VOLTOU ATRÁS

Após “tratoraço”, mudanças nas alíquotas do ICMS são revogadas

Após “tratoraço”, mudanças nas alíquotas do ICMS são revogadas

Antigo decreto também aumentaria o imposto de medicamentos genéricos

Antigo decreto também aumentaria o imposto de medicamentos genéricos

Publicada há 1 mês

Trabalhadores rurais durante protesto realizado em Fernandópolis no último dia 07 - Foto: Gustavo Jesus

Yago Araújo

Em texto publicado no Diário Oficial do Estado nesta sexta-feira, 15, foi confirmado o decreto assinado pelo governador João Dória revogando as mudanças nas alíquotas de ICMS para o setor de hortifrútis, insumos agropecuários e energia elétrica, para os produtores de São Paulo. Mudanças também previam aumento do imposto para medicamentos genéricos.

A revogação é confirmada uma semana após um “tratoraço” ser realizado por representantes do setor agropecuário em cerca de 300 cidades do estado. Em Fernandópolis, a manifestação aconteceu na última quinta-feira, 07, e reuniu mais de 70 veículos em protesto ao aumento do imposto.

Com o aumento, os alimentos básicos como carne, leite, vegetais e frutas poderiam sofrer aumento de até 13%, e os medicamentos poderiam ficar até 5% mais caros.

O presidente do Sindicato Rural de Fernandópolis, Marcos Mazeti divulgou uma declaração agradecendo o apoio dos produtores e empresários rurais na manifestação realizada no último dia 07. 

Confira a mensagem de agradecimento na íntegra:

"É com satisfação que o Sindicato Rural de Fernandópolis agradece a participação dos produtores e empresários rurais na nossa legítima manifestação no dia 07 p.p, obrigando o Governo do Estado de São Paulo a recuar no aumento das alíquotas do ICMS nos produtos e insumos agropecuários. Com a nossa organização e apoio da classe nos tornamos mais fortes deixando claro a grande importância de uma entidade de respeito e liderança. Unidos, nossa reivindicação foi ouvida e atendida pelos nossos deputados representantes e Governo Estadual. Obrigado produtores rurais por mais esse voto de confiança, o nosso Sindicato estará sempre à disposição para fazer valer nossos direitos."

últimas