quarta, 24 de janeiro de 2018
área do assinante
29/12/2017 10:28
Edição 3201

Governo de SP nega indenização pela morte de delegado a caminho de Plantão

Davi atuava na Delegacia Seccional de Rio Preto e na Delegacia de Mira Estrela

“Morreu porque trabalhava por dois ou três”, destacou Sindicato Estadual dos Delegados à época do acidente 



Por Breno Guarnieri


Foi publicado, nesta semana, no Diário Oficial, a negativa em relação à indenização por “morte acidental”, requerida pela família do delegado Davi Ferreira da Rocha, morto em uma colisão automobilística na Rodovia Euclides da Cunha (SP-320), em março deste ano.


De acordo com a publicação, tal decisão fundamenta-se nos elementos probatórios acostados aos autos, indicativos de que o evento não está amparado pela Lei Estadual 14.984/2013.


ACIDENTE


Delegado morreu a caminho do trabalho



O delegado da Polícia Civil morreu em um acidente na noite do dia 30 de março deste ano, na Rodovia Euclides da Cunha, em Cosmorama, município localizado a 56 quilômetros de Fernandópolis. Ele dirigia uma viatura da Polícia quando bateu na traseira de um caminhão. Segundo a família, Davi trabalhou durante o dia em Rio Preto e à noite seguia para Fernandópolis.


Segundo informações da Polícia Rodoviária Estadual, Davi seguia no sentido Tanabi a Votuporanga quando aconteceu o acidente. Com o impacto, a viatura ficou destruída e o delegado morreu no local do acidente. Ele atuava na Delegacia Seccional de Rio Preto e respondia também pela Delegacia de Mira Estrela.


Publicação do Diário Oficial que nega a indenização