MIRANDÓPOLIS

Dono de carro de som que anuncia óbitos deixa áudio para falar da própria morte

Dono de carro de som que anuncia óbitos deixa áudio para falar da própria morte

Áudio foi gravado em 2015, antes mesmo dele descobrir um problema no coração

Áudio foi gravado em 2015, antes mesmo dele descobrir um problema no coração

Publicada há 4 meses

João Geraldo Roveri morreu no sábado, 02, após não resistir a um infarto aos 65 anos.- Foto: Arquivo pessoal

Da Redação

João Geraldo Roveri, conhecido por usar um carro de som para ler as notas de falecimento no município de Mirandópolis, interior de São Paulo, deixou um áudio gravado para anunciar a própria morte. Ele morreu no sábado, 02, após não resistir a um infarto aos 65 anos.

A mensagem foi reproduzida pelas mesmas caixas de som que ele comandou por mais de dez anos, e resume um pouco a forma como o morador preferia levar a vida. “Atenção, comunicamos nota de falecimento. Faleceu, nesta cidade, esse que vos fala. Aguardo a sua presença no velório municipal para os nossos últimos contatos. Favor, levar drinques e quitutes. E, atenção, caso não possa ir, venho lhe buscar”, diz o áudio deixado por João, em tom de brincadeira.

Segundo a fonoaudióloga Selene Lipe, João Geraldo era muito conhecido e querido por todos os moradores de Mirandópolis. “O João teve uma banda, uma rádio e era contratado pelas agências funerárias para fazer notas de falecimento com o carro de som. A voz de João era extremamente conhecida. Sabíamos que alguma festa seria anunciada ou ouviríamos uma nota de falecimento quando escutávamos a voz de João”, diz.

O áudio que começou a circular pelas ruas e avenidas de Mirandópolis foi gravado em 2015, antes mesmo de João Geraldo descobrir um problema no coração.

últimas