terça, 23 de janeiro de 2018
área do assinante
09/01/2018 09:06

Ano Novo, Vida Velha.

Por José Renato Sessino Toledo Barbosa - Professor

Recomeçamos.

Semana passada, a Folha de São Paulo noticiou a estreia do filme sueco “The Square”, dirigido por Ruben Östlund, ganhador da Palm D’Or do Festival de Cinema de Cannes.

Interessou-me! O filme aborda a condição atual das Artes: distante do público, vazia de propostas. Instalações e objetos sem sentido, sem subjetividade e propósito. A “arte líquida”!

Curioso: coube a um “frio” nórdico perceber e escancarar o problema, sobre o qual já escrevi.

Assisti-lo-ei.

A propósito: continuo a acompanhar a bizarra “atuação” dos golpistas: hoje (07.01.18), li nos jornais que o “presidente” – no objetivo “ónesto”de se manter no “emprego” -, liberou mais de dois bilhões em “emendas”. Dentre os valores “lícitos” estão mais de cinco milhões da saúde para pagar cachês de “artistas” e show de motocross. Muito importantes para o povo.

A mesma Folha noticia que nos últimos vinte anos, a família Bolsonaro teve o patrimônio aumentado em mais de quinze mil vezes. Detalhe: há vinte anos, ingressaram na política.

Batedores de Panela do Brasil: Uni-vos!