EDUCAÇÃO

Etecs e Fatecs comemoram o Dia Mundial do Meio Ambiente

Etecs e Fatecs comemoram o Dia Mundial do Meio Ambiente

Uma série de eventos tem como objetivo conscientizar alunos e comunidade sobre a necessidade de preservar os recursos naturais e cuidar do descarte de resíduos

Uma série de eventos tem como objetivo conscientizar alunos e comunidade sobre a necessidade de preservar os recursos naturais e cuidar do descarte de resíduos

Publicada há 2 meses

A obra de Vik Muniz foi a inspiração de uma Etec para fazer arte com descarte

Da Redação

Volte 50 anos no tabuleiro do xadrez mundial: no dia 5 de junho de 1972, em Estocolmo, era instituído o Dia Mundial do Meio Ambiente. Os efeitos das emissões de CO2 já atingiam níveis preocupantes e a conferência da Organização das Nações Unidas (ONU) ocorrida na capital sueca, sob o título O Homem e o Meio Ambiente, foi o primeiro alerta que se acendeu para o mundo.

Para lembrar a data, Escolas Técnicas (Etecs) e Faculdades de Tecnologia (Fatecs) estaduais criaram programações voltadas para o assunto com palestras, rodas de conversa e visitas técnicas, entre outras atividades. O professor Fábio Albert Basso, coordenador do Curso de Meio Ambiente da Etec Jacinto Ferreira de Sá, acredita que a humanidade tem avançado nessa questão, especialmente na área acadêmica. Mas as empresas também ficaram mais atentas. "A fiscalização aumentou e muitas instituições entenderam que boas práticas ambientais elevam sua pontuação no mercado", avalia.

A questão do descarte está no centro das discussões na maioria das escolas, que trazem a reciclagem nas palestras e também em atividades pontuais, desde a troca de adubo orgânico por lixo eletrônico (que assim poderá ser descartado corretamente), à transformação do descarte em arte. Na Etec João Belarmino, o documentário Lixo Extraordinário, de 2010, em que o artista plástico brasileiro Vik Muniz retrata os trabalhadores do Jardim Gramacho, então o maior aterro sanitário da América Latina, foi a inspiração para que os estudantes usassem a criatividade com as sobras da sociedade.

últimas