quarta, 24 de janeiro de 2018
área do assinante
30/12/2017 06:28
Edição 3201

Médicos Sem Fronteiras: verdadeiros heróis da vida real

Se você fosse uma criança síria que perdeu toda sua família numa guerra civil sangrenta, o que lhe daria conforto?

            Se você fosse um pai ou uma mãe, pobre e vulnerável, vendo seus filhos sucumbindo à fome e epidemias em algum país pobre, o que lhe traria alento?

            Se você testemunhasse sua casa, cidade e lavoura devastadas por terremotos, como os que ocorreram no Nepal e Haiti, qual seria sua esperança?

            Se você fosse um paciente no leito de hospital no Afeganistão, no momento em que este é destruído por um bombardeio, presenciando um rastro de morte e terror, qual seria sua expectativa?

            Em todos esses lugares e situações, uma das respostas a essas perguntas tem nome: “Médicos Sem Fronteiras” (MSF). Com o lema “NÓS DESCOBRIMOS ONDE ESTÃO AS PIORES CRISES – OS LUGARES EM QUE OUTROS NÃO VÃO –, E É LÁ QUE QUEREMOS ESTAR”, que esta organização não governamental, laureada com o prêmio Nobel da Paz em 1999, presta auxílio médico e ajuda humanitária em cerca de 70 países, incluindo o Brasil.

            O MSF foi criado em 1971, na França, por jovens médicos e jornalistas. Desde então, “leva cuidados de saúde a pessoas afetadas por conflitos armados, desastres naturais, epidemias, desnutrição ou sem qualquer acesso à assistência médica. Além disso, a entidade busca chamar a atenção para as dificuldades enfrentadas pelas pessoas atendidas em seus projetos, dando visibilidade a realidades que não podem permanecer negligenciadas”. É uma organização independente, com cerca de 90% do financiamento proveniente de doações de indivíduos ou da iniciativa privada, além de prezar pelo princípio da neutralidade, ou seja, atende a pessoa afetada, sem se importar de que lado do conflito ela esteja.



Símbolo da organização não governamental “Médicos Sem Fronteiras”. Quando se deparar com algum integrante dessa organização prestando auxílio médico e ajuda humanitária aos mais necessitados, saiba que ali se encontra um herói.

            Somente no ano de 2015, de acordo com informações publicadas no site da instituição (https://www.msf.org.br/infografico-atividades-2015/), foram mais de 8 milhões de atendimentos ambulatoriais, mais de 2 milhões de casos de malária tratados, mais de 1 milhão e 500 mil pessoas vacinadas contra o sarampo em resposta a surtos epidêmicos, quase 600 mil internações (pessoas hospitalizadas), mais de 300 mil pessoas com HIV (vírus da AIDS) receberam cuidados médicos e mais de 60 mil casos de desnutrição foram admitidos em programas intensivos ou ambulatoriais em países como Etiópia, Iêmen, Iraque, Afeganistão, Níger, República Democrática do Congo, Haiti, Sudão, entre outros.

            No Brasil, o MSF teve participação efetiva em 2015 no diagnóstico e tratamento da Doença de Chagas em seis estados e, após a reunião de mais de 27 mil assinaturas, obteve do Instituto Bio-Manguinhos/Fiocruz, o compromisso de ampliar as pesquisas da vacina conjugada do sarampo e da rubéola.

            “Participar do Médicos Sem Fronteiras não é voluntário, é humanitário, o espírito é voluntário”, segundo a médica brasileira Aline Barbosa que atuou na organização participando de missões no Quênia, Nepal, Angola, Equador e Haiti. Aline ainda ressaltou que “o salário é simbólico, menos do que um médico ganharia trabalhando no Brasil, mas o que importa para ela não é o salário, mas exercer um trabalho satisfatório”.

            É comum o sentimento de desalento frente a tantos conflitos, guerras, epidemias e sofrimento mundo afora, inclusive, nossos problemas se apequenam frente a essas situações de tragédia. No entanto, nossa esperança é renovada ao saber que existem pessoas, como a médica brasileira Aline Barbosa e tantos outros, com o coração enorme, espírito voluntário e alma generosa desenvolvendo um trabalho fantástico nessa organização humanitária.

            Desejo a todos um Feliz Ano Novo e que o exemplo desses verdadeiros heróis da vida real, que são os integrantes do “Médicos Sem Fronteiras”, inspire-nos a ser mais altruístas e a nos preocupar mais com nossos irmãos necessitados e vulneráveis no ano de 2018.

             Para aqueles que desejarem efetuar doação ao MSF, podem ligar, gratuitamente, por meio de um telefone fixo no número 0800 940 3585 ou CLIQUE AQUI