POLÍTICA

Câmara de Votuporanga é a mais 'gastona'; de Fernandópolis a segunda e Jales a terceira

Câmara de Votuporanga é a mais 'gastona'; de Fernandópolis a segunda e Jales a terceira

- Bolsonaro e Cia na região - Jales: R$ 12 milhões em recape - Justiça autoriza Faria a sair do Brasil

- Bolsonaro e Cia na região - Jales: R$ 12 milhões em recape - Justiça autoriza Faria a sair do Brasil

Publicada há 10 meses

Câmara de Votuporanga é a mais 'gastona'; de Fernandópolis a segunda e Jales a terceira

Levantamento realizado pelo colunista político Valdir José Cardoso e publicado no Blog do Cardosinho, tendo por fonte os respectivos portais da transparências dos quatro principais Legislativos Municipais da região apontam que a Câmara de Votuporanga, comandada pelo edil Sérgio Pereira, o popular Sérgio da Farmácia (PSDB) é a que mais gastou no exercício de 2021. O custo global apontado foi de R$ 5,5 milhões.

No segundo lugar ficou o Legislativo de Fernandópolis, presidido pelo vereador Gustavo Pinato (DEM) que apresentou um gasto operacional (custos com folha salarial de servidores e vereadores, manutenção e outras despesas) de R$ 5,3 milhões.

No terceiro posto vem a Câmara Municipal de Jales. Tendo o vereador Bismark Kuwakino (PSDB) na presidência, ela teve custo de R$ 2,5 milhões aos contribuintes. Lembrando que por lá os salários dos edis estão congelados desde 2017.

Já o parlamento santa-fé-sulense tem números bem mais modestos e atingiram 'apenas' R$ 1,5 milhão. Ele é presidido por Ronaldo de Lima (DEM).

Ressalte-se que tais índices representam valores globais e não custos por habitantes, pois, seguindo tal critério, o Legislativo votuporanguense não seria o 'mais dispendioso', haja vista que tem atualmente a maior população: 95.338 habitantes. Fernandópolis possui 69.408; Jales 49.201 e Santa Fé 32.563.

Um estudo realizado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE-SP), divulgado em setembro de 2020 neste site (clique aqui para conferir) mostrou que os 644 legislativos municipais pesquisados (excluiu o da capital paulista) consumiram no período de 12 meses um montante de R$ 2.890.383.896,39. Na média per capita (gastos das Câmaras com custeio e pagamentos de pessoal dividido pelo número de habitantes) tais parlamentos custam R$ 85,85 por habitante paulista.

Naquela oportunidade, a 'mais custosa per capita' do Estado era a de Aspásia, totalizando R$ 723.795,96. A de Fernandópolis teve um custo por habitantes de R$ 66,35. Votuporanga, com 15 vereadores custou R$ 56,71 para cada munícipe de lá; os 10 vereadores de Jales custaram R$ 49,26 e os nove de Santa Fé do Sul R$ 42,28.

O ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Humberto Martins, que no último dia 03 testou positivo para a Covid-19, apresentou uma decisão monocrática em atendimento a um pedido de Habeas Corpus autorizando a saída do empresário fernandopolense Walter Faria, comandante do Grupo Petrópolis, do território nacional.

Walter, alvo da Lava Jato, estava proibido de deixar o Brasil devido a medida cautelar prolatada em 2019, que, inclusive, obrigou-o a entregar o passaporte à Polícia Federal em Curitiba, isso após ficar foragido por cinco dias. Nesse caso, ele é acusado de utilizar uma conta internacional na Suíça para intermediar propinas de US$ 3,7 milhões em contratos de dois navios-sonda da Petrobrás.

Com a decisão de Martins, o empresário, há anos incluído no rol da Revista Forbes como um dos mais ricos do país, tem o direito de se ausentar internacionalmente reestabelecido, devendo apenas apresentar as passagens, com data de ida e volta, local de hospedagem e forma de comunicação.

Anteriormente, Vanuê Faria, seu sobrinho, envolvido no mesmo processo, teve idêntico direito reestabelecido, o que ajudou a fundamentar a decisão de revogação da restrição do tio.

*Texto publicado originalmente na Coluna .Inside de sexta-feira, 14/01/2022.

Agro paulista em alta!

Dados da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de SP, mostram que o agronegócio paulista aumentou em 9,5% suas exportações em 2021 em relação a 2020, atingindo US$ 18,97 bilhões. As importações aumentaram em 10,6%. O saldo foi de US$ 14,39 bilhões, 9,1% superior a 2020. Os cinco principais grupos na exportação foram complexo sucroalcooleiro (US$ 6,53 bilhões), complexo soja (US$ 2,57 bilhões), grupo de carnes (US$ 2,53 bilhões), produtos florestais (US$ 1,68 bilhão) e grupo de sucos (US$ 1,59 bilhão).

Conversão não!

E o ministro do STJ Humberto Martins (aquele mesma da decisão de Walter Faria) rejeitou pedido do ex-prefeito de Dolcinópolis José Luiz Reis Inácio de Azevedo. Condenado um ano, nove meses e 23 dias de reclusão, ele pleiteou no Tribunal a conversão da pena privativa de liberdade em restritiva de direitos. Zé Luiz foi considerado culpado por desvios ocorridos durante suas gestão na Prefeitura.

Bolsonaro e Cia na região

Está programado para 11 de fevereiro o desembarque do presidente e sua comitiva, especialmente do ministro de Infraestrutura Tarcísio de Freitas, candidatíssimo ao Palácio dos Bandeirantes, em Rio Preto. O fundamento é inaugurar os 17,8 quilômetros de duplicação na rodovia BR-153. Bolsonaristas da região articulam uma motociata.

Jales: R$ 12 milhões em recape

Numa empreitada com estimativa final de investimento batendo na casa dos R$ 12 milhões, o governo jalesense do prefeito Luiz Henrique deu início a obras de recapeamento nesta semana. A primeira fase visa a recuperação das vias adjacentes à SP-320, a rodovia Euclides da Cunha, começando pela Marginal Ayrton Senna da Silva. O Parque das Flores está incluso nessa primeira etapa que, além do recape, inclui pavimentação, obras de construção de galerias, meio-fios e sarjetas.

Pesquisa: janeiro como em dezembro

A primeira pesquisa XP/Ipespe desde ano mostra cenário eleitoral igualitário ao apurado em dezembro passado. Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na liderança da corrida presidencial, tem 44% das intenções de voto, com o presidente Jair Bolsonaro (PL), com 24%. Lhe seguem o ex-juiz Sergio Moro (Podemos), com 9%, e Ciro Gomes (PDT), que ficou com 7%. João Doria (PSDB), tem 2% e Simone Tebet (MDB), Rodrigo Pacheco (PSD) e Luiz Felipe D’Ávila (Novo) com 1% cada. Os brancos e nulos chegam a 6% e os que não sabem ou não responderam foram 7%.

últimas