terça, 23 de janeiro de 2018
área do assinante
13/01/2018 10:00

Dupla mirassolense viverá o primeiro Paulistão da carreira

Mirassol contrata lateral Suéliton e o volante Djavan; dupla viverá o primeiro Paulistão da carreira

Da Redação 


O Mirassol apresentou o lateral direito Suéliton, de 31 anos, e o volante Djavan, de 22 anos, para o Campeonato Paulista da Série A-1, na tarde de quinta-feira, 11.


O Leão irá estrear no Paulistão na próxima quarta-feira, dia 17, contra o Novorizontino no estádio Jorge Ismael de Biasi, em Novo Horizonte. Como o tempo é curto, menos de uma semana, é bem provável que os novatos fiquem de fora do primeiro jogo.


Suéliton Pereira de Aguiar, natural de Vitória do Santo Antão (PE), e Djavan Aulim Candido de Souza, nascido em João Pessoa (PB), irão vivenciar o primeiro Campeonato Paulista.


"Tenho uma carreira feita com muitas passagens pelo Sul do País, atuando em clubes como Criciúma, Atlético-PR Figueirense, queria saber um pouco daquele eixo", disse Suéliton. "Fiquei feliz com o convite porque o Mirassol tem um grande respeito no Estado de São Paulo."


O ala direito também ressaltou a boa fama do Paulistão. "O Paulista é muito disputado no Brasil. Fazendo um grande trabalho, consequentemente, estarei dando um grande passo", afirmou Suéliton, que começou a carreira no Porto (PE) e, além do Sul, vestiu as camisas do Goiás, Rayo Vallecano da Espanha e estava no Náutico.


Quase dez anos mais jovem, Djavan veio por empréstimo do Botafogo da Paraíba. O volante é cria das categorias de base do clube paraibano e só saiu, no ano passado, quando foi emprestado para o ABC.


"Há 20 dias surgiu o convite do Mirassol, falei com minha esposa e empresário. Ficamos felizes, venho com o intuito de mostrar bom trabalho, me dedicando ao máximo", afirmou Djavan, nome inspirado no famoso cantor de MPB.


A fama do Campeonato Paulista, segundo o próprio Djavan, pesou na escolha. "É um campeonato muito difícil e com grande visibilidade. Quero fazer o meu trabalho e dar o melhor para o Mirassol", prometeu Djavan.


Suéliton, o presidente Edson Ermenegildo (no centro) e Djavan durante apresentação no Maião