POLÍTICA

ELEIÇÕES 2020! O mapa dos votos em Fernandópolis e Ouroeste

ELEIÇÕES 2020! O mapa dos votos em Fernandópolis e Ouroeste

Quais os nomes que devem estar nas urnas em Novembro

Quais os nomes que devem estar nas urnas em Novembro

Publicada há 6 dias


Da Coluna Entrelinhas


Eleições 2020! O mapa dos votos em Fernandópolis e em Ouroeste

Dando sequência à série iniciada na coluna de sábado passado, 27, onde retratamos o processo político/sucessório nos colégios eleitorais de Estrela d´Oeste, Guarani d´Oeste e Macedônia, nesta trazemos a análise envolvendo os principais nomes e cenários de dois dos mais disputados (e cobiçados) Executivos Municipais da região: Fernandópolis e Ouroeste, onde, apesar de ambos atuais gestores poderem concorrer à reeleição, apenas Pessuto tornará à disputa, enquanto Livia, no máximo, apoiará, explicitamente, outro nome.


Situação unida e oposição dividida: Favorecimento à reeleição de Pessuto?

Interessantíssimo o momento político fernandopolense. Óbvio que a pandemia da Covid-19 corrobora para a protelação de ações insinuantes e decisões contundentes, mas a inatividade oposicionista chega a chocar até mesmo os mais incrédulos. 

Prismando este lado “ideológico”, encontramos uma subdivisão de alas, nomes, partidos e correntes políticas tão grande que nos permites projetar mais de uma candidatura oposicionista (a lógica indica duas). Aqui podemos arrolar as pré-candidaturas de Henri Dias, Renato Colombano, João Pedro, Gilmar Gimenes, Zé Horário, Adilson Campos. Correm por fora, com mais (ou somente alguma) probabilidade de se lançarem a vice, os nomes de Artur Watson, Carlos Cabral, Kiko Bim e Avenor Bim. Nesse polo, apenas a educadora Adélia Meneses-Republicamos, ficou pelo caminho. Ressalte-se que quatro dos apontados pertencem aos quadros do PSDB que nem sabe se ficará adjetivado como “na oposição”, se terá candidatura própria ou se migrará para o lado situacionista. Outros dois são do PT.Imagem traz seis dos principais nomes cotados para a disputa fernandopolense. Arte: Jornal O Extra.net

Originalmente, a data para as convenções começava em 20 de julho e se estendia até 5 de agosto. Com a mudança aprovada pelo Congresso Nacional, elas serão realizadas entre 31 de agosto e 16 de setembro e, ao que parece, a oposição, com essa exuberância de pseudos prefeituráveis, continuará subdividida, sem articulações políticas unificadas e relevantes, ostentando uma situação de indefinição que poderíamos avaliar como “natural”, se estivéssemos a um ano do pleito ou na liderança das pesquisas eleitorais. Porém o embate está marcado para Novembro próximo e os resultados das pesquisas... 

No polo oposto e com composição partidária bem definida, restando apenas a resolução do conflito interno tucano, eis o atual prefeito que, apesar de protelar o anúncio público, é recandidatíssimo e buscará quebrar o tabu fernandopolense de não ter um único gestor reeleito na história. E o cenário atual lhe favorece! Não tanto por atributos pessoais ou administrativos que mereçam exacerbado destaque: mais pela cisão e morosidade de seus adversários e ausência de um nome hors-concours a aglutiná-los (que poderia ser Ana Bim, fora da disputa por decisão pessoal e impedimento judicial).

Entre uma obra e outra, uma nova viatura ou um recape, eis Pessuto, turbinado pelos R$ 30 milhões em créditos bancários, que, caso consiga bem contornar a “disputa” pelo ambicionado posto do cargo de vice-prefeito na sua coligação, minimizando eventuais sequelas, permanecendo “de bem” com o deputado Pinato, reúne boas probabilidades de quebrar o tabu.

Mas pedras hão de haver no meio do caminho. Resta-lhe zelar (e rezar) para que não seja nenhum escândalo administrativo ou denúncia judicial de vulto. 


Com Livia fora, Ouroeste deve ter três candidaturas: Alex, Chegado e Maurivon

Inicialmente há que se relatar a relevância da decisão da atual alcaidessa de não pleitear a reeleição. Livia Oliveira está mesmo fora da disputa e sua participação pode se limitar à neutralidade, apoio velado a um dos nomes ou até explicitar sua preferência por uma das candidaturas (maior probabilidade atual de esteiar Maurivon Silva).

Isso posto, vê-se potencial para três lideranças disputarem a municipalidade (em 2016 também foram Livia Oliveira, Fábio Chegado e Jhony Signor): Fábio Chegado, que na disputa passada obteve 2.554 votos (38%), ficando na segunda colocação; Alex Sakata, que concorreu com Sebastião Geraldo em 2012 e obteve 2.694 votos (42%) e Maurivon Silva, debutante no processo eleitoral, não tendo participado de qualquer disputa executiva e que na eleição municipal passada apoiou a candidatura Fábio Chegado, derrotada pela atual prefeita Livia Oliveira.Disputa ouroestense entre as três lideranças na busca pela Prefeitura. Arte: Jornal O Extra.net

Detalhes: 

- A tendência (não uma definição) é que Maurivon seja o representante governista, recebendo o apoio, com ônus e bônus, da atual gestão;

- os três devem manter suas pré-candidaturas até o final da disputa, apesar de inúmeros comentários sinalizando para eventuais composições;

 - tanto Alex, como Chegado e Maurivon estavam no mesmo grupo político em 2016;

- as eleições de Novembro marcam, definitivamente, o fim dos tradicionais agrupamentos políticos liderados por Nelson Pinhel, de um lado, e de Val Fraga, do outro, com seus eleitores migrando para outras opções.


“Essencial”, Havan vira hipermercado e é inaugurado em Catanduva

Com o comércio não-essencial limitado a funcionar no horário das 13h00 às 17h00, a Havan abriu as portas na manhã de quinta, 30, inaugurando a unidade catanduvense. O ato oficial só ocorreu porque a loja de departamentos foi classificada como hipermercado e, portando, como essencial, não se submetendo às limitações impostas pela Vigilância Sanitária.

A cerimônia, além de desrespeitar às regras de prevenção básicas de enfrentamento à Covid-19, teve aglomeração de pessoas – empresários, funcionários, políticos e clientes -, retirada de protetores faciais (máscaras) e infração ao distanciamento social.

A unidade de lá tem cerca de 150 empregados formais e demandou investimentos da ordem de R$ 25 milhões. A meta do empresário Luciano Hang, que comandou o evento, é ter 200 megalojas até o final de 2022.


Poranbubas de Torquato e os ataques transfóbicos a ThammyNatura também reagiu aos ataques transfóbicos a Thammy Miranda e família. Foto: Reprodução/Twitter 

Em meio a comentários preconceituosos disparados contra a campanha do Dia dos Pais da Natura, que tem como protagonista o ator Thammy Miranda, eis o que o jurista e autor Gaudêncio Torquato trouxe, em coluna publicada no site do “O Extra.net” na quarta (clique aqui para ler):

"Os países mais afetados pela Covid-19 são Estados Unidos, Brasil, Rússia, Índia, Espanha, Reino Unido, Itália e França. Comandados por Donald Trump, Jair Bolsonaro, Vladimir Putin, Narendra Modi, Pedro Sanchez, Boris Johnson, Giuseppe Conte e Emmanuel Macron.

Já os países que melhor administram a pandemia são: Alemanha, Taiwan, Nova Zelândia, Islândia, Finlândia, Noruega e Dinamarca. Sob a gestão de Angela Merkel, Tsai Ing-wen, Jacinda Ardern, Sanna Marin, Erna Solberg e Helle Thorning-Schmidt'.

Mera coincidência.


Arakaki “compensa” R$ 2,5 milhões de dívidas em obras

Uma represa no Córrego da Aldeia, situada nos fundos do Condomínio Sol Nascente e da Fundação Educacional de Fernandópolis está sendo construída pelo Grupo Arakaki. O empreendimento não tem custos para o município e provém de compensação financeira entre a Prefeitura e dívida tributária da empresa – estimada em R$ 2,5 milhões – fruto de um Termo de Ajuste de Conduta firmado entre a empresa e o Ministério Público Estadual. 

A previsão do término é para Dezembro deste ano, sendo que a diminuição da vazão de água possibilitará a construção de nova passagem na Avenida Teotônio Vilela e também o lançamento de um novo condomínio, o Boa Sorte, com provável propriedade do mesmo grupo empresarial.

Há! A Prefeitura tem planos de transformar o local em um dos pontos de atração turística de Fernandópolis.


Fugindo da PF: advogados, estudantes de Medicina, empresários e funcionários públicosO delegado de Polícia Federal Cristiano Pádua conduz as investigações em RP. Foto: Jornal A Tribuna de Jales

Recebeste o Auxílio Emergencial irregularmente e está arrependido, voluntariamente ou sob a ameaça de aplicação da lei e possível processo penal por estelionato? 

Então acautele-se como já o fizeram 76 cidadãos rio-pretenses e devolvam, correndo, os valores (variam de R$ 600,00 a R$ 1,2 mil), fazendo-se suspender as investigações da Polícia Federal.

Por lá, nesse rol, estão empresários, servidores públicos municipais (16), estudantes de Medicina e até advogados. Foram 89 mil beneficiados em RP e muitos deles, informa o delegado Cristiano Pádua, possuem carros importados de mais de R$ 100 mil e/ou residem em condomínios de alto padrão.

Por aqui, sob a tutela da Delegacia Federal de Jales, idêntico procedimento está em curso e fraudes já foram encontradas, envolvendo, inclusive, influencers digitais que, nas redes, ostentam altíssimo padrão de vida.


Pandemia detonou empregos na região: Só Tanabi (e talvez Fernandópolis) salvam

Um primeiro semestre para ser esquecido e deletado! Exceto, é claro, para os 42 super-ricos do Brasil que ficaram R$ 176 bilhões mais ricos (US$ 34 bilhões).

E um reflexo nítido está no índice de empregabilidade relativo ao período, onde dentre todos os municípios da macrorregião, somente Tanabi registrou índice positivo: 149 novos postos de trabalho. Todos os demais estão no negativo, com Fernandópolis vindo logo após Tanabi, com saldo negativo de “apenas” 71.

Votuporanga, pasmem, perdeu 625 postos formais de trabalho; Mirassol 316, Jales 222, Santa Fé do Sul 790 e Rio Preto 5.682.

A “nota” mais negativa da divulgação do Caged é que, por ordem do presidente Bolsonaro, não é mais possível quantificar qual setor – comércio, indústria, serviços, construção civil..., foi mais ou menos afetado pela crise. Inexplicável!  


- Dia dos Pais: On-line sobe e tradicional cai. Soa óbvio o resultado de levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo & Mercado de Consumo que mostra forte tendência de alta no comércio digital e queda no varejo tradicional para o Dia dos Pais. Com 30% dos shoppings ainda fechados, a Associação Brasileira dos Lojistas de Shopping estima que roupas, calçados e eletrônicos serão os artigos mais vendidos e que o ticket (média dos valores das compras) seja de R$ 80,00.

- Após Alckmin, eis Aloysio Nunes. Aécio, Azevedo, Alckmin, Aloysio. Parece antigas chamadas no ensino primário, mas é só breve rol de tucanos implicados na Justiça. Pois nesta semana o rio-pretense foi novamente acusado de improbidade administrativa por, em 2010, ter recebido propina de R$ 500 mil da Odebrecht, sob a forma de doação eleitoral. Ele nega ilicitude e afirma que os fatos já foram investigados e arquivados em 2018. 

- 30 novos empregos em Estrela. Boa nova, sobretudo para os tempos atuais. A Isomérica, empresa que atua no ramo de confecção de telhas e paredes térmicas, confirmou que se instalará em Estrela d´Oeste. A área já foi doada pelo governo Barão Lopes e a construção deve começar nos próximos dias. Previsão de geração imediata de mais de 30 empregos diretos, podendo, de acordo com a demanda, chegar a 50.

- Weintraub: promoção para Banco Mundial. O banco confirmou a aprovação do nome do ex-ministro da Educação, exonerado, em meio a inúmeras polêmicas, do cargo de 18 de Junho, para a Diretoria Executiva (nomeada pelos representantes dos países acionistas). Abraham, que terá salários mensais de cerca de R$ 115 mil, deixou o Brasil numa saída relâmpago e utilizando-se do passaporte diplomático, receoso de ser prisão após a perda do foro privilegiado.

- Trabalho pós-pandemia segundo a Microsoft. Relatório divulgado pela Microsoft indica que a tendência é que escritórios físicos continuem a existir e que o trabalho do futuro caminha para ser uma mistura fluida de colaboração pessoal e remota. Cerca de 82% dos gestores esperam ter políticas de trabalho remoto mais flexíveis no cenário pós-pandemia. Enquanto isso, 71% dos funcionários e gestores relataram o desejo de continuar trabalhando em casa, pelo menos parcialmente.


"Eu peguei mofo, mofo no pulmão”.

Afirmação do presidente durante uma transmissão ao vivo, que está com “mofo no pulmão”. Segundo Bolsonaro, ele estava sentindo fraqueza e agora está tomando antibiótico após a equipe médica dele detectar uma infecção. No início de julho, o presidente anunciou que foi diagnosticado com covid-19, e ficou isolado no Palácio do Alvorada.


últimas