POLÍTICA

Fernandópolis, Jales e deputada boicotam "Aglomerado" com Votuporanga

Fernandópolis, Jales e deputada boicotam "Aglomerado" com Votuporanga

Ação tem três fundamentos e pode fazer bloco ruir antes de começar

Ação tem três fundamentos e pode fazer bloco ruir antes de começar

Publicada há 7 meses

Fernandópolis, Jales e deputada boicotam "Aglomerado" com Votuporanga

Começou mal, ou melhor, muitíssimo mal. Pensando melhor, faz-se necessário até avaliar se mesmo começou.

Referimo-nos ao propagado e aqui decantado em primeiríssima mão (clique aqui para relembrar) Aglomerado Urbano dos Grandes Lagos cuja reunião inaugural e oficialização estava programada para a manhã desta sexta-feira, 28, em Votuporanga.

E ela até ocorreu, porém longe do idealizado!

Com a participação de cinco secretários de estados, prefeitos de várias cidades (de um total de 44 municípios que comporão o bloco), vice-governador e deputados estaduais, o primeiro não contou com a presença de dois dos três principais prefeitos: o de Fernandópolis André Pessuto e o de Jales Luis Henrique Moreira. Ambos, juntos com Jorge Seba de Votuporanga, compõem as cidades que, em tese, sediariam de modo rotativo, a sede do "Aglomerado" e que lideram o movimento.

Além deles, a deputada estadual tucana Analice Fernandes, em solidariedade a Pessuto e Luis Henrique, também ausentou-se.

E por quê?

Eis a grande indagação à qual ainda não temos a convicção plena para cravar a motivação.

Certamente há de ser algo gravíssimo, pois dificilmente uma medida tão radical seria tomada pelo alcaide fernandopolense, caracterizado pela moderação de seus atos e muito menos ainda encontraria apoio em um prefeito vizinho e numa deputada caso estivesse errado ou movido por motivo fútil.

Até agora, pelo apurado, são três fundamentos mais aventados. Um deles ou todos conjuntamente, pode ter causado a cisão do bloco:

  • a recusa inicial do vice-governador Rodrigo Garcia, agora do PSDB, em visitar Fernandópolis, ao menos para um breve cafézinho. Garcia, após o ato em Votuporanga se encaminhou a Jales e, depois, foi até Mira Estrela; ou seja, passou pelas marginais fernandopolenses duas vezes. Dar uma paradinha e cumprimentar Pessuto, companheiro de tantas jornadas pretéritas, nada custaria;
  • suspeitas de articulações por parte do deputado estadual Carlão Pignatari (PSDB), que, com a força da presidência da Assembleia Paulista (Alesp), teria transformado a reunião em uma Audiência Pública para a criação de uma microrregião. Tal não havia sido cogitado e sequer comunicado a qualquer dos demais gestores envolvidos;
  • outra possibilidade que nos chegou, consumada com registro fotográfico, decorre da inauguração do Max Atacadista ontem, 27, em Fernandópolis. Corre nos bastidores que após o breve cerimonial, o atual prefeito votuporanguense Jorge Seba e o ex Juninho Marão teriam abordado o empresário Ederson Muffato (foto abaixo) com uma proposta de instalação de um "centro de distribuição e armazenamento" por lá. Tal possibilidade causou extrema aversão por aqui nas lideranças políticas e, embora legítima, foi externada num momento absolutamente inadequado (se é que o foi).

Muffato, Marão e Seba durante a inauguração do Max Atacadista. Foto: Jornal O Extra.net

Agora é aguardar as consequências da cisão inicial. Na melhor das hipóteses surgirão desmentidos e negativas menosprezando o boicote e deixando "tudo como dantes"; na pior, o "Aglomerado" faleceu no nascituro.

últimas