domingo, 17 de dezembro de 2017
área do assinante
06/12/2017 08:56
Edição 3186

Guarda que amputou a perna após ser baleado em assalto volta ao trabalho

Crime ocorreu em julho deste ano e, depois de 4 meses, Cleiton Gomes vai voltar à corporação, trabalhando no setor administrativo da Guarda de Rio Preto

Da Redação 


Cleiton Gomes passou a trabalhar no setor administrativo da Guarda Municipal de Rio Preto 



Depois de ser baleado na perna e ficar quatro meses afastado do emprego por ter amputado o membro, o guarda municipal ferido durante o assalto a uma joalheria que terminou em tiroteio, no calçadão de São José do Rio Preto, voltou ao trabalho no fim de novembro.


O crime ocorreu em julho deste ano e o guarda ficou 20 dias internado e mais quatro meses afastado da função depois que perdeu a perna direita ao ser baleado por um dos criminosos que assaltava a joalheria. Agora, Cleiton Gomes vai atuar no setor administrativo da corporação.


“Eu estava ansioso para voltar a trabalhar, ocupar a cabeça e rever os amigos. Esta é uma opção diferente da que eu trabalhava, mas que exige tanta responsabilidade quando qualquer outro guarda que esteja trabalhando na rua”, diz.


“Tenho tristeza como qualquer ser humano, mas agora é buscar aprendizado em todos os setores. Estou muito feliz em poder trabalhar e cuidar da minha família”, diz.


O tiro na perna atingiu veias e artérias importantes para circulação sanguínea e apesar de passar por cirurgia para tentar substituir o sistema vascular foi preciso amputar parte da perna direita, na altura da coxa.


Além de Cleiton, outra guarda municipal também foi baleada. Tássia Dourado levou um tiro na barriga, mas já se recuperou.


Entenda o caso


Um grupo de criminosos entrou para assaltar uma joalheria em Rio Preto. O crime foi registrado pela câmera de segurança de um estabelecimento e, nas imagens, é possível ver o momento em que um carro estaciona em frente a loja que foi assaltada. Três ladrões descem, o carro faz o retorno e estaciona do outro lado da rua.


Dentro da joalheria, os assaltantes rendem as funcionárias e pegam joias, semijoias e relógios. Ao saber do assalto, dois guardas municipais se aproximam, descem da bicicleta e, neste momento, um dos criminosos que estava no carro desce, atravessa a rua e atira contra os dois. No tiroteio, um estudante de 17 anos, que passeava com um parente, morreu.


De acordo com a polícia, são pelo menos cinco suspeitos, três que estavam dentro da joalheria e dois que os esperavam em um carro do lado de fora. A polícia diz que foi um destes dois que começou os disparos.


A polícia também acredita que outras pessoas ajudaram no crime. No total, nove pessoas participaram direta e indiretamente. Cinco foram detidos e outros quatro permanecem foragidos.