrou a fórmula mágica para conciliar as restrições pandémicas às necessidades de uma campanha de porte.

Evidentemente, como apontam os especialistas políticos, essa baixa temperatura eleitoral (contrapondo às altas temperaturas dos termômetros) há de beneficiar os concorrentes mais conhecidos, mais populares e sobretudo aqueles que já ocupam cargos eletivos; ou seja, a contrario sensu quem deve empiricamente encontrar a “fórmula da vitória” são os oposicionistas.

Que tarefa!

André é “O Administrador”; Henri “O Crítico” e Colombano “O Propositor”

Arte com os três concorrentes ao cargo máximo de Fernandópolis. Fonte: Jornal O Extra.net

Inobstante a aparente letargia, pelas manifestações públicas e privadas dos pleiteantes fernandopolenses dá para abstrair algumas ilações que, ao menos nesse início de campanha, podem caracterizá-los, mais como um facécia que com outros objetivos.

Pelos idos do recandidato André Pessuto, a aposta é concentrada em seus feitos administrativos. Há farto material publicitário enaltecendo obras (asfaltamento e recape prioritariamente), aquisições (veículos, maquinários e equipamentos escolares) e outros, tentando vincular sua imagem à de um administrador moderno, que resolveu problemas que infligiam a cidade há décadas, ou seja e pejorativamente, qualificando a sua imagem como “O Administrador”. Claro que pelo decorrer da campanha e as flutuações das pesquisas a prioridade pode ser alterada.

Já o advogado Henri Dias tem sido, direta ou indiretamente (através de assessores ou simplesmente simpatizantes), o mais contundente. Em suas passagens por empresas e em discursos com populares sempre inclui múltiplas críticas à atual gestão, mixando-as com propostas de seu futuro governo. Não que tenha, até agora, ultrapassado os limites da ética e do bom senso político; longe disso. Mas tais atos imprimem-lhe a característica de principal crítico oposicionista à atual administração, fazendo-nos, por analogia e similarmente ao que fizemos com André (abusando da pejorativa), adjetiva-lo, nesse início de campanha, como “O Crítico”. Também vale idêntica observação: o sobe e desce nas pesquisas eleitorais podem levá-lo a intensificar tal prática ou até mesmo a demovê-la por completo, mudando sua imagem.

Por fim o empresário Renato Colombano vem cumprindo à risca o papel inicialmente estipulado: realizar uma campanha propositiva, desvinculando-se dos polos “governistas” ou “oposicionistas” e praticando uma disputa onde poderíamos, utopicamente, denominá-lo como “O Propositor”, colocando-se como um elo entre os problemas da população e da cidade e a resolução deles por parte da Prefeitura, sempre apresentando uma proposta. Resta saber se manterá, até 15 de Novembro, similar posicionamento.

Logicamente que se trata de uma observação inicial a respeito do comportamento prevalecente de cada qual dos candidatos. Mutações circunstanciais são uma constância!

Walter Faria: de 7º mais rico em 2017 para 17º em 2020

O empresário Walter Faria fez fortuna no ramo cervejeiro. Foto: Estadão Conteúdo/AE/Valéria Gonçalves

Ele teve seu melhor desempenho em 2017, quando, com fortuna avaliada em R$ 11,02 bilhões, ocupou o sétimo posto de maior bilionário do país. Ano passado ele estava na 19ª colocação com riqueza estimada em US$ 3,2 bilhões.

Agora, em 2020, em uma publicação da Forbes com dados de 2019 atualizada em Fevereiro deste ano e divulgada no site Wikipédia, o empresário fernandopolense surge na 17ª colocação com fortuna estimada em US$ 2,5 bilhões.

Aliás, a revista, na edição de Setembro, divulgou a relação dos 10 mais ricos do país, que tem a seguinte sequência:

1 - Joseph Safra: R$ 119,08 bilhões (setor financeiro)

2 - Jorge Paulo Lemann: R$ 91 bilhões (bebidas e investimentos)

3 - Eduardo Saverin: R$ 68,12 bilhões (internet)

4 - Marcel Herrmann Telles: R$ 54,08 bilhões (bebidas e investimentos)

5 - Carlos Alberto Sicupira e família: R$ 42,64 bilhões (bebidas e investimentos)

6 - Alexandre Behring: R$ 34,32 bilhões (investimentos)

7 - André Esteves: R$ 24,96 bilhões (setor financeiro)

8 - Luiza Trajano: R$ 24 bilhões (varejo)

9 - Ilson Mateus: R$ 20 bilhões (varejo)

10 - Luciano Hang: R$ 18,72 bilhões (varejo).

Relembrei a frase do escritor Mia Couto: ”a maior desgraça de uma nação pobre é que, em vez de produzir riqueza, produz ricos”.

SP: a locomotiva reagindo aos poucos

De acordo com estudo do Seade, entre Julho e Agosto, o número de empregos formais no Estado de São Paulo ampliou 0,6%. As 397 mil admissões ocorridas superaram os 333 mil desligamentos, o que resultou na geração de 65 mil empregos.

De janeiro a agosto, houve decréscimo de -279 mil empregos no Estado (-2,3%), o que corresponde a 33% da redução de postos de trabalho formais no Brasil (-849 mil, ou -2,2%). 

Os setores do comércio e serviços acumulam as maiores perdas no ano. As atividades paulistas que geraram mais empregos foram a agropecuária (66 mil) e a construção (10 mil).

Municípios perderam R$ 3,7 bilhões com a pandemia

A informação é da Confederação Nacional dos Municípios (CNM): os principais tributos de competência municipal - Imposto Sobre Serviços (ISS), Imposto sobre Propriedade Territorial Urbana (IPTU) e Imposto sobre a Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) - somam queda de 14,35% de abril a junho de 2020 em comparação ao mesmo período de 2019. Assim, os Municípios arrecadaram R$ 3,76 bilhões a menos apenas no segundo trimestre do ano.

Em quantia total, o maior impacto foi no ISS, que representa valores mais expressivos para os Municípios brasileiros. Com isso, a redução de 14,9% no período representou menos R$ 2,4 bilhões para os cofres locais. Em seguida, a queda de 10,1% na arrecadação do IPTU equivale a menos R$ 718,4 milhões. Já o ITBI caiu 22,1% - ou R$ 609,1 milhões - no segundo trimestre deste ano em relação ao de 2019.

Bloody Thursday: 08/10/2020!

Muito provavelmente a pior quinta-feira para a região, desde o início da pandemia, foi registrada nesta semana (na real as 24h00 entre quinta e sexta contadas a partir das 12h00).

Mais que as cinco mortes apuradas (e atribuídas) a Fernandópolis, a Santa Casa local registrou mais duas: um de Ouroeste e outro de Estrela d´Oeste. Em comum entre as vítimas, todas tinham mais de 70 anos e cinco portavam comorbidades (o que não atenua a gravidade).

E pode até ter sido mais, dependendo da confirmação da entidade de saúde com relação a outro caso, que subiria as estatísticas para oito.

É um índice altíssimo, assustador, e que somente um estudo sanitário isento e qualificado pode atribuí-lo – ou não – à reabertura comercial e à parca fiscalização (e inexistência de punições).

Cada qual tem suas conclusões.

“Boiada” de R$ 10 bilhões de Doria não passa

O governador Doria e o deputado Carlão, o relator da proposta na Alesp. Foto: Arquivo Jornal O Extra.net/Alesp

Ao menos não nesta semana!

Mais uma vez o projeto do governador que prevê vendas e extinções de estatais no valor de R$ 10 bilhões, além de acréscimo em descontos no Iamspe e alienação de parques estaduais não entrou em votação por falta de quórum.

A proposta, rechaçada por associações, tem recibo críticas da oposição e é vítima de seguidas obstruções e tem por objetivo, segundo o governo estadual, reestabelecer o equilíbrio financeiro nos cofres públicos.

Lembrando que o projeto é relatado pelo deputado estadual Carlão Pignatari, de Votuporanga, que defende as propostas de João Doria com “unhas e dentes” .

Entre as empresas e autarquias que podem ser extintas estão a Fundação para Remédio Popular (Furp) e a Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado (CDHU). Dentre os parques estaduais está o de parte da Floresta Estadual do Noroeste Paulista, que fica entre Rio Preto e Mirassol.

- Mais R$ 3 bilhões até Dezembro. O governo de São Paulo transferiu R$ 508 milhões para os 645 municípios do Estado referente ao repasse do ICMS. No ano o governo estadual já depositou mais de R$ 20 bilhões aos municípios, sendo que até o final de 2020 a previsão é repassar às Prefeituras mais R$ 3 bilhões.

- LGBT na disputa municipal. – O TSE informou que, ao todo, 532.871 brasileiros se candidataram aos cargos de prefeitos, vices e vereadores. Desses, apenas 585, ou 0,1% do total pertence à comunidade LGBTI+. O levantamento é do “Programa Voto com Orgulho”.

- 27% estão off! Pesquisa realizada pela Alshop (Associação Brasileira de Lojistas de Shopping) mostra que 27% dos consumidores não pretendem comprar presentes no Dia das Crianças, enquanto 73% pretendem comprar algo. Entre os itens mais procurados estão os brinquedos com 49%, seguido de livraria e papelaria com 12%, materiais esportivos com 2%, cosméticos e maquiagem com 2% e alimentos e bebidas, também com 2%. O valor do tíquete médio fica entre R$ 50,00 e R$ 100,00.

- Só notícia boa! A inflação oficial de Setembro ficou em 0,64%, a maior taxa para esse mês desde 2003. Com o resultado, a inflação segue abaixo da meta central do governo para o ano, que é de 4%, porém agora acima do piso para 2020, que é de 2,5%. Vilões: alimentos e gasolina (que tem preços controlados pelo governo).

- Adeus do procurador federal. O procurador da República em Jales, José Rubens Plates, transferido para a Comarca de Franca, despediu-se oficialmente da cidade na última segunda, 05. Plates permaneceu na Procuradoria Federal de lá por mais de seis anos, respondendo por mais de 40 municípios da região.

"Vejo aqui na minha página de Facebook: 'Bolsonaro nunca mais, você é corrupto'. Posso falar palavrão aqui? Puta que o pariu, não fode, porra! Desculpa a linguagem aí. Fala merda o tempo todo, não sabe o que acontece, pô!"

Do presidente durante a sua já tradicional live das quintas-feiras, respondendo, sem muita paciência, um internauta.

10 de outubro é o 283.º dia do ano no calendário gregoriano (284.º em anos bissextos). Faltam 82 para acabar o ano. É o Dia Mundial da Saúde Mental e Contra a Pena de Morte e Dia Nacional de Luta contra a Violência à Mulher

Acontecimentos:

680 — O neto de Maomé, Huceine ibne Ali, é decapitado pelas tropas do califa Iázide I.

1780 — O Grande furacão de 1780 mata de 20 000 a 30 000 pessoas no Caribe.

1845 — A Escola Naval dos Estados Unidos é inaugurada.

1913 — O presidente dos Estados Unidos, Wilson, desencadeia a explosão do dique de Gamboa, completando uma grande construção no canal do Panamá.

1957 — O incêndio de Windscale resulta no pior acidente nuclear da Grã-Bretanha.

2015 — Duas bombas explodem na capital turca Ancara matando 102 pessoas e ferindo outras 400.

Nascimentos:

1680 — John Campbell, 2º Duque de Argyll (m. 1743).

1684 — Antoine Watteau, pintor francês (m. 1721).

1825 — Paul Kruger, político sul-africano (m. 1904).

1892 — Earle Dickson, inventor estadunidense (m. 1961).

1913 - Claude Simon, escritor malgaxe-francês (m. 2005).

1924 - Ed Wood, cineasta estadunidense (m. 1978).

1956 - Miguel Falabella, ator, apresentador e diretor brasileiro.

1972 - Marcelo Negrão, ex-voleibolista brasileiro.

1976 — Bob Burnquist, skatista brasileiro.

Falecimentos:

1531 — Ulrico Zuínglio, teólogo suíço (n. 1484).

1985 - Orson Welles, cineasta e ator estadunidense (n. 1915).

1999 — João Jorge Saad, empresário de comunicação brasileiro (n. 1919).

2004 — Christopher Reeve, ator estadunidense notabilizado pela interpretação do Superman (n. 1952).

2010 — Solomon Burke, cantor e compositor estadunidense (n. 1940).

Fonte: Wikipédia






últimas