CARTEIRA

Fernandópolis retoma saldo positivo anual na geração de empregos

Fernandópolis retoma saldo positivo anual na geração de empregos

Após queda devido à pandemia do coronavírus, município mostra recuperação

Após queda devido à pandemia do coronavírus, município mostra recuperação

Publicada há 1 mês

Gustavo Jesus

Dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) mostram mais um mês de recuperação do emprego com carteira assinada em Fernandópolis.

De acordo com os dados do Ministério da Economia, em setembro foram admitidos 618 trabalhadores com carteira registrada e foram desligados 422. O saldo foi de 196 postos de trabalho.

O saldo positivo na geração de empregos mantém a sequência estabelecida a partir do mês de julho, quando os postos de trabalho começaram a mostrar recuperação após o impacto da pandemia do novo coronavírus.

Entre abril e junho, meses onde houve o fechamento de empresas de diversos segmentos e a interrupção de suas atividades, Fernandópolis perdeu 791 postos de trabalho com carteira assinada.

O saldo positivo mês a mês retornou em julho – antes houve crescimento em fevereiro e março -, quando 64 empregos foram criados. Em agosto e setembro foram criadas 96 novas vagas.

Mesmo com a recuperação, no acumulado do ano fechado em setembro eram 45 vagas a menos do que em janeiro.

Com os números de outubro, o saldo agora é positivo, com 5.241 admissões e 5.091 desligamentos, gerando um superávit anual de 150 empregos com carteira assinada, uma variação positiva de 0,97%. O município conta com 16.652 trabalhadores formais.

NA REGIÃO

O destaque entre as grandes cidades da região ficou, até o mês de outubro, com Votuporanga. Por lá, o saldo positivo é de 681 vagas, com 9.479 admissões e 8.798 demissões. A variação ficou em 2,57%, totalizando 27.131 trabalhadores com carteira assinada.

Além de Fernandópolis e Votuporanga, apenas Jales apresentou números positivos na geração de empregos entre as grandes cidades da região, com saldo de 56 vagas. Foram 2.482 admissões e 2.426 demissões e variação positiva de 0,54%. O município emprega 10.473 trabalhadores formais.

Santa Fé do Sul oscilou negativamente, perdendo 446 postos de trabalho, com a maior variação negativa da região (-6,35%), contando com um estoque de 6.580 vagas. Rio Preto também sentiu o baque da pandemia e perdeu neste ano 2.860 empregos formais, com variação negativa de 2,09% e 134.080 trabalhadores com carteira assinada.

BRASIL

Pelo quarto mês consecutivo, o saldo de geração de empregos ficou positivo. Foram criadas 394.989 vagas com carteira assinada em outubro, resultado de 1.548.628 admissões e de 1.153.639 desligamentos.

O estoque, que é a quantidade total de vínculos ativos, em outubro chegou a 38.638.484, variação de 1,03% em relação ao mês anterior. No acumulado do ano, o saldo é negativo em 171.139, decorrentes de 12.231.462 admissões e de 12.402.601 desligamentos.

últimas