POLÍTICA

Cadê os R$ 2,9 milhões da Santa Casa?

Cadê os R$ 2,9 milhões da Santa Casa?

Dinheiro saiu da União, passou pelo Estado mas não chegou à entidade fernandopolense

Dinheiro saiu da União, passou pelo Estado mas não chegou à entidade fernandopolense

Publicada há 1 ano

Cadê os R$ 2,9 milhões da Santa Casa? Dinheiro saiu da União, passou pelo Estado mas não chegou à entidade fernandopolense

Quem terá que responder a indagação supra é o governador João Doria (PSDB) ou algum de seus secretários, muito provavelmente o da Saúde Jean Carlo Gorinchteyn ou a diretora administrativa da Regional de Saúde de Rio Preto (encarregada por 102 municípios da macrorregião, Fernandópolis incluso) Silvia Elisabeth Forti Storti.

E o volume é alto. Altíssimo! Apto a "oxigenar" as finanças da irmandade por algum tempo e propiciar melhores condições para o enfrentamento dessa terrível pandemia.

Segundo dados proferidos pelo vereador Murilo Jacob (MDB), o valor passa, um pouco, dos R$ 2,9 milhões, fruto de duas receitas diferentes:

  • através do Grupo de Atenção Especializada (GAE), no valor de R$ 1.980.038,00, repassado pelo Ministério da Saúde para o governo do Estado paulista encaminhar até a Santa Casa de Fernandópolis. A liberação por parte da União ocorreu em 30 de Dezembro passado;
  • pagamento para custeio de leitos no valor de aproximadamente R$ 1 milhão, decorrente de serviços já prestados pela entidade no combate ao Coronavírus e até agora não quitados e que deveriam vir do governo federal via o estadual.


TODOS JÁ RECEBERAM!

E pelo que nos fora informado pelo parlamentar municipal, todas as unidade de saúde paulistas já receberam ambos os recursos. As daqui da região, certamente. A única a ficar desprovida desse imenso volume financeiro, nesse exato momento de desespero sanitário, foi a fernandopolense.

A motivação? Ninguém sabe!

Especula-se que alguma alteração ocorrida na Secretaria de Saúde prejudicou única e exclusivamente aqui. Porém, como qualificamos, tal hipótese não passa de especulação.

DENÚNCIA NA PROMOTORIA

Jacob encaminhou-nos cópia de uma denúncia ministerial que deve ser protocolada ainda nesta quinta-feira, 18, no Ministério Público local.

Ela é direcionada, diretamente, ao governo do Estado e, obviamente, aos gestores da área (Gorinchteyn e Doria) e pode resultar, caso a Promotoria vislumbre viabilidade, no encaminhamento do pedido para a Procuradoria Geral do Estado que promoverá, se for o caso, a responsabilização.

Lembrando que a Santa Casa ainda permanece sob gestão judicial, tendo como interventor o juiz Vinícius Castrequini e como administrador judicial Marcos Chaer.

Há! Somente para completar:

  • hoje, 18/03/2021, a Santa Casa está com 129% de ocupação dos leitos para Covid, com 140 pacientes internados;
  • o controverso Hospital de Campanha não será instalado no município e deve encontrar abrigo em outra cidade da região.


últimas