sexta, 20 de outubro de 2017
área do assinante
08/08/2017 09:08
Edição 3104

Vereador cobra 'plano de carreira' antes de mexer na 'licença-prêmio'

Por João Leonel 


O vereador Murilo Jacob se pronunciou, por meio das redes sociais, contra a intenção da Prefeitura em regulamentar, através de Projeto de Lei, o benefício da licença-prêmio dos funcionários municipais. Jacob cobra e implementação do "plano de carreira" para que posteriormente a licença-prêmio venha sofrer alguma alteração. "Sobre o projeto apresentado pela Prefeitura para regularizar a licença-prêmio (dos servidores públicos municipais) muitos estão achando que é justo e que beneficia o bom funcionário. Não é bem assim, vou dar um exemplo de como irá funcionar. O funcionário trabalhou 4 anos e meio sem nunca ter faltado, aí nos últimos 6 meses antes dele receber a licença-prêmio ele fica doente e tem que se afastar por mais de 30 dias: pronto, ele perde a licença-prêmio. Você acha justo a pessoa trabalhar 4 anos e meio e por conta de uma doença que ela não tem culpa perder toda licença-prêmio? Você acha que essa pessoa que trabalhou 4 anos e meio sem faltar não é um bom funcionário? No Estado essa licença funciona pois lá existe PLANO DE CARREIRA. Por isso seria mais correto ter o plano de carreira para os servidores (de Fernandópolis) para depois discutir a licença-prêmio", enfatizou o vereador.


POSIÇÃO OFICIAL

Em contato com o prefeito André Pessuto no final da última semana, a Reportagem foi informada que "de forma alguma" a atual Administração Municipal irá acabar com a licença-prêmio. “Muito pelo contrário. Nossa intenção é valorizar o bom funcionalismo público e prevenir abusos que prejudicam o atendimento à população. Nada mais que isso”, acrescentou. Além de colher o posicionamento de Pessuto, uma nota oficial foi enviada à Redação de "O Extra.net", na manhã de sexta (04), para explicar a real intenção da Prefeitura de Fernandópolis em relação ao benefício. A Prefeitura salienta que está regulamentando nos “mesmos moldes” o que já é feito no Estado de São Paulo. Segundo a nota, há muitos "abusos" - "muitas faltas e atestados médicos" -, que "prejudicam o atendimento à população". A atual Administração Municipal ressaltou também que no mesmo Projeto "serão beneficiados os servidores que tenham filhos com deficiência”.


"Seria mais correto ter o plano de carreira para os servidores para depois discutir a licença-prêmio", pondera o vereador Murilo Jacob 



Reprodução do perfil de Murilo Jacob no Facebook