sábado, 18 de novembro de 2017
área do assinante
08/11/2017 13:54

Polícia Civil conclui reconstituição da morte de Kelly

Da Redação 


Foi concluída hoje, dia 8, a reconstituição da morte da jovem Kelly Cristina Cadamuro, 22 anos. Ela foi assassinada na semana passada após dar carona para um desconhecido em São José do Rio Preto, quando seguia para Itapagipe.


O acusado do crime, Jonathan Pereira do Prado, 33 anos, concordou em participar do procedimento, que ajudará a esclarecer eventuais dúvidas dos responsáveis pela investigação.


Participaram da reconstituição, representantes da Polícia Civil, da Perícia Criminal, do Ministério Público e da Suap (Secretaria de Estado de Administração Prisional) - esta última responsável pelo transporte e segurança do acusado, que encontra-se preso sob tutela do Estado. Jonathan deixou o Presídio de Frutal usando colete e com cabeça coberta por um capuz, pedido feito por ele para não ter sua imagem registrada pela imprensa.


Entre os delegados que acompanharam a reconstituição estão Bruno Giovanini de Paulo - que preside o inquérito, Bruno Gustavo Salmen Hussein, João Carlos Garcia Pietro Júnior e Cesar Felipe Colombari - titular da Polícia Civil na região. O promotor criminal Frabrício Costa Lopo, que atua na Comarca de Frutal, também participa da reconstituição, assim como o perito criminal Maurílio André Orsino de Souza.


Além de tentar reconstruir tudo que aconteceu na noite do último dia (1), quando, segundo a Polícia Civil, Kelly foi morta por Jonathan, e seu corpo deixado na zona rural de Frutal, o delegado Bruno Giovanini também pretende ao longo desta semana ouvir diversas testemunhas, entre eles, integrantes do grupo de caronas do qual a jovem fazia parte. Como trata-se investigação com "réu preso", a Polícia Civil tem 10 dias para concluir o inquérito.



Reconstituição durou 1h30