segunda, 20 de novembro de 2017
área do assinante
30/10/2017 08:59
Edição 3161

O trem chamado vida

Por Sandra Moreira

Vamos imaginar que a nossa vida é um trem de viagem onde passa por várias estações, dentro do vagão da nossa vida estão conosco os nossos familiares. Começamos nossa viagem sentados ao lado deles.


Conforme a viagem prossegue vamos crescendo e vivendo situações dentro do trem da nossa vida. Em determinadas estações sobe no nosso vagão os nossos amigos advindos de várias situações que podem nos acontecer e segue conosco o nosso itinerário, deixando o nosso espaço mais alegre, agregando valores, nos ensinando algo, alguns vieram para cuidar das nossas feridas e ouvir nossas lamentações. Outros para aumentar a nossa fé ou até mesmo trazer espiritualidade.

No trem da vida é possível andar por outros vagões e também sem precisar de determinadas estações nos é que entramos na vida do outro com alguma missão seja de amizade, amor ou cuidado, estamos lá, para o que der e vier. Que façamos isso com dignidade e respeito! Quando entramos no vagão de alguém a dignidade dos nossos atos precisa estar à frente independente de qualquer situação futura de desacordo, caso não exista condição para permanecer que também nós retiramos com a mesma dignidade que entramos.


Assim segue o nosso caminho, algumas pessoas vão descer em determinadas estações para seguir o destino delas, outras irão subir para nos trazer algo bom ou ruim. Em alguma estação muitas vezes somos nós é que teremos que descer para realizar os nossos sonhos que pertence a outro trem e outros vagões. E vem a necessidade de despedir dos nossos familiares e amigos. Toda despedida é um ato misturado com dor e amor. Precisamos ir, mas queríamos ficar em função do medo de viver algo novo e do sentimento de estar desprotegido. Acredite é só uma sensação com tempo de durabilidade, aos poucos vai acalmando os nossos corações diminuindo o frio na barriga e desatando o nó na garganta.


Ah, querido leitor independente das estações que temos que vivenciar o trem não para. A jornada continua e precisamos prosseguir com os nossos sonhos, acreditando nas nossas capacidades de vencer as ruins e aproveitar as boas estações. O importante é viver, aproveitar e compreender que pessoas descem e sobem, outras vão seguir com a gente no nosso trem ou em outros, mas estará nos nossos corações porque trouxe algum significado em alguma estação.


Quanto aos nossos familiares, alguns não vão estar mais por ordem divina e outros porque são diferentes de nós apesar da consanguinidade, precisam seguir outro percurso e cabe a nós respeitar. Haverá também situações que nós vamos ter que pedir para alguém descer na próxima estação porque não faz mais sentido permanecer no nosso vagão. Como eu disse antes, caro leitor as despedidas trazem dor e amor misturado e o sofrimento acoplado. Vamos amadurecemos sabendo que no trem da nossa vida sempre será recheado de chegadas e partidas.


Desta forma vamos viver com as pessoas a intensidade do relacionamento permitida buscando a felicidade que nos importa. Que todos façam uma bela viagem e aproveite o cheiro de alecrim que vem na janela da sua cadeira de embarque e desembarque. Só não fique tempo demais parado nas estações, não esqueça o trem pode partir sem você.





em destaque