CRIME

Estagiária de 17 anos recebe vacina e causa polêmica em Urupês

Estagiária de 17 anos recebe vacina e causa polêmica em Urupês

Estudante de Técnica em Enfermagem de 17 anos foi denunciada após postar sua foto na internet sendo vacinada

Estudante de Técnica em Enfermagem de 17 anos foi denunciada após postar sua foto na internet sendo vacinada

Publicada há 1 mês

Da Redação

A Prefeitura de Urupês registrou a primeira denúncia de suspeita de "fura fila" na vacinação contra o coronavírus da região. Uma adolescente de 17 anos, estagiária do curso de Técnica em Enfermagem, foi denunciada na quinta-feira, 21, após postar uma foto em rede social sendo vacinada. A Secretaria Municipal de Saúde da cidade diz que tudo foi um equivoco.

Pelos critérios de autorização de uso emergencial da vacina Coronavac, aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), não está autorizada a aplicação em menores de 18 anos porque o medicamento ainda não foi testado em adolescente e crianças.

A adolescente faz estágio em um posto de saúde da rede pública de Urupês. O local não é um centro especializado de atendimento de contaminados pela covid-19. Na quinta-feira, 21, a jovem teria acompanhado uma equipe de funcionários do ponto de vacinação da cidade.

Quando estava prestes a ser vacinada, a estagiária pediu para uma colega de trabalho tirar uma foto pelo celular. Logo em seguida, ela postou nos stories do Instagram, com a seguinte legenda "aqui não covid", com uma ilustração de seringa.

Pouco tempo depois, três pessoas "printaram" a publicação da jovem e denunciaram nas redes sociais da Prefeitura. Imediatamente o caso começou a ser apurado pela Secretaria de Saúde. Depois foi apurado que a estagiária foi vacinada sem apresentar carteira de vacinação, segundo alega a prefeitura.

Por meio de nota, a Prefeitura alega que na sexta-feira, 22, os profissionais que trabalham com pacientes suspeitos de covid-19 também receberam a imunização. Nesta equipe, também presta serviço a funcionária que cursa, atualmente, Técnico em Enfermagem.

"A referida, desconhecendo as indicações das autoridades de saúde da necessidade de possuir 18 anos ou mais para ser imunizada contra a COVID-19, solicitou receber também a dose da vacina, uma vez que ela faz parte da equipe técnica de enfermagem. Como de costume, as profissionais que estavam realizando a imunização solicitaram o cartão SUS antes do ato. Contudo, ela alegou não ter em mãos o cartão naquele momento, e que, após receber a dose, o buscaria imediatamente junto aos seus pertences. Desta forma, a dose foi aplicada. Uma vez que a referida funcionária entregou o cartão SUS é que foi averiguado que a mesma possuía 17 anos e 4 meses".

De acordo com a Prefeitura, em nenhum momento houve má-fé no ato, e a funcionária somente foi vacinada dessa forma por compor a equipe técnica de enfermagem e por se acreditar que a mesma possuía mais de 18 anos.

Após tomar conhecimento do fato de que era necessário ter mais de 18 anos para ser imunizada, a estagiária teria excluído a publicação.

A Secretaria de Saúde afirma que o caso não acarretará em falta de vacina para qualquer pessoa, uma vez que, o número de doses solicitadas já incluía esta funcionária, já que a mesma fazia parte da equipe técnica.

A Prefeitura diz que vai consultar a Secretaria de Estado da Saúde para verificar se a estagiária poderá receber a segunda dose da vacina.


últimas