ELEIÇÕES 2020

PT “some” em Fernandópolis com apenas 466 votos PTB passa dos 5 mil e PP é o que mais cresce

PT “some” em Fernandópolis com apenas 466 votos PTB passa dos 5 mil e PP é o que mais cresce

Bancada feminina despenca para uma vereadora e renovação na Câmara bate nos 70%

Bancada feminina despenca para uma vereadora e renovação na Câmara bate nos 70%

Publicada há 2 meses

PT “some” em Fernandópolis com apenas 466 votos PTB passa dos 5 mil e PP é o que mais cresce

Ex-prefeito Adilson Campos, expoente histórico dos áureos tempos petista, governou Fernandópolis de 2002 a 2004. Arte: Jornal O Extra.net

O partido dominou o Brasil emplacando, seguidamente, Lula e Dilma na presidência; por aqui também atingiu o auge com Adilson Campos na chefia do Executivo de 2002 a 2004, ciceroneado por ilustres personalidades petistas, tais como Rober Caetano, Sérgio Teixeira e tantos outros.

Agora a realidade é outra!

Analisando os votos da disputa proporcional, devidamente agregados aos votos atribuídos somente às legendas, o PT ficou reduzido a apenas 466 ilustres votantes, correspondendo a apenas 1,43% do colégio eleitoral.

Muito pouco. Pouquíssimo!

Basta comparar com 2012 quando atingiu 2.934. Em 2016, já antevendo a crise do partido, caiu para 559.

Sobreviverá com um mínimo de capacidade operacional?

Há! A nível executivo nacional, elegeu 179 prefeitos, praticamente o mesmo número de 2000 (dois anos antes de Lula, quando tinha 174 prefeitos, ou seja, voltou 20 anos no tempo. Ainda resta o Segundo Turno.

Há Parte II! Pior desempenho nas urnas tiveram os candidatos apoiados pelo presidente Bolsonaro. Nem deu para tirar um sarro!

PTB passa dos 5 mil e PP é o partido que mais cresce triplicando a votação

Pessuto do DEM, Artur do PSDB e Pinato do PP: partidos estão entre os cinco mais votados. Foto: Assessoria de Imprensa

Enquanto uns naufragam, por outro prisma, outros comemoram.

Duas agremiações se destacaram localmente. Uma consolidando placares pretéritos, outra apresentando crescimento vertiginoso.

O PTB de Henri Dias foi o único partido que ultrapassou a marca dos 5 mil votos, mas já vinha de bons índices de 2016, quando bateu nos 2.976.

Já o PP, do deputado federal Fausto Pinato, foi o que mais cresceu. Ascendeu dos 1.533 votos em 2016 para 4.967 agora. Mais que triplicou sua votação.

Interessante anotar que, dentre as cinco agremiações mais votadas, quatro pertencem a partidos coligados/associados à coligação de Pessuto e Artur: PP, DEM, MDB e PSDB.

Confira, abaixo, os placares citados completos deste ano, de 2016 e de 2012 (fonte TSE):

2020:

PTB                5.014 15,41%

PP                   4.967 15,27%

DEM               4.805 14,77%

MDB              4.175  12,83%

PSDB              3.125 9,61%

PSC                 2.789 8,57%

PSD                2.691 8,27%

SOLID.            2.480 7,62%

REPUBL.         1.573 4,84%

PT                   466    1,43%

PSL                 241    0,74%

PATRIOTA      71      0,22%

2016:

PR                  6.017           16,84%                      

PSDB              4.202              11,76%                       

PSD                4.067              11,38%                       

DEM               3.436              9,62%                         

PTB                2.976              8,33%                         

PSC                 2.155              6,03%             

PRB                1.798              5,03%                         

SD                  1.536              4,30%             

PROS             1.535              4,30%            

PP                  1.533              4,29%                       

PMDB            1.400              3,92%                       

PEN               1.188              3,32%                       

PRP                995                2,78%                       

PPS                 897                2,51%                         

PDT                658                 1,84%                         

PT                   559                 1,56%                         

PV                  429                 1,20%                         

PSB                 349                 0,98%                         

PC do B          1                     0,00%             

2012:

DEM               5.812  (15,86%)

PSDB              4.311  (11,77%)

PSD                3.673  (10,03%)

PRB                3.176  (8,67%)

PT                   2.934  (8,01%)

PDT                2.788  (7,61%)

PTB                2.644  (7,22%)

PSC                2.364  (6,45%)

PPS                2.126  (5,80%)

PMDB            1.951  (5,33%)

PP                   1.629  (4,45%)

PSDC              1.024  (2,79%)

PMN              633     (1,73%)

PR                  558     (1,52%)

PSB                390     (1,06%)

PSOL              196     (0,53%)

PV                  189     (0,52%)

PTN               176     (0,48%)

PC do B          63       (0,17%)

PHS                0         (0,00%

Representação feminina na Câmara de Fernandópolis despenca

Maiza e Neide se despendem do Legislativo, enquanto que Janaína permanece. Arte: Jornal O Extra.net

Era uma vez um Legislativo Municipal que tinha 23% de suas cadeiras ocupadas por mulheres (três de um total de treze).

Transcorrido o pleito de 2020, quando se nutria esperanças de ao menos manter a proporcionalidade (na derradeira das hipóteses), eis que o índice cairá, ou melhor, despencará para 7,69%.

Em termos numéricos. Atualmente estão no Palácio 22 de Maio as edis Maiza Rio, Neide Garcia e Janaína Alves. Maiza não foi reeleita; Neide abriu mão da disputa em nome de seu filho João Garcia Filho, que foi eleito, e Janaína enfrentou e venceu o pleito pelo PP. Como nenhuma outra candidata feminina atingiu o índice mínimo, ela - Janaína - ficará só em meio a outros doze vereadores.

Os eleitos em Fernandópolis são: Murilo Jacob (MDB), João Paulo Cantarela (MDB), Janaína Alves (PP), Julinho Barbeiro (PP), Gustavo Pinato (DEM), Jeferson da FEF (DEM), João Pedro (PSDB), Daniel Arroio (PSD), Cidinho do Paraíso (PTB), Everaldo Cabeleireiro (PTB), João Garcia Filho (PTB), Cabo Santos (SD), e Pastorzão Claudenílson (PSC).

Proença inaugura na quinta, 19, conforme antecipamos

Seção de armazenamento do mercado que abre as portas ao público na próxima quinta-feira. Foto: Divulgação

E a nova unidade do Proença, na Afonso Cáfaro, próxima à Santa Casa, abre oficialmente as portas na quinta, 19, com expectativa de geração de até 140 empregos diretos a partir da operacionalidade plena.

A rede supermercadista é composta de 17 unidades e foi fundada em 1960 pelo empreendedor Fernando Lopes Farinha. Com sede em Pereira Barreto, hoje conta com unidades em Pereira Barreto (três), Auriflama, Ilha Solteira (duas), Jales, Três Lagoas-MS, São José do Rio Preto (quatro), Votuporanga, Tanabi, Santa Fé do Sul e Catanduva.

A inauguração foi por nós antecipada há uma semana. Clique aqui para conferir.

Renovação no Palácio 22 de Maio é de 70%. De 13, só 04 permanecem

O vereador e presidente Ademir de Almeida usa a Tribuna para se despedir. Sessão de hoje, 17, tem clima melancólico. Foto: Print screen Facebook

Renovação contundente no Parlamento Municipal até era esperada e previsível. A baixa votação útil (vide abaixo) completou o serviço.

Dos treze atuais edis, apenas quatro deles ficarão para o quadriênio de 2021 a 2024. Murilo Jacob, Janaína Alves, João Pedro e Cidinho do Paraíso permanecerão, sendo que políticos vencedores por muitas disputadas (tais como Ademir de Almeida, Étore Baroni e Neide Garcia) não tornarão. Percentualmente, a taxa de renovação é de cerca de 70%.

Uma sessão realizada nesta terça-feira, 17, praticamente todos os "derrotados" usaram a Tribuna Livre para manifestarem-se, lastimarem e também agradecerem seus eleitores.

Como não poderia deixar de ser, clima melancólico prevalecente. Para dizer o mínimo!

Negros sofrem muito mais

Dados do governo paulista mostram que o contingente populacional negro sofreu muito mais os efeitos da pandemia. A retração ocupacional para negros foi maior (-15,9%, ou -1,4 milhão de ocupados) do que para não negros (-7,1%, ou -949 mil ocupados). Em relação ao 4º trimestre de 2019, estima-se que os contingentes no 2º trimestre de 2020, período em que se observa o declínio no número de ocupados, tenham diminuído em 1,7 milhão (18,2%) de ocupados negros e 1,2 milhão (8,8%) de não negros.

40% dos votos são de ninguém

Os dados são do Tribunal Superior Eleitoral (TSE); 40,23% do eleitorado fernandopolense não votou para qualquer um dos vereadores eleitos ou não. Esse número é a soma dos que escolheram as opões em branco ou anularam. Numericamente foram 21.666 de um total de 53.848.

Mais 32% de abstenção e...

Não é de se estranhar o motivo de nenhum vereador eleito ultrapassar a casa dos 1 mil votos, o que já é tradicional por aqui. O índice de abstenção foi de 32,63%, que não pode ser considerado alto, sobretudo quando se recorda que estamos em período pandémico.

últimas