domingo, 17 de dezembro de 2017
área do assinante
07/12/2017 14:03

Delegado descarta atentado em explosão na sede da Dise

Oreste Carósio Neto afirma que perícia apontou que explosão na sala do delegado foi causada por acidente. Ninguém ficou ferido e atividades serão retomadas.

Por G1 



Polícia investiga o que poderia ter provocado a explosão na delegacia em Fernandópolis (Foto: Arquivo Pessoal) 



O delegado seccional de Fernandópolis (SP), Oreste Carósio Neto, descartou a possibilidade de um atentado ser o motivo da explosão na sede da Delegacia de Investigações Gerais Sobre Entorpecentes (Dise) da cidade, na quarta-feira (6).


O comunicado foi feito depois da Polícia Civil realizar uma vistoria no local na manhã desta quinta-feira (7). “A perícia ainda não foi concluída, mas pelos elementos que temos até o momento, parece que deve ter sido um acidente. Nosso serviço não vai ser interrompido e tomaremos todas as providências necessárias", comenta o delegado.


Os bombeiros também acompanharam a vistoria que a Defesa Civil realizou para saber se a estrutura do prédio ficou comprometida.


“Fizemos uma avaliação técnica e constatamos que a parte inferior do prédio continua intacta. Somente a parte superior, que é composta por quatro cômodos, está interditada. No local, nossa equipe constatou que por conta de algumas rachaduras haveria a necessidade de interdição”, explica o coordenador da Defesa Civil, Edmar de Oliveira.


Parte do prédio continua interditada, pois ainda há pólvoras no local, tendo risco de novas explosões. Uma equipe do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) vai até o local na tarde desta quinta-feira (7) para vistoriar e deixar o local em segurança.

A Dise informou que os atendimentos devem continuar normalmente, mas em outras delegacias, como o 1º Distrito Policial e a Delegacia de Investigações Gerais (DIG).


A EXPLOSÃO


A explosão aconteceu na noite desta quarta-feira (6). Uma testemunha que passava pelo local disse que viu fumaça saindo do ar condicionado de uma das salas da delegacia e, em seguida, ouviu duas explosões - sendo a primeira mais fraca e uma mais forte logo depois, que acabou destruindo uma sala no piso superior da delegacia.


De acordo com o delegado seccional, Oreste Carósio Neto, as explosões teriam sido acidentais, já que a primeira hipótese aponta que faíscas de um curto-circuito teriam atingido pólvora e cartuchos que estavam armazenados na sala.


Ainda de acordo com o delegado, a pólvora e os cartuchos foram apreendidos durante ação da polícia há alguns meses e peritos irão até a delegacia apurar o caso. A Dise estava fechada no momento das explosões e, por isso, ninguém ficou ferido.



https://g1.globo.com/sp/sao-jose-do-rio-preto-aracatuba/noticia/policia-civil-investiga-explosao-na-sede-da-dise-em-fernandopolis.ghtml