quarta, 13 de dezembro de 2017
área do assinante
11/08/2017 13:33
Edição 3107

Atleta fernandopolense recupera-se de lesão e vence campeonato regional

Após tratamento nas Clínicas Integradas da FEF, Viviane Souza ajudou a equipe de Vôlei a trazer o ouro para o município

Assessoria de Imprensa – FEF 


     A práticade atividade física proporciona inúmeras vantagens ao ser humano. Ela retarda oenvelhecimento, previne doenças crônicas, promove a autoestima, entre outrosbenefícios.


     “O esporte não leva em conta etnia,religião, ideologia. O importante é a capacidade do homem superar seus próprioslimites, tornando a vida um precioso significado.” A frase de Sidney, “poeta dos sonhos”, faz todo sentido navida da jovem fernandopolense Viviane Souza.


            Hoje com 31 anos, Viviane, quecomeçou a praticar vôlei em campeonatos escolares aos 15, e atualmente joga notime de Fernandópolis, passou recentemente por um episódio que lhe causoumuitos transtornos. “Quando descia alguns degraus em uma farmácia, bati com apatela (osso situado na parte anterior do joelho) em uma prateleira de ferro, no mesmo dia inchoumuito e sentia muita dor, fui ao médico e ele me recomendou a fisioterapia”,disse a atleta.


            A jogadora contou ainda que o quemais lhe angustiava era o fato de saber que o acontecido poderia prejudicar e muito o time. “Isso aconteceu três semanas antes dos jogos regionais, ocampeonato mais importante da região.”


            Mesmo depois da consulta médica e detomar medicamentos apropriados, a jovem atleta relatou que ainda treinava,porém sentia muitas dores. Foi então que, através do técnico do time FábioCavariani, Viviane chegou até às Clínicas Integradas da Fundação Educacional deFernandópolis. “Comecei as sessões de fisioterapia na FEF com a fisioterapeuta Fernanda Viscardi, todos os dias com 1h30 de duração. Com uma semana de tratamento, massageando meus joelhos com um aparelho que ajudava a eliminar ainflamação, fazendo fortalecimento por meio dos 'pesinhos' e elásticos nasminhas pernas, fui notando melhora e mais segurança ao andar”, lembrou Viviane.


            De acordo com Fernanda, o tratamento depende muito do próprio paciente, pois os procedimentos vão além dos aparelhos de fortalecimento. É preciso realizar as atividades em casa conforme o profissional orienta e segundo ela, a esportista foi muito disciplinada quanto à isso. “Durante o processo de recuperação, a Viviane se dedicou ao máximo,mesmo cansada ela não parava, queria continuar e dar o seu melhor nos exercícios, ela realmente estava disposta a se recuperar”, disse a fisioterapeuta.


     “Na segunda e última semana de tratamento antes do campeonato a Fernanda me passou o exercício 'jump' no final de cada sessão, e já nos últimos dias não sentia mais dor. Enquanto fazia o tratamento eu ia aos treinos, mas sem saltar, como recomendado por ela, fazia o mínimo para não atrapalhar o processo fisioterapêutico”, recordou Viviane.


            Cavariani lembra: “a Viviane estava praticamente fora dos jogos este ano devido a contusão, mas com o procedimento feito na FEF, toda a equipe das Clínicas nos entregou-a 100% para disputar osjogos.”


            Hoje com a lesão já recuperada, a atleta disse estar se sentindo muito bem, “comecei os jogos totalmente preparada, sem dor, e ainda continuo sem, sinto minhas pernas fortalecidas mesmo depois de quase um mês da finalização do tratamento”, disse a atleta mais aliviada.


            Viviane não só se recuperou da lesão, como também, juntamente com o time de vôlei fernandopolense, venceu o Campeonato Regional. De acordo com a jovem, a ajuda de Fernanda foi fundamental em sua recuperação: “no começo achei que não iria conseguir jogar, me sentia frustrada, mas correu tudo bem”.


            A fisioterapeuta com um sorriso no rosto deixa um recado para a atleta: “eu desejo a Viviane todo sucesso,agradeço à ela pela compreensão e toda liberdade que me deu para orientá-la.Enfim, obrigada pela confiança e parabéns pela conquista”.


            Fábio orgulhoso com a recuperação da jogadora disse: “ela é uma referência dentro da equipe, até por ter passagens em times fora do Brasil, sou muito grato a ela, ao time de Fernandópolis e atoda a família FEF”, finalizou o técnico.



Viviane ao lado das jogadoras de vôlei, e de Fábio, técnico do time de Fernandópolis 



A jogadora Viviane e a fisioterapeuta Fernanda durante o processo de recuperação nas Clínicas Integradas da FEF