segunda, 20 de novembro de 2017
área do assinante
30/10/2017 08:55

Você é louco?

Por Mariangela Angeluci Siqueira - Psicóloga Clínica, Palestrante, Coach Vocacional e Terapeuta Reikiana

Em tempos de altos e baixos, eu percebi que, a melhor e maior motivação que existe e nos faz ter mais e mais vontade de viver, é entender que não existe jeito CERTO ou ERRADO de fazer as coisas ou de pensar na vida. O "esquisito", "louco", "doente", "tantan da cabeça", "bobo" ou outros muitos adjetivos inadequados que já ouvimos tanto falar por aí, são ditos por pessoas que não sabem o que é liberdade e por isso, não sabem o que é ser feliz. Nunca foram capazes de ultrapassar suas próprias fronteiras e chegar lá no final do arco-íris para alcançar aquele pote cheio de ouro que está lá.

As pessoas ou coisas que são consideradas "diferentes" ou "estranhas" têm uma vantagem enorme a frente dos outros que se julgam "NORMAIS". O diferente pode ser qualquer coisa ou qualquer pessoa que ele quiser ser.

Pode ser um pirata que desbrava os oceanos.

Pode escalar as altas montanhas geladas do Himalaia.

Pode ser astronauta, mas um astronauta que tem medo de altura, então, ele decidiu viajar só na maionese mesmo.

Pode ser jogador de futebol de meia. Por que não?

Pode ser urso, pássaro, leão, galinha, árvore, pode ser uma pessoa com mãos de tesoura. E, depois, quando cansar de ser tudo isso, pode voltar a ser a si mesmo. Volta a ser quem decide o que é melhor ou pior para si, o que é certo ou errado. Volta a ser o diretor da própria história, o dono da própria vida, das próprias decisões, o melhor personagem, o mais bonito, o mais inteligente, o mais criativo, o mais descolado, desconstruído. Volta a ser você!

Se te chamam de louco, agradeça a si mesmo por ter dado esta oportunidade maravilhosa de ter uma mente que é capaz de te levar para qualquer lugar e ser quem você quiser ser, sem nem precisar sair do lugar. Sem precisar da permissão de ninguém.

Nenhum de nós aqui foi feito para ser normal. Fomos feitos para sermos o que quisermos ser e, se em algum momento, quisermos ser normais, até isso podemos ser.

Aceitar que você tem uma vasta gama de opções na vida e se sentir leve com isso só é possível através do autoconhecimento.

Busque conhecer a si, se aprofundar em você mesmo, isso vai te permitir se amar de tal forma que te trará o que todos nós precisamos: LIBERDADE.


em destaque