POLÍTICA

Fernandópolis: Orçamento 2022 é recorde com R$ 254 milhões. De Votuporanga é R$ 176 milhões maior

Fernandópolis: Orçamento 2022 é recorde com R$ 254 milhões. De Votuporanga é R$ 176 milhões maior

Veja também: Eleições 2022! Continua ruim para Doria e Bolsonaro em SP

Veja também: Eleições 2022! Continua ruim para Doria e Bolsonaro em SP

Publicada há 10 meses

Fernandópolis: Orçamento cresce R$ 12 milhões e é recorde em plena pandemia

É total a dissonância entre as finanças privadas e as públicas no Brasil atual. Enquanto as primeiras vão de mal a pior (ou no máximo lateralizam), com pessoas, famílias e empresas em processo de quebradeira, as públicas somatizam recordes atrás de recordes, como a arrecadação federal de impostos no mês passado que somou R$ 146 bilhões – um recorde histórico para este mês.

Refletindo o cenário nacional, eis que as municipalidade estão apresentando suas peças orçamentárias para o próximo ano com tendência regional similar à nacional, com ampla ascensão das receitas das Prefeituras.

Fernandópolis é um exemplo clássico!

A estimativa de receitas está orçada em R$ 254,1 milhões, praticamente 5% a mais que o valor deste ano (R$ 242 milhões), o que representa cerca de R$ 12 milhões a mais para a gestão Pessuto/Artur em 2022 (ou R$ 1 milhão a mais por mês). O prognóstico fernandopolense pode ser considerado "excessivamente cauteloso", com crescimento subestimado.

O valor está distribuído com R$ 33,9 milhões para o Instituto de Previdência Municipal; R$ 7 milhões para o Legislativo e R$ 213,1 milhões para o Executivo. A Folha de Pagamento consumirá R$ 105 milhões, o correspondente a praticamente 49% do total (índice dentro dos parâmetros legais).

Orçamento de Votuporanga é R$ 176 milhões a mais; de Jales ainda não definido

Comparando com dados pretéritos, em 2017, primeiro ano de governo André e Gustavo Pinato, o valor foi de R$ 199 milhões, com um crescimento de 11,48% no comparativo com o de 2016 (último ano de Ana Bim); em 2018 o valor saltou para R$ 223 milhões e em 2019 nova ascensão, disparando para R$ 232 milhões. O de 2020 acresce mais R$ 6 milhões aos cofres municipais e o de 2021 é de R$ 242 milhões.

Dimensionando com o votuporanguense, os valores que ficarão à disposição do prefeito Jorge Seba (PSDB) no próximo ano crescerão quase 22% e chegam a R$ 430 milhões (R$ 176 milhões a mais que Fernandópolis). Em 2019, o ex-prefeito João Dado teve R$ 340 milhões para administrar; em 2020, Votuporanga teve orçamento de R$ 374 milhões e em 2021 de R$ 352 milhões (queda de 6% atribuída à pandemia).

Na vizinha Jales os números futuros somente serão definidos pelo prefeito Luis Henrique e assessoria após audiência pública que ocorre no dia 30, sendo que neste ano são de R$ 173 milhões, um decréscimo em relação a 2020 quando somaram R$ 175 milhões. Em 2019 foi de 167 milhões e em R$ 2018 de 144 milhões.

Governo SP: continua ruim para Doria e para Bolsonaro

Há praticamente um mês publicamos (clique aqui para relembrar) que o cenário político/eleitoral paulista mostrava-se extremamente desfavorável a dois dos principais contentores nacionais: João Doria e Jair Bolsonaro.

Na ocasião, o nome escolhido pelo primeiro para a própria sucessão – Rodrigo Garcia (PSDB) - tinha 5% das intenções de votos e o predileto do segundo – Tarcísio de Freitas (sem partido) – apenas 2%, segundo dados de pesquisa Exame/Ideia.

Pois segundo pesquisa Datafolha divulgada no sábado, 18, a situação de ambos não mostrou qualquer evolução considerável. Apenas variações dentro das margens de erro.

Garcia permaneceu estagnado com os “exuberantes” 5 pontos percentuais e Tarcísio "expressivos" 4%.

Ambos correm contra o tempo para consolidarem-se ou ouvir a intensificação dos burburinhos de bastidores a refutar suas pretensões.

A liderança continua com Alckmin (PSDB) com 26% da preferência, seguido do petista Fernando Haddad (PT), com 17%. Márcio França (PSB) soma 15% e Guilherme Boulos (Psol) com 11%.

Megapartido com Rodrigo: só se forem vice!

O deputado federal Alexandre Leite, presidente do DEM paulista, afirmou que o novo partido que surgirá da fusão do DEM e PSL pode até apoiar a candidatura do atual vice-governador Rodrigo Garcia (PSDB) para o Palácio dos Bandeirantes, com uma condição: o espaço inegociável de vice-governador. Eles também querem eleger de oito a dez deputados federais no Estado.

E Rodrigo é candidato único!

Falando nele, Garcia é candidato único e já confirmado para disputar o governo paulista pelo PSDB. Nenhum outro tucano se apresentou para, eventualmente, disputar as prévias com o afiliado de Doria. Alckmin, ainda no partido, sequer se inscreveu, pois está de mala pronta para outra agremiação, muito provavelmente o PSD de Kassab, Eleuses Paiva e... Avenor Bim.

Carga Implosiva: empresário da região na mira

Embora, como rotineiramente acontece em operações similares, ele tenha negado envolvimento com as irregularidades apuradas na operação da Polícia Federal, certo é que o empresário Marco Zanovelo, bem conhecido na região por trabalhar com estruturas para shows e festas do peão, teve sua residência e a sede da empresa vistoria pelos agentes. A suspeita é de irregularidades na instalação de dois hospitais de campanha em Paulínea.

Jalesense vence Bolsonaro

O advogado Ovasco Resende, de Jales e que atualmente tem residência em Rio Preto e parentes radicados em Fernandópolis venceu o cabo de guerra com o senador Flávio Bolsonaro e assumiu a presidência nacional do Patriota até 6 de novembro de 2022. Ele conseguiu a destituição do ex-presidente Adilson Barroso que havia filiado o filho do presidente e preparava o partido para receber o clã Bolsonaro. A decisão da Executiva praticamente inviabiliza tal possibilidade e até Flávio pode sair.

IPCA-15 dispara é recorde desde o Plano Real

Notícia nada boa! O IPCA-15 do IBGE, prévia da inflação para este mês, chegou a 1,14% e já acumula 7,02% no ano e 10,05% nos últimos 12 meses. O índice – recorde para o mês desde o lançamento do Plano Real em 1994 – foi puxado pelos aumentos na gasolina e energia elétrica. É a temível volta da inflação se consumando!

Do vice-presidente da República após declarações dadas por Jair Bolsonaro à revista Veja onde afirmou que o general não tem “vivência política” e que deve se candidatar à reeleição com um outro vice e aconselhando-o a concorrer ao Senado Federal.

25 de Setembro na História

25 de setembro é o 268.º dia do ano no calendário gregoriano (269.º em anos bissextos). Faltam 97 para acabar o ano. É o Dia Internacional do Farmacêutico.

Acontecimentos:

275 — Pela última vez, o Senado Romano escolhe um imperador (Marco Cláudio Tácito).

1237 — Inglaterra e Escócia assinam o Tratado de Iorque, estabelecendo a localização de sua fronteira comum.

1396 — O sultão otomano Bajazeto I e o rei da Sérvia Estêvão Lazarević derrotam as forças aliadas cristãs na Batalha de Nicópolis, considerada a última grande batalha das cruzadas em território europeu.

1890 — O Congresso dos Estados Unidos cria o Parque Nacional da Sequoia.

1906 — Leonardo Torres y Quevedo demonstra o Telekino, guiando um barco da costa, no que é considerado o primeiro uso de um controle remoto.

1926 — Assinatura da Convenção sobre a Escravatura sob os auspícios da Sociedade das Nações, que criou um mecanismo internacional para a perseguição da prática da escravatura.

1935 — Assis Chateaubriand inaugura em a Super Rádio Tupi do Rio de Janeiro.

1964 — Começa a Guerra da Independência de Moçambique contra Portugal.

1967 — Carlos Lacerda e João Goulart emitem nota conjunta no Uruguai defendendo a Frente Ampla contra a ditadura militar brasileira.

1992 — A NASA lança o Mars Observer. Onze meses depois, a sonda falharia ao se preparar para a inserção orbital.

1998 — Reinauguração do Museu do Café do Brasil (foto abaixo).

Nascimentos:

1358 — Ashikaga Yoshimitsu, xogum japonês (m. 1408).

1599 — Francesco Borromini, arquiteto italiano (m. 1667).

1613 — Claude Perrault, botânico, médico e arquiteto francês (m. 1688).

1744 — Frederico Guilherme II da Prússia (m. 1797).

1793 — Felicia Hemans, poetisa britânica (m. 1835).

1799 — Onofre Pires, revolucionário brasileiro (m. 1844).

1799 — Wladimir Köppen, geógrafo, climatólogo e botânico alemão (m. 1940).

1873 — Afonso Camargo, político brasileiro (m. 1954).

1898 — Austregésilo de Athayde, jornalista e escritor brasileiro (m. 1993).

1900 — Alexandre Schaffman, violinista brasileiro (m. 1990).

1915 — Herculano Pires, escritor espírita brasileiro (m. 1979).

1944 — Michael Douglas, ator e cineasta estadunidense.

1948 — Glória Perez, autora de telenovelas brasileira.

1949 — Ronaldo Caiado, político brasileiro.

1952 — Christopher Reeve, ator estadunidense (m. 2004).

1968 — Will Smith, ator e rapper estadunidense.

1969 — Catherine Zeta-Jones (foto abaixo), atriz britânica.

1991 — Jéssica Andrade, lutadora brasileira de artes marciais mistas.

Falecimentos:

1086 — Guilherme VIII da Aquitânia (n. 1024).

1534 — Papa Clemente VII, (n. 1478).

1777 — Johann Heinrich Lambert, matemático franco-alemão (n. 1728).

1899 — Sofia de Liechtenstein (n. 1837).

1933 — Paul Ehrenfest, físico e matemático austríaco (n. 1880).

1991 — Klaus Barbie, oficial alemão (n. 1913).

1999 — Marion Zimmer Bradley, escritora estadunidense (n. 1930).

2003 — Franco Modigliani, economista italiano (n. 1918).

2011 — Wangari Maathai (foto abaixo), ambientalista e bióloga queniana (n. 1940).

Fonte: Wikipédia

           

 

 

 

 

últimas