terça, 23 de janeiro de 2018
área do assinante
12/01/2018 17:00

Suspeitos de enterrar homem responderão por homicídio duplamente qualificado

Polícia localizou corpo e caminhonete foi achada em uma funilaria

Da Redação 


Os dois homens suspeitos de matar um homem por atropelamento e enterrar o corpo em um canavial confessaram o crime e agora devem responder, segundo a Polícia Civil, por homicídio duplamente qualificado, motivo fútil sem dar defesa para a vítima, além de ocultação de cadáver.


Como os suspeitos não têm passagem pela Polícia e o crime não foi flagrante, eles se apresentaram na Delegacia e vão responder pelo homicídio em liberdade. A Polícia Civil de Urânia continua investigando o caso. Os suspeitos são irmão e primo da ex-namorada da vítima.


“Concluímos que houve um fato anterior ao crime que foi a violência doméstica, envolvendo a família dos autores. A vítima era de Carneirinho (MG), tinha passagem pela Polícia, e estava na região onde teve relacionamento com a irmã de um dos suspeitos. Eles vão responder por homicídio duplamente qualificado, por motivo fútil, sem defesa para vítima e ocultação de cadáver”, afirma o delegado Sebastião Biazi.


De acordo com informações da Polícia Civil, o caso começou no dia 3 de janeiro quando Célio José da Silva, de 34 anos, procurou pela ex-namorada na tentativa de reatar o relacionamento. Com a tentativa frustrada, ele invadiu a casa da jovem e agrediu os pais dela.


Ainda conforme a Polícia, no dia 5 de janeiro, o irmão e primo da moça estavam em uma caminhonete na Rodovia Euclides da Cunha (SP-320), em Jales, quando encontraram o ex-namorado no acostamento. Eles o atropelaram e enterraram o corpo em um canavial da cidade.


Após a investigação, a Polícia localizou o corpo e a caminhonete foi encontrada em uma funilaria de Urânia. O primo da jovem, que dirigia o veículo, foi preso.


Célio José da Silva tinha 34 anos e foi morto ao ser atropelado