FERRO

Com medalha de ouro para todos atletas, equipe Movimento é destaque mais uma vez em Campeonato Brasileiro

Com medalha de ouro para todos atletas, equipe Movimento é destaque mais uma vez em Campeonato Brasileiro

Competidores de Fernandópolis estiveram em Catanduva no último final de semana

Competidores de Fernandópolis estiveram em Catanduva no último final de semana

Publicada há 2 semanas

 

Equipe da Academia Movimento competiu em Catanduva

Jorge Pontes

E quando a gente cita que se tornou um clichê dizer que a equipe Movimento de Powerlifting (Levantamento De Peso) de Fernandópolis) ganhou alguma competição não é exagero ou excesso de preciosismo.

São fatos.

Mais uma vez os competidores provaram que Fernandópolis já é uma referência no esporte ainda pouco valorizado no Brasil. Além de todos os competidores terem conquistado medalhas de ouro no último final de semana, o destaque ficou por conta do líder da equipe que quebrou mais um recorde brasileiro. 

No sábado, 7, a equipe de Fernandópolis participou do Campeonato Brasileiro organizado pela FPLBI com sete atletas. Todos foram campeões. Por isso, se tornou pleonasmo falar da equipe fernandopolense de Levantamento de Peso e de vitória na mesma frase.

Leonam Augusto Egas no Lev. Terra com 210kg, Monique Carla no Lev. Terra com 130kg, Lázaro Neto no Lev. Terra com 140kg, Fábio Júnior no Lev. Terra com 145kg, Márcio Henrique Cajuela no Lev. Terra com 220kg, Rodolfo Almeida no Power Bicesps com 80kg e Aparecido Júnior, atleta sênior que levantou nada mais nada menos que 235kg no levantamento Terra.

Além da vitória ele bateu seu próprio recorde que era de 230kg na GPC Brasil e ainda bateu o recorde nacional da FPLBI na sua categoria.

Aparecido Júnior, o Juninho da Academia Movimento é considerado o pai do powerlifting em Fernandópolis, por ter iniciado a prática do esporte em Fernandópolis na década de 90 e influenciado vários atletas a começar no esporte.

“Pra mim é um prazer poder competir em alto nível até hoje. É um esporte que assim como os demais eu vejo que funciona mais que muitos programas sociais. Vejo competidores que encontraram no levantamento de peso uma motivação na vida. Já tivemos atletas com passagem pela Fundação Casa. Atletas com alguma deficiência enfim. O que mais me motiva não é nem as vitórias, mas sim o grande efeito positivo na vida das pessoas”, ressaltou Juninho.

Segundo ele, o recorde deverá ser quebrado mais uma vez. “Jamais podemos nos acomodar. Agora a meta é bater os 250kg”, concluiu.

últimas