SALVO

Facção criminosa já havia decidido penas de casal resgatado pela polícia; homem seria enterrado vivo

Facção criminosa já havia decidido penas de casal resgatado pela polícia; homem seria enterrado vivo

A mulher dele, que é travesti, morreria com um tiro no rosto

A mulher dele, que é travesti, morreria com um tiro no rosto

Publicada há 1 mês

Da Redação

Um homem de 35 anos, que foi resgatado nesta terça-feira (24), do chamado “Tribunal do Crime”, por policiais militares, em Araçatuba, seria torturado e depois enterrado vivo. A companheira dele, uma travesti de 29 anos, seria morta com um tiro no rosto.

As punições foram determinadas pela facção criminosa PCC. Os detalhes foram obtidos pela reportagem do sbtinterior.com.

Quando foi levado de casa, o homem de 35 anos sabia que seria executado. Durante todo o trajeto de carro, os dois homens que estavam com ele disseram que ele seria “picado”com uma faca. Enquanto isso, no outro veículo, três pessoas que acompanhavam a travesti disseram que além de torturado, o homem seria enterrado vivo. Já a travesti teria uma morte “menos sofrida”, e seria executada com um tiro no rosto.

Na delegacia, o homem sequestrado identificou outras quatro pessoas que também estariam envolvidas com o sequestro e tentativa de execução. Já a companheira dele se recusou a indicar qualquer envolvido, com medo de represarias.  

Os dois homens que estavam no veículo branco tiveram a prisão em flagrante convertida para preventiva e permanecem presos. Os outros envolvidos ainda não foram localizados.

O CASO

Segundo informações confirmadas pela Polícia Militar, um grupo de criminosos foi até a residência do casal, no bairro Jussara, e começaram a agredir o homem de 35 anos com uma barra de ferro. Em seguida, arrastaram a vítima para dentro de um Volkswagen/Gol branco, e fugiram.

Enquanto o homem gritou por socorro, a companheira dele fez várias ligações para a polícia pedindo ajuda. Vizinhos também ligaram, em um total de seis chamadas. Porém, antes da chegada dos policiais, a travesti também foi sequestrada e obrigada a entrar em um Volkswagen/Gol preto, que seguiu logo atrás do veículo branco.

Quando a polícia chegou à residência, testemunhas falaram apenas sobre o Gol branco e indicaram a direção do carro, sentido bairro-centro. Os policiais seguiram a mesma direção e avistaram o veículo. Começou então uma perseguição, mas o Gol sofreu uma pane mecânica e acabou parando. 

Quando o veículo parou, a vítima começou a gritar pedindo ajuda. Os policiais prenderam os dois homens que estavam com ele no carro e apreenderam uma barra de ferro. Nesse momento, o Gol preto estava se aproximando e, ao ver a polícia, a companheira da primeira vítima, que também tinha sido sequestrada, pulou do carro. Mas os bandidos que estavam com ela conseguiram fugir.

As duas vítimas foram levadas para o pronto-socorro e os dois suspeitos presos e levados para a delegacia. Para os policiais, o homem sequestrado contou que já cumpriu pena de 15 anos de prisão por roubo e tráfico de drogas. Disse também que, durante o período em que ficou preso, fez parte do PCC, mas teria deixado a facção criminosa e ainda tinha dívidas com a organização.

Além disso, os integrantes do PCC não aceitariam o relacionamento amoroso dele com uma travesti. Por isso, ele estaria “jurado de morte”.


Fonte: SBT Interior

últimas