FUTEBOL

Em busca de um milagre: Robertão assume o Fefecê para fazer história

Em busca de um milagre: Robertão assume o Fefecê para fazer história

O Fernandópolis Futebol Clube tem um projeto para buscar o acesso à A3

O Fernandópolis Futebol Clube tem um projeto para buscar o acesso à A3

Publicada há 2 meses

Robertão em sua apresentação na volta ao Fefecê, na tarde da última terça-feira, dia 17

João Leonel

Roberto de Jesus Assis, 53 anos, conhecido da torcida do Fefecê como “Robertão”, estava no comando técnico do Santa Cruz, tradicional clube de Pernambuco, desde abril de 2021. Por lá, chegou como auxiliar e encerrou sua passagem no cargo de treinador, após período como interino.

Em crise financeira e longe das conquistas de anos vitoriosos, como o título da Copa do Nordeste de 2016, quando o atacante Grafite foi o destaqe do time, sendo artilheiro da competição, o “cobra-coral” está na Série D do Campeonato Brasileiro, disputada por 64 times divididos em 8 grupos com 8 equipes cada. Amarga a vice-lanterna do Grupo 4 com 4 pontos após 5 partidas.

Robertão teve passagem como jogador pelo Fefecê em 1993. E foi no Fefecê que estreou como técnico de futebol, em 2008, logo após pendurar as chuteiras, justamente no Santa Cruz. Zagueirão raiz, passou por vários times, Caxias-SC, Paraná, Joinville, Figueirense, Nacional-SP, Paraguaçuense, União Barbarense, Botafogo-SP e Catanduvense.

Outro detalhe sobre o Santa Cruz, cruzando com sua história no Fefecê neste novo projeto apresentado pelo empresário Jerri Falcão, é que foi no time de Recife, um dos mais populares de Pernambuco, que Robertão teve sua passagem mais duradoura: foram 4 anos como atleta profissional.

E é este período estipulado por Jerri Falcão no projeto apresentado ao novo técnico da Águia de Sangue Azul: buscar, pelos próximos 4 anos, o acesso à Série A3 mantendo a base do elenco e apostando na continuidade do trabalho do comando técnico, com Robertão à frente da equipe.

Que a força da torcida do Santa Cruz, que, assim como o Fernandópolis Futebol Clube, também busca sua redenção dentro das quatro linhas, traduzida no estádio Arruda completamente lotado diante dos maiores rivais, Sport, no Clássico das Multidões, que já teve público superior a 80 mil pagantes, e o Náutico, no Clássico das Emoções, quando o público superava fácil 60 mil torcedores, faça a Águia voar alto.

Da mesma maneira, que os torcedores símbolos do “cobra-coral”, Chico Science, Jackson do Pandeiro, Zé do Caixão, Nando Cordel, Luiz Gonzaga e Gilberto Gil, entre outros imortais da cultura brasileira, compartilhem sua força e sua Fé com o “Fêfa”.

E que o “Ninho da Águia” seja palco para o início da carreira de grandes jogadores, assim como o Santa Cruz acompanhou o nascimento para o mundo do futebol de um dos maiores meias que o Brasil já teve, simplesmente, Rivaldo. 

SEGUNDONA 2022: DOMINGO DE “DECISÃO”

Muito além de fazer história, Robertão pode “trazer” história para o Fernandópolis Futebol Clube.

O Fefecê está na lanterna do Grupo 1, com apenas um ponto conquistado após 4 jogos. Ainda restam 6 rodadas, ou 18 pontos, até o fim da primeira fase do Campeonato Paulista Sub-23, a 2ª Divisão promovida pela Federação Paulista de Futebol.

Lembrando que classificam-se os dois primeiros de cada um dos 6 grupos, formados por 6 equipes cada, além de 4 melhores terceiros colocados na classificação geral.

Depois de ser goleado fora de casa pelo líder do grupo, o Catanduva FC, que tem 10 pontos, por 6 x 1 na rodada passada, Robertão fará sua estreia neste domingo, dia 22 de maio, data do aniversário de Fernandópolis, no Claudio Rodante. O jogo será diante do Inter de Bebedouro, vice-líder do grupo com 7 pontos, às 10h. 

Mais do que um presente para a cidade, o Fefecê pode dar início ao sonho dos loucos por futebol, da torcida, dos fernandopolenses de coração, unidos pela bola.

A cada um dos jovens jogadores que defendem o Fernandópolis Futebol Clube nesta temporada, o pedido é um só, e que se repita: vitória, vitória, vitória! 

O novo técnico conversou bastante com o elenco antes de comandar o primeiro treino, um tático em campo reduzido, com muitas cobranças e orientações de posicionamento 

O novo técnico conversou bastante com o elenco antes de comandar o primeiro treino, um tático em campo reduzido, com muitas cobranças e orientações de posicionamento 

O novo técnico conversou bastante com o elenco antes de comandar o primeiro treino, um tático em campo reduzido, com muitas cobranças e orientações de posicionamento 

últimas