domingo, 25 de fevereiro de 2018
área do assinante
11/02/2018 06:31

Com quem você pensa que está falando?

Estou cansada dessa motivação que me vomitam todos os dias. Cansei! Nos canais de vídeos da internet, transbordam pessoas que ficam repetindo que precisamos levantar a bunda da cadeira, ter um foco, um sonho e trabalhar duro pra alcança-lo, pois somos capazes de conquistar tudo o que queremos, basta querer e fazer acontecer. Parece que somos máquinas programáveis. Parece que somos robôs que precisamos estar querendo sempre algo. Parece que sempre temos que estar conquistando novos horizontes. E, até parece que realmente temos esse poder de conquistar tudo o que queremos. E, pior, se não conquistamos, falhamos! Cansei de instruções claras que indicam o passo a passo até chegar ao topo da montanha, até obter o tal do sucesso (o qual parece ter uma fórmula exata para ser alcançado). Estou cansada dessa coisa de treinamento. Treinar pra que? Até parece que existe apenas um caminho. Dá a impressão de que alguns encontraram o mapa do tesouro e cobram uma fortuna para dividi-lo com outros poucos afortunados.


O tesouro não está fora de mim. Meu maior tesouro está bem aqui no meu interior.

Porém, explicado isso, vou dizer algo que vai te fazer me odiar por alguns instantes: você não é especial! Recorde-se, nestas palestras motivacionais, eventos mirabolantes que prometem ensinar o segredo da felicidade, livros que dão dicas e mais dicas de independência financeira, administração do tempo, etc, etc e etc. Em todos eles, repete-se o mesmo clichê: “Você é único! Você é especial! Você pode! Você consegue!”. Amiguinhos, ninguém aqui é especial. Todos somos parte de uma obra muitíssimo bem arquitetada onde cada um tem a sua função específica, o seu papel individual a desempenhar, mas nada de especial e único. Todos temos uma tarefa, uma missão a cumprir. Mas, assim como no formigueiro, juntas as formigas são fortes, porém, uma formiga sozinha é apenas uma formiga.


A gente se desmotiva fácil porque não nos tratamos como parte de um grande todo. Na verdade, ficamos esperando sermos tratados como a ultima bolachinha do pacote e vamos deixando a vida passar. Ficamos esperando sermos reconhecidos, mas esquecemos de reconhecer nossos companheiros. Ficamos esperando sermos amados, mas esquecemos de dar amor aos que estão ao nosso redor. Ficamos buscando riqueza, mas esquecemos de agradecer pelo que já temos. Ficamos sempre querendo ser diferentes, melhores, mais completos e esquecemos de valorizar aquilo que somos. Sempre tem alguém melhor do que nós, pois estamos sempre nos comparando com os outros.


Há um padrão aí fora e se você não segue este padrão, você não faz parte desse exército que cospe regras e mais regras pra ser feliz. É surpreendente quando você descobre que a sua vida começa a fazer certo sentido apenas quando a sua existência faz sentido para a vida de alguém. Só quando você se torna indispensável para outra pessoa é que você pode se considerar especial. Mas, não especial porque você é único e sim porque você faz diferença na vida daquela pessoa, sendo assim, você é especial para aquela pessoa. Ninguém vai te reconhecer pelos seus feitos individuais, mas saiba, todos te aplaudirão de pé pelo que você fizer por eles.


Quer ser reconhecido? Então, torne-se indispensável.