LAVA JATO

Justiça bloqueia R$ 3,5 bilhões de réus ligados ao Grupo Petrópolis

Justiça bloqueia R$ 3,5 bilhões de réus ligados ao Grupo Petrópolis

Acusação é movimentar mais de R$ 1,1 trilhão para a Odebrecht no exterior

Acusação é movimentar mais de R$ 1,1 trilhão para a Odebrecht no exterior

Publicada há 2 anos

Da Redação/ Paraná Portal

A 13ª Vara Federal de Curitiba determinou o bloqueio de R$ 3,5 bilhões de sete réus da Operação Lava Jato ligados ao Grupo Petrópolis, controlador da Cervejaria Itaipava. Eles são acusados de movimentar mais de R$ 1,1 trilhão para a Odebrecht no exterior, entre 2006 e 2014.

A decisão afeta os réus: Altair Roberto de Souza Toledo, Márcio Roberto Alves do Nascimento, Naede de Almeida, Roberto Luís Ramos Fontes Lopes, Vanusa Regina Faria, Weder Faria e Wladimir Teles de Oliveira.Walter Faria já teve bens parcialmente bloqueados. Foto: Luiz Carlos Murauskas/Folhapress

Eles são acusados por crimes de lavagem de dinheiro, corrupção e pertinência à organização criminosa. De acordo com a força-tarefa Lava Jato no MPF (Ministério Público Federal), o grupo fez pagamentos ilegais travestidos de doações eleitorais em favor da Odebrecht. A origem dos recursos está ligada aos desvios descobertos na Petrobras.

A denúncia é decorrente da 62ª fase da Operação Lava Jato. Foram denunciados Walter Faria, proprietário do Grupo Petrópolis, e outras 22 pessoas ligadas à empresa controladora da Cervejaria Itaipava, ao Antígua Overseas Bank e ao departamento de Operações Estruturadas do Grupo Odebrecht.

O procurador da República Alexandre Jabur afirma que a denúncia se destaca pelo volume de recursos movimentado no esquema criminoso e as técnicas complexas de lavagem de dinheiro que dificultam a comprovação dos crimes. Conforme a Lava Jato, recursos lícitos e ilícitos se misturam na contabilidade do Grupo Petrópolis,

“Tratava-se de um esquema sofisticado de lavagem de dinheiro, envolvendo muitas pessoas agindo juntas, além de operações no exterior por meio de offshores. O bloqueio de bens de parte dos réus indica que a denúncia apresenta argumentos sólidos sobre a prática desses crimes”, afirmou Jabur.

Fonte: paranaportal.com 

últimas