DEFASAGEM

Déficit nas contas ameaça atividade de hemocentro que atende região

Déficit nas contas ameaça atividade de hemocentro que atende região

Instituição com sede em Ribeirão Preto aponta defasagem na tabela SUS e no repasse anual do estado; entre os municípios atendidos está Fernandópolis

Instituição com sede em Ribeirão Preto aponta defasagem na tabela SUS e no repasse anual do estado; entre os municípios atendidos está Fernandópolis

Publicada há 1 mês

Da Redação

Responsável por garantir transfusões de sangue a pacientes de um terço dos municípios do estado de São Paulo, o Hemocentro de Ribeirão Preto (SP), ligado ao Hospital das Clínicas da USP, está com as atividades ameaçadas diante de um déficit orçamentário que pode chegar a quase R$ 9 milhões em 2021.

Além da defasagem no custeio por meio da tabela SUS e da redução no pagamento de exames de alta complexidade, a instituição relata que a verba complementar enviada pelo governo paulista há 15 anos não é reajustada na proporção ideal (veja no gráfico abaixo) e não é suficiente para garantir que todas as despesas com procedimentos e fornecedores sejam pagas.

Segundo a direção do hemocentro, uma redução das atividades já foi iniciada em julho em parte das unidades da rede. Se essa medida se estender ainda mais, pode começar a haver queda nos estoques de sangue.

"Começamos a reduzir a jornada de trabalho dos funcionários de uma forma global para poder chegar ao final do ano e pelo menos ter uma perspectiva de sobrevivência", afirmou Dimas Covas, diretor-presidente da Fundação Hemocentro, em recente reunião de uma frente parlamentar que acompanha a situação da instituição.

O grupo de deputados estaduais paulistas com quem Covas se reuniu tenta mais do que dobrar os recursos hoje enviados pelo estado, de R$ 7,5 milhões para R$ 15 milhões, na previsão orçamentária do governo para 2022, enviada à Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) no final de setembro.

Nota

Em nota, a Secretaria de Estado da Saúde informou que o governo autorizou em setembro o repasse de R$ 30 milhões extras para apoio às atividades do HC de Ribeirão Preto, que reúne em seu complexo o hemocentro.

"O crédito suplementar se soma a outros R$ 561 milhões já destinados pelo Estado à instituição neste ano. A Secretaria de Estado da Saúde preza pelo pleno funcionamento do Hemocentro e mantém contato permanente com o serviço", informou.

A frente parlamentar, por sua vez, informa que não há garantia de que esses recursos de fato sejam usados no hemocentro.

O hemocentro

Fundado no final da década de 1980 como parte de uma política pública para garantir maior segurança às doações de sangue, o Hemocentro de Ribeirão Preto realiza em média 103 mil transfusões por ano e atende mais de 30 mil pacientes em 131 hospitais conveniados de 249 municípios do estado de São Paulo que concentram uma população de mais de 8,2 milhões de pessoas.

Além disso, é referência em pesquisas em hematologia, biotecnologia e terapia celular, bem como em tratamentos contra doenças como o câncer de sangue.

Os procedimentos são realizados em 14 unidades, entre núcleos de hemoterapia, agências transfusionais e postos de coleta nas seguintes cidades:

•         Ribeirão Preto

•         Franca

•         Fernandópolis

•         Araçatuba

•         Presidente Prudente

•         Taubaté

•         Batatais

•         Olímpia

•         Bebedouro

•         Jales

•         Votuporanga

Fonte: G1

últimas