POLÍTICA

Mesmo ímpeto que fechou igrejas e escolas deve ser usado contra aglomerações

Mesmo ímpeto que fechou igrejas e escolas deve ser usado contra aglomerações

Veja também: A inédita união regional. Só faltou Santa Fé do Sul!

Veja também: A inédita união regional. Só faltou Santa Fé do Sul!

Publicada há 1 ano

Mesmo ímpeto que fechou igrejas e escolas deve ser usado contra aglomerações

Pessuto durante live nesta semana: ações mais rigorosas que as implantadas por Doria. Imagem: Facebook

Corajosa (e reta) a atitude de Pessuto em proibir as atividades presenciais em templos religiosos e estabelecimentos de ensino, sejam públicos ou privados, motivo de contestações para uns (minoria) e de aprovação para outros (maioria). Afinal, se o objetivo é buscar o isolamento social, que o seja por completo e não fracionado aos sabores de pressões setoriais.

Porém tal medida, mais rigorosa que as restrições impostas pelo próprio governador João Doria no Estado paulista, traz subintitulada em seu bojo, um enorme desafio: demonstrar a mesma coragem para fiscalizar e impor sanções (pesadas se necessário) contra estabelecimentos comerciais ou pessoais físicas que promoverem aglomerações, muitas das quais clandestinas.

Eis o desafio! Pois elas abundam em quantidade, qualidade e nível social em Fernandópolis.

Há! Aos que ainda defendem aulas presenciais, basta constatar que em 20 dias, 30 escolas da região registraram casos positivos de Coronavírus, seja em professores, alunos ou funcionários. Os dados provêm da própria Secretaria Estadual de Educação (e não de um grupo de WhatsApp).

Ordem do Ministério da Saúde deve ser descumprida pelos secretários estaduais de Segurança Pública

Presidente Jair Bolsonaro ao lado do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. Foto: Andressa Anholete/Getty Images

A determinação do Ministério da Saúde estabelecendo a prioridade de vacinação para os presos no sistema carcerário em detrimento aos próprios policiais e outros agentes do sistema carcerário causou revolta, não somente nas corporações, mas também nos altos comandos das Secretarias de Segurança Pública de muitos Estados.

Pela determinação da pasta da Saúde, os presos estão na 17º posição na fila de prioridade. Os agentes que trabalham no sistema carcerário são o 18º e membros das forças de segurança e salvamento os 21º.

O presidente do conselho de secretários estaduais, Cristiano Sampaio, secretário do Tocantins, lidera as discussões em torno priorização do Ministério da Saúde e já afirmou que não cumprirá a determinação do governo federal.

Tal ordem de prioridade ficou exposta após o ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal, determinar que o ministro Eduardo Pazuello esclarecesse a ordem dos grupos prioritários no programa nacional de vacinação.

Um grupo de secretários de Segurança Pública acionou o Ministério da Justiça em busca de alterar a situação.

*Texto originalmente publicado na Coluna .Inside de 05/03/2021.

 

A inédita união regional! Só faltou Santa Fé do Sul

Os prefeitos André Pessuto, Jorge Seba e Luis Henrique, durante Coletiva de Imprensa em Votuporanga. Imagem: Facebook

Óbvio que foram premidos pelas funestas consequências que já estão advindo do agravamento desta segunda onda de Covid-19 para realizar a reunião conjunta e implantar medidas similares, mas não há como negar que André Pessuto (DEM), Jorge Seba (PSDB) e Luis Henrique Moreira (PSDB) entraram para a história regional nesta quinta, 04, ao somatizarem forças para imposição de severas medidas restritivas que atingiram, em cheio, o setor comercial/empresarial de seus municípios e contrariam interesses de muitos de seus eleitores.

Ao determinarem a suspensão das aulas presenciais, dos cultos religiosos, a abertura somente de empreendimentos essenciais (e mesmo assim sob determinadas regras), de modo conjunto, eles mostraram a preocupação com os altíssimos índices de internações e de óbitos previsivelmente esperados para os próximos dias.

A adesão conjunta ao consórcio intermunicipal que busca a aquisição de vacinas para Votuporanga, Jales e Fernandópolis foi outro tópico abordado. Luis Henrique já havia se antecipado e incluído Jales nesse rol. Agora ele colocará Fernandópolis e Votuporanga no grupo que busca a aquisição do imunizante russo Sputnik V. O custo unitário de cada dose deve ficar em cerca de US$ 8,00.

Pena que Evandro Mura (PSL), de Santa Fé do Sul, furou a unicidade que poderia abranger grande parte do noroeste paulista. Ele preferiu ficar fora do grupo e limitou-se a manter as restrições impostas pelo governo estadual. Ou seja, basicamente, ainda permite ações religiosas e escolares presenciais.

 

E comarcas seguem “os líderes”

Imagem com todos os prefeitos da região antes de reunião em Ouroeste: medidas restritivas a caminho. Foto: Prefeitura Municipal de Ouroeste

E enquanto o Brasil dá exemplos de não-conduta, com ações individualizadas implantadas sem nenhuma conexão Estados afora, nossa região começa a servir como paradigma.

As ações implantadas em Votuporanga, Jales e Fernandópolis estão encontrando ressonância quase que unânime e sendo replicas nos municípios de menor porte populacional e integrantes de cada uma das comarcas. Praticamente as mesmas limitações, com as devidas adaptações exigidas pelas peculiaridades de cada cidade, estão sendo reproduzidas em decretos municipais estabelecendo o “Toque de Recolher”.

Na segunda-feira, 01, os prefeitos de Indiaporã, Mira Estrela, Populina, Vitória Brasil, Mesópolis, Turmalina, Paranapuã, Dolcinópolis e Guarani d´Oeste haviam se reunidos na sede da municipalidade ouroestense, também buscando ações conjuntas. Ontem, 05, Reginaldo Marcomini, em Macedônia e Alex Sakata em Ouroeste, por exemplo, baixaram decretos com as mesmas restrições às impostas em Fernandópolis. Na comarca de Votuporanga, já tínhamos ciência de ações idênticas implantadas na sede em Valentim Gentil, Álvares Florence e Parisi, dentre outras.

 

Pegou muito mal

O projeto de lei do debutante parlamentar municipal Jeferson da FEF (DEM) que, em pleno ápice pandêmico, estabelecia as academias como serviço essencial e, por conseguinte, deixariam-nas isentas de qualquer restrição sanitária, neste site (www.oextra.net) divulgado em primeira mão, pegou tão mal e causou tamanha pressão que, pouco tempo após a publicação e repercussão em várias redes, foi oficialmente retirado.

Eleições Municipais suspensas em 7 cidades

Após o governo estadual decretar novamente a fase vermelha do plano de flexibilização da quarentena, o Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) suspendeu a realização de eleições suplementares em sete municípios que estavam marcadas para amanhã, 07. Entre as cidades que teriam novo pleito estão Apiaí, Campina do Monte Alegre, Itaoca, Leme, Santo Antônio do Jardim e Trabiju. Também foi suspensa a votação marcada para o dia 11 de abril nas cidades de Anhembi e Cajati.

Estrela D´oeste permissiva? Exceção na região?

E o prefeito estrelense Barão Lopes foi, novamente, exceção a nível regional, em estabelecer limitações complementares à circulação de pessoas e bens neste período de pandemia. Ele baixou decreto permitindo o atendimento presencial em restaurantes, academias e comércio em geral, apenas limitando o funcionamento em termos de horários (geralmente até às 20h00) e aos finais de semanas. Porém, ao final da tarde de ontem, 05, o alcaide aumentou algumas restrições, suspendendo aulas presenciais, atendimento presencial no comércio e proibindo festas, mas mantendo outras permissividades, tais como ações religiosas durante a semana, aproximando Estrela das restrições regionais, mas ainda sem igualá-las.

Pena branda para assédio à deputada

Se abrandaram a pena quando a vítima é deputada, o ato foi gravado e toda Imprensa está em vigília, imagine... Pois o Conselho de Ética da Assembleia Legislativa do Estado de SP (Alesp) puniu o deputado Fernando Cury (Cidadania), acusado de assediar sexualmente a deputada Isa Penna (PSOL) com suspensão de 119 dias. Se a pena ultrapassasse 120 dias, haveria necessidade de convocação do suplente; neste caso, ele fica, inclusive, recebendo salários. A punição deve ser confirmada, posteriormente, em Plenário.

Fora da região metropolitana de RP

Ao que parece, após anos de expectativa, finalmente vai sair a aguardada “Região Metropolitana de Rio Preto”. Entusiasta do projeto, o vice-governador Rodrigo Garcia participou, no sábado, 27, de uma reunião com essa finalidade. Há! Fernandópolis, Jales, Votuporanga e Santa Fé estão excluídas dessa conurbação urbana.

 

“Chega de frescura, de mimimi. Vão ficar chorando até quando?

Declaração presidencial durante a inauguração de um trecho da ferrovia Norte-Sul em São Simão (GO) na quinta-feira, 04, em pleno ápice pandêmico, com o número de óbitos diários beirando os dois mil. Ele completou: "Vocês [produtores rurais] não ficaram em casa. Não se acovardaram. Nós temos que enfrentar nossos problemas... Vão ficar chorando até quando? Temos que enfrentar os problemas. Respeitar, obviamente, os mais idosos, aqueles que têm doenças, morbidades. Mas onde vai parar o Brasil se nós pararmos?".

 

 

6 de março é o 65.º dia do ano no calendário gregoriano (66.º em anos bissextos). Faltam 300 para acabar o ano. É o Dia Internacional do Optometrista e o Dia Nacional da Revolução Pernambucana

Acontecimentos:

12 a.C. — Imperador romano Augusto é nomeado Pontífice máximo, incorporando a posição na de imperador.

845 — Execução dos 42 mártires de Amório em Samarra.

1521 — Fernão de Magalhães descobre a ilha de Guam.

1817 — Início da Revolução Pernambucana (imagem abaixo) – Movimento de revolta contra o domínio português.

1855 — Manuel da Mota Coqueiro entra para a história como o último condenado à morte que teve a pena executada no Brasil.

1869 — Dmitri Mendeleiev apresenta a primeira tabela periódica à Sociedade Russa de Química.

1899 — Bayer registra a "Aspirina" como propriedade industrial.

1945 — Segunda Guerra Mundial: começa a Operação Frühlingserwachen, a última grande ofensiva alemã da guerra.

1975 — Acordos de Argel: Irã e Iraque anunciam uma solução para as disputas territoriais entre os dois países.

1992 — Vírus de computador Michelangelo começa a afetar os computadores.

2013 — Exército Livre da Síria captura Raqqa, a primeira grande cidade a ficar sob controle rebelde na Guerra Civil Síria.

Nascimentos:

1475 — Michelangelo, pintor, escultor, poeta e arquiteto italiano (m. 1564).

1483 — Francesco Guicciardini, estadista e historiador italiano (m. 1540).

1495 — Luigi Alamanni, poeta e estadista italiano (m. 1556).

1719 — João Carlos de Bragança, político e nobre português (m. 1806).

1790 — Jacques Arago, escritor e explorador francês (m. 1854).

1815 — José Bonifácio de Campos Ferraz, nobre brasileiro (m. 1884).

1853 — Silva Ramos, escritor brasileiro. (m. 1930).

1871 — Afonso Costa, político e líder republicano português (m. 1937).

1898 — Eugênia Álvaro Moreyra, jornalista brasileira (m. 1948).

1900 — Joubert de Carvalho, médico e compositor brasileiro (m. 1977); Hilda Anna Krisch, enfermeira brasileira (m. 1995) e José Gomes da Silva, político brasileiro (m. 1970).

1926 — Alan Greenspan, economista estado-unidense.

1946 — David Gilmour (foto abaixo com Roger Waters), músico britânico.

1947 — Tarso Genro, político brasileiro.

Falecimentos:

1251 — Rosa de Viterbo, santa católica italiana (n. 1233).

1754 — Henry Pelham, político britânico (n. 1694).

1796 — Guillaume Thomas François Raynal, escritor francês (n. 1713).

1856 — Johan August Wahlberg, explorador e naturalista sueco (n. 1810) e Thomas Attwood, banqueiro, economista e político britânico (n. 1783).

1892 — Manuel José de Siqueira Mendes, religioso e político brasileiro (n. 1825).

1907 — Manuel Veloso Paranhos Pederneiras, médico, escritor, jornalista e político brasileiro (n. 1832).

1937 — Rudolf Otto, teólogo alemão (n. 1869) e Sérgio Loreto, político brasileiro (n. 1887).

1996 — José de Magalhães Pinto, político brasileiro (n. 1909) e Perseu Abramo, jornalista brasileiro (n. 1929).

2001 — Mário Covas (foto abaixo), político brasileiro (n. 1930).



2013 — Chorão, cantor, compositor, cineasta e empresário brasileiro (n. 1970).

2014 — Sérgio Guerra, economista e político brasileiro (n. 1947).

2016 — Nancy Reagan, primeira-dama dos EUA 1981-1989 (n. 1921).


últimas