POLÍTICA

UB, partido de André Pessuto, retira apoio à candidatura de Rodrigo Garcia. E o prefeito? Como fica?

UB, partido de André Pessuto, retira apoio à candidatura de Rodrigo Garcia. E o prefeito? Como fica?

União Brasil negocia apoia a Fernando Haddad (PT) ou Tarcísio de Freitas (Republicanos)

União Brasil negocia apoia a Fernando Haddad (PT) ou Tarcísio de Freitas (Republicanos)

Publicada há 2 meses

Situação incômoda, constrangedora (amenizando os adjetivos) abateu-se sobre a política estadual (com reflexos local) ao início da tarde desta quinta-feira, 09, em decorrência do novo posicionamento anunciado pelo Diretório Nacional do União Brasil (UB), partido resultante da fusão entre o Democrata e o PSL, através do presidente nacional Luciano Bivar.

Em entrevista ao site do UOL, ele afirmou que a agremiação está abandonando o apoio à candidatura de Rodrigo Garcia (PSDB) ao Palácio dos Bandeirantes e que irá decidir se estará com o nome do PT – Fernando Haddad – ou do Republicanos – Tarcísio de Freitas -.

A repercussão explodiu em Fernandópolis pelo fato do prefeito André Pessuto (UB) ser um dos remanescentes do Democrata (e agora estar no União Brasil) e apoiar o nome de Garcia para o governo paulista, além, é claro, de nutrir antiquíssima relação de fraternidade com o atual governador paulista, desde os tempos em que este tinha assento na Assembleia Legislativa.

Agora, seu posicionamento, certamente influenciará outros nomes do UB em situação análoga.

Pois Pessuto cravou-nos sua posição: independentemente da mudança de orientação partidária, seguirá firme e forte apoiando o nome de Rodrigo Garcia.

Além dos fundamentos supracitados, André avalia que Garcia, no pouco tempo frente à administração estadual, está fazendo muito por Fernandópolis e mais ainda fará no futuro.

E ele aparenta disposição para enfrentar eventuais consequências político-partidárias!

Enquanto isso...

  • Pesquisa Exame/Ideia divulgada na quarta, 08 (número SP-08096/2022) trouxe, na amostragem principal (com todos os pré-candidatos e estimulada), a liderança do petista Fernando Haddad com 27%, seguido de Tarcísio de Freitas (Republicanos), com 17%, Márcio França (PSB) com 14%, e Rodrigo Garcia (PSDB) que aparece com 11%. A margem de erro é de 3% e foram ouvidas 1.200 pessoas do Estado de São Paulo entre os dias 3 e 8 de junho;
  • Para o Senado Federal caiu a intenção de votos para o apresentador José Datena (PSC) que agora tem 19% das intenções de votos, seguido do ex-governador Márcio França (PSB) com 14%. Carla Zambelli (PL) tem 9% e Paulo Skaf (Republicanos) 8%. Janaina Pascoal (PRTB) ficou com 6% e outros pretendentes tiveram igual ou inferior a 2%;
  • O presidente da Câmara dos Deputados Arthur Lira (PP-AL) ameaça também abandonar a candidatura de Garcia e, por consequência, levar o partido junto (e como ficaria Fausto Pinato nessa?). Ele alega que o PSDB está descumprindo um acordo para a candidatura em Alagoas - seu Estado natal - e a retaliação seria a consequência. Aguardemos.

últimas