POLÍTICA

Descaso? Jales e Votuporanga têm cinco leitos de UTI para Covid (cada); Fernandópolis zero!

Descaso? Jales e Votuporanga têm cinco leitos de UTI para Covid (cada); Fernandópolis zero!

Veja também: Inédita cassação simultânea de 5 vereadores é suspensa

Veja também: Inédita cassação simultânea de 5 vereadores é suspensa

Publicada há 11 meses

Descaso? Jales e Votuporanga têm cinco leitos de UTI para Covid (cada); Fernandópolis zero!

Profissional da saúde em trabalho na unidade local. Foto: Reprodução/Santa Casa de Fernandópolis

Preliminarmente, não negamos as próprias chagas e admitimos: das três instituições de saúde, somos a única envolvida em inúmeras denúncias de fraudes, ilicitudes contratuais de pessoal e equipamentos dentre outras acusações, operando sob o jugo de uma interminável intervenção judicial, o que, comprovadamente, afeta qualquer tipo de decisão.

Isso posto, ressaltemos que a população, ou melhor, pacientes e familiares de acometidos do Coronavírus, sobretudo aqueles em estado mais grave da doença, não têm culpa alguma por tal situação.

Pois aos números incontestáveis!

Nesta semana, graças ao esforço ‘hercúleo’ da Divisão Regional de Saúde (DRS XV) de Rio Preto, comandada por Silvia Forti Storti e do deputado Carlão Pignatari (PSDB), conseguiram reativar leitos hospitalares credenciados nas Santas Casas de Fernandópolis, Jales e Votuporanga, os quais foram, precipitadamente, extintos, como a realidade atual comprova.

Pois em Jales, a DRS reativou 20 leitos, sendo 15 destinados à pacientes de Covid-19 internados em enfermaria e outros 5 leitos para àqueles direcionados à UTI. Só relembrando que lá há 49.201 habitantes, com 12.148 casos positivos e 281 óbitos. Na quinta-feira, 03, havia 840 casos suspeitos.

Para Votuporanga o número foi idêntico: 05 leitos para UTI e outros 15 para enfermaria, ativos desde quarta-feira, 02. Nesta pandemia, o município de 96.106 habitantes registra 24.722 casos positivos com 473 óbitos. Na quarta-feira, 02, havia 3.705 casos suspeitos.

Chegamos em Fernandópolis, cidade com 69.402 habitantes e números pandêmicos superiores aos de Jales e inferiores aos de Votuporanga, ostentando 19.925 casos positivos com 370 óbitos. Na quinta-feira, 03, havia 685 casos suspeitos.

Pois para cá foram destinados, aparentando quase que um ato de caridade, 08 unidades, subdivididas em cinco de enfermaria e três de UTI.

Que disparidade!

Mas a saga prossegue e piora!

Conforme mostrou reportagem especial publicada em www.oextra.net na quinta-feira, 03, até agora, na real, nem as cinco de enfermaria foram credenciadas e estão ativas. Em situação análoga, as três de UTI também não foram implantadas.

Por um lapso (de somenos importância), a DRS XV ‘esqueceu’ que o número mínimo de leitos para UTI é de cinco; menos que isso, não pode haver repasses financeiros e, consequentemente, não há recursos para alocação de equipamentos e contratação de profissionais (médicos e enfermeiras).

Urge a hora das lideranças emergirem!

E paremos por aqui. Já é suficiente!

Cassação simultânea de cinco vereadores suspensa

Os membros do Legislativa macedoniense: liminar judicial suspendeu sessão prevista para ontem, 04

Salvos pelo gongo?

Provavelmente sim! E graças a uma liminar concedida pela Justiça, através do juiz Heitor Miura da 2ª Vara Cível da Comarca de Fernandópolis que acabou por suspender a sessão decisiva que ocorreria nesta sexta-feira, 04.

A sentença provisória prolatada em sede de Mandado de Segurança, além da suspensão, prevê que, após análise do mérito, nova decisão será publicada nos próximos dias.

Estão arrolados como denunciados os edis Monica Vieira (presidente), Valtemir Marques de Toledo (Bola), Abílio José Marques (Bilo), Monique Silva Hiraki e Gustavo Rogério Ribeiro (Barretão), todos acusados de pagarem, com dinheiro público oriundo do erário do Legislativo, um advogado para defendê-los em causa particular. Obviamente, ele negam a ilicitude.

Nova data para realização de sessão somente após a decisão judicial.

Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), vinculado ao Ministério do Trabalho e que já viveu, outrora, tempos de maior credibilidade (basta vermos as constantes revisões de índices divulgados) mas ainda é importantíssima fonte nacional, estadual e regional de estatísticas. E elas apontam para a liderança absoluta de Fernandópolis, regionalmente e considerando os municípios de maior aporte populacional, na geração de empregos em 2021.

A nível nacional, o país encerrou o ano de 2021 fechando 265.811 empregos formais em dezembro, mas o saldo do ano foi positivo, com a criação de 2,7 milhões de postos de trabalho com Carteira de Trabalho assinada.

Em Fernandópolis, o mês de dezembro teve saldo positivo de 12 novas vagas, fechando o anual positivo em 715 postos formais de trabalho gerados em 2021. Neste mesmo período, Jales abriu 302 empregos (com saldo positivo de 27 em dezembro); Santa Fé do Sul somatizou 536 no ano (negativo em 35 em dezembro). Votuporanga, diversas vezes o maior polo empregatício regional, ficou com ‘apenas’ 356 novos empregados formais em 2021, sendo que em dezembro registrou o fechamento de mais 321 vagas.

Obviamente que Rio Preto, ostentando outro patamar, foi o município que mais gerou novos postos empregatícios formais no ano passado, com saldo positivo de 7.683 (mais de 10 vezes o índice de Fernandópolis), resultado da diferença entre 71.257 admissões e 63.574 demissões.

Em Votuporanga, o péssimo desempenho no último mês de 2021 é atribuído às demissões em massa na Latech S/A, empresa de call center que substituiu a Vikstar, motivadas pela perda das carteira da Tim e da Agibank.

*Conteúdo publicado originariamente na Coluna .Inside de terça-feira, 01/02/2022.

Prefeito e 1ª dama condenados

A primeira dama Marilza Alves Martins, de Uchoa, foi condenada a dois anos de prisão por falsidade ideológica, acusada de continuar assinando ponto como professora mesmo após ter sido nomeada para a presidência do Fundo Social de Solidariedade. O maridão, prefeito José Cláudio Martins (MDB), teve a mesma pena. Ambos recorrerão.

Moro prefere uma ‘cabra’

Em passagem por Rio Preto, o pré-candidato Sergio Moro (Podemos) afirmou ao jornal Diário da Região que, se tiver que optar entre votar no ex-presidente Lula ou no atual Jair Bolsonaro, prefere uma “cabra”.

Sem Carnaval?

Sem desfile sim; sem feriado não! Pois o governador João Doria (PSDB) decretou ponto facultativo nas repartições públicas estaduais na segunda-feira (28) e terça-feira (1º de março) de Carnaval. O decreto foi publicado no Diário Oficial do Estado desta quarta-feira (2) e deve ser seguido pelas prefeituras.

Só vacinados! É sério?

Um Projeto de Lei foi protocolado na Câmara dos Deputados estipulando que somente os eleitores com esquema vacinal completo (ou com contraindicação médica) poderão votar nas eleições deste ano. A propositura é subscrita pelo ex-bolsonarista Alexandre Frota (PSDB) e precisa ser aprovada na comissão especial, nos Plenários da Câmara e do Senado e, ainda, de sanção pelo presidente.

Fernandopolense na presidência do TCE

Desde terça-feira, 01, o conselheiro Dimas Ramalho assumiu, pela segunda vez, a presidência do Tribunal de Contas do Estado (TCE-SP). Ele já foi deputado federal e promotor de Justiça, e é, desde junho de 2014, cidadão fernandopolense, após homenagem concedida pela Câmara de Vereadores.

Diga ao povo que fico!

A expectativa (ou possibilidade) surgiu juntamente com a vitória nas urnas em 2020, mas não deve passar disso. André Pessuto (DEM) tem reiterado, nos bastidores, que não partirá para novo embate neste ano, em especial disputando cargo na Assembleia Legislativa Estadual, apesar de ainda remanescer alguns incentivadores. A desincompatibilização seria um 'tiro no pé'.

últimas